24/09/2011

A Neutralização dos Pensamentos

Por Marcos Keld
16 Setembro 2011

Das células cancerígenas às curas milagrosas, das manifestações físicas às elucidações profundas, das repulsas sociais às empatias instantâneas, tudo parte do pensamento, o grande dínamo da realidade física como a conhecemos. 
A semente para uma experiência ou a própria experiência em si tem como base a fagulha mental.

Logo, a percepção da realidade depende do resultado de inúmeros pensamentos formulados ao longo de sua vida.
E isso define também o que se faz presente no horizonte.
Aquilo que agora se cria em sua mente tornar-se-á o universo, o seu universo, no momento que se avizinha.
Compreender isso não é o bastante para livrar-se ou libertar-se de suas consequências.
Obviamente o entendimento de que você não é sua mente é fundamental, porém, mais que isso, é necessário que haja a moderação do que esta parte de seu Ser cria de maneira desenfreada e irresponsável. 
Moderá-la é vital para criar um mundo mais harmonioso sob sua percepção.
Todavia, note que moderar não é o mesmo que controlar.
O confronto por adquirir controle apenas criará novas revoluções e alternativas para que os pensamentos corruptores continuem em seu processo de autorrealização.
Moderá-los então é compreendê-los e moldá-los de maneira a não mais entrarem em conflito tanto com você quanto com o mundo que se apresenta diante de seus olhos.
Quando descontrolados, são armas capazes de destruir o próprio ambiente e você contamina o mundo ao redor, as pessoas e tudo aquilo que se conecta direta e indiretamente a você.
  
Quando moldados e educados, são como flores presenteadas que elevam a própria naturalidade divina presente em cada átomo da matéria, pessoal ou interpessoal, dando o poder de manifestar qualquer realidade intencionada.

Você diz: “Eu não consigo moderar todos os meus pensamentos, isso é algo impossível!”
  Sim, claro que é.
A maioria deles não pertence a você. 
Mas veja que o segredo é não querer a todos moderar, mas tornar-se um moderador livre de qualquer moderação.
O simples ato de observar já resolve todo o problema.
A observação cria a amplitude necessária para perceber aquilo que lhe pertence, aquilo que foi gerado por você mesmo.
E no momento em que há esse reconhecimento, automaticamente esses pensamentos refreiam-se e permanecem passivos.
E essa passividade vai até a própria mente inconsciente, pois já não há conflito.
Em não havendo conflito entre as mentes consciente e inconsciente, não há armas, tampouco flores, há apenas o silêncio em si.
E essa é a posição que devemos assumir em nosso processo evolutivo.
Os outros pensamentos continuarão indo e vindo, mas não haverá mais vínculos entre você e eles.
Assim, a percepção do mundo fica mais clara, mais transparente e mais evidente.
A partir de então, mantendo-se atento ao próprio universo mental, você poderá dar início à sua criação pessoal de um mundo que mais agregue ao seu próprio desenvolvimento.
E cada manifestação se dará de maneira livre de qualquer negatividade.
E quando não há essa negatividade proveniente dos pensamentos descontrolados, você está sublimando-se e livrando-se dos efeitos de causas passadas.
Não há ações nocivas, não há ações apegadas, há apenas criação livre de desejos vagos.
E isso é exercer verdadeiramente sua divindade.
Logo, o seu papel como co-criador é estar atento àquilo que você cria em seus planos mental e emocional.
Tudo o que se origina de seus pensamentos adquire vida própria e se mantém do mesmo jeito até que você, quando consciente, os neutralize.
Os sentimentos de raiva, de inveja, de orgulho, de malícia e assim por diante, continuarão ligados a você, sendo então de sua total responsabilidade as consequências de suas permanências.
  Em permanecendo, eles moldam o seu entorno e aquilo que você tem por ego, personalidade ou pequeno eu.
Faz-se então evidente que o processo para sublimar o pequeno eu começa com a moderação e neutralização de todos os seus processos mentais.
Tornando os negativos, e mesmo os positivos, em neutros. 
 Somente quando eles se neutralizam é que você começa de fato a se tornar o mestre de sua vida. 
Pois a Divindade é neutra, e assim devemos nos tornar.
                 Marcos Keld 




Post. e Formatação:
Semeador de Estrelas

Fonte: Potencialidade Pura
http://www.blog.potencialidadepura.com

Um comentário:

  1. Interessante, pois em nosso dia a dia percebemos isto, se quisermos. Muitas vezes, estando atentos, conseguimos eliminar um pensamento negativo que chega até nós sem que percebamos. Uma mágoa mal resolvida, um sentimento de rejeição nos desestrutura e nos deixa desequilibrados. Estando atento, como nos propoe o texto, podemos perceber a ameaça.

    ResponderExcluir

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...