07/03/2012

ANAEL - Parte II -

Eu sou ANAEL, Arcanjo.

  PARTE II
Perguntas e Respostas


Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes de Estrelas, eu volto a vocês, pela segunda vez, neste dia, dia de dissolução do Conclave Arcangélico, que será terminado durante o alinhamento de 19 horas [hora francesa] pelo Senhor METATRON.
Eu volto a vocês para ver se é necessário explicitar um pouco de elementos, de Vibrações que lhes foram dadas pelo conjunto de Arcanjos, se é que se possa acrescentar algumas palavras ou algumas Vibrações concernentes a isso.


Assim, portanto, no tempo que me é atribuído, eu escuto sua pergunta.


Questão: pode-se dizer que a Onda de Vida é a FONTE? 



Bem amada, a FONTE é Onda de Vida.
A partir do instante em que há sobreposição entre uma FONTE exterior (situada e localizada em Alcyone) com sua própria FONTE (que é a FONTE), então, naquele momento, a Onda de Vida é realizada.

Questão: em que alguns seriam confrontados a uma não escolha em relação à Eternidade, como o disse o Arcanjo Jofiel?


Há ou a evidência do Absoluto que vocês são, ou a não evidência.
A noção de não escolha representa, simplesmente, o fato de que ninguém poderá subtrair-se, nesse mundo, ao elemento chamado o Casamento Místico.
A evolução desse Casamento (de integração, se se pode dizê-lo, da Onda do Éter ou de sua não integração) condicionará, no momento vindo, sua evolução.
A perspectiva de uma evolução, resultante, justamente, da distância que pode ser concebida ou vivida entre a FONTE e vocês mesmos.
Ou vocês estão na distância, ou vocês estão na coincidência.
Da coincidência resulta o Absoluto.
Da distância resulta o limitado, mas consciente, desta vez, do Ilimitado, ou seja, além do que é nomeada a terceira Dimensão dissociada.


Há tempos extremamente antigos, consciências vieram, livremente, à superfície desse mundo.
Essas consciências tomaram veículos ou corpos que vocês chamaria, de carne, nessa Dimensão, e, no entanto, essas consciências não eram limitadas por esse corpo que elas tinham então.
Hoje, o corpo que vocês têm é um limite.
Na terceira Dimensão Unificada (e, com mais forte razão, nas outras dimensões, individualizadas ou não), a consciência é Absoluta, além da Consciência.
Assim, pode-se dizer que, mesmo em Dimensões criadas e manifestáveis de vida, não há qualquer separação, uma vez que a Consciência (o que vocês São, na Consciência, como além da Consciência) pode veicular em qualquer forma, de qualquer Dimensão.
Isso se chama a Liberdade.

Questão: se a Onda de Vida está além da Consciência, como se pode dela estar consciente?


Tornando-se essa Onda de Vida.
A consciência no sentido em que ela é chamada, aqui nesse mundo como em outros lugares – significa: com.
Há, portanto, percepção, concepção, projeção.
Toda projeção, toda concepção, toda percepção é apenas uma fragmentação do Absoluto.
O mecanismo chamado Dissolução é o que precede a Onda do Éter ou Onda de Vida.
Isso não pode ser compreendido, de modo algum, nem pelos sentidos, nem pelo mental, nem por uma ideia, nem por um pensamento.
A consciência é consciente de viver-se?


Questão: qual é, doravante, a importância do período de Alinhamento de 19 horas (ver a rubrica «protocolos / protocolos prioritários»?


A função continua, ainda e sempre, o serviço à Luz.
O Alinhamento – vivido às 19 horas [hora francesa] ou no momento em que isso lhes pareça oportuno – realizado por vocês mesmos ou quando de momentos específicos, quando a Luz chama-os, são os momentos privilegiados em que se pode viver a Onda do Éter.
A partir do instante em que a Onda do Éter nasce, vocês não têm mais necessidade de viver qualquer Alinhamento, porque vocês são Absoluto.
Isso não os dispensa de continuar, se o desejam, a viver o Alinhamento.
As condições prévias são, portanto, reunidas, tanto sobre a Terra como em vocês, no interior da Terra como no Céu, para permitir-lhes Ser, além do Ser.


Questão: como viver o melhor possível esse espaço de Alinhamento?


Bem amado, do mesmo modo: sem nada projetar, sem nada pedir, tornando-se Transparente, Claro, totalmente.
Não mais reter a Luz.
Deixar-se atravessar.
Isso cria, aí também, as condições prévias, mas não realiza a Onda do Éter
É necessário, retomando palavras empregadas pelas Estrelas (algumas delas), realizar essa Tensão para o Abandono, de algum modo, como dizia GEMMA: que todo seu espaço de consciência, o que quer que vocês façam dele em suas atividades comuns, seja voltado para essa sede de Absoluto.
Quaisquer que sejam seus atos, quaisquer que sejam seus pensamentos, essa sede, de algum modo, deve permanecer no primeiro plano.
Eu, efetivamente, falei de sede, e não de vontade.

Questão: as intervenções dos Arcanjos, hoje, deixam supor que uma nova etapa foi cruzada. Se sim, em que vai ela consistir?


Uma nova etapa (que não é uma etapa, propriamente dita) foi cruzada: ela corresponde à Liberação total do Núcleo da Terra que aflora, agora, sob seus pés.
A dissolução do Conclave é apenas nossa resposta, como Arcanjos, ao que realizou a Terra e que vocês realizam.
Isso vai, invariavelmente, traduzir-se – se já não é o caso – por modificações intensas de suas fisiologias, de seus mecanismos de defesa, como de Abandono.
Nesse sentido, mesmo no limitado, isso é, efetivamente, uma revolução.
Vocês constatarão, ao seu redor, entre seus diversos ambientes, que seus irmãos e irmãs humanos vivem, também, à maneira deles, algo de novo.

Questão: a Luz pode atravessar-nos de baixo ao alto, como do alto ao baixo?


Sim, fazendo dizer, naquele momento: o ciclo está fechado.
A Shakti, Espírito Santo, a tripla polaridade da Luz Vibral fecundou o que devia sê-lo.
Em resposta, após os diferentes Fogos (do Coração, da cabeça e do sacrum), produziu-se outro Encontro, que é o batismo da Ressurreição, o momento em que a Onda do Éter pode nascer.
Houve fecundação.
Houve gestação.
Há parto e liberação.


Questão: por que se assiste, ainda, apesar de tudo isso, a doenças graves?


Bem amada, é necessário, efetivamente, estar liberado da ilusão, qualquer que seja a forma que isso possa tomar.
O que a lagarta chama a morte, a Borboleta chama o Nascimento.
O ponto de vista limitado, aquele do ego, interroga-se sobre o sentido da doença.
A doença não é, sempre, uma maldição, mas é, por vezes, a Liberação.
Aquele que espera e que crê que, mesmo nesta Dimensão, a Luz suprimirá a doença, não compreendeu nem viveu o sentido do que está em curso.
Uma ilusão seja em boa saúde ou doentenada muda: ela continua ilusória.
Apenas a lagarta não pode conceber que a morte é uma Liberação.
Não a morte desse corpo, não, unicamente, a morte da lagarta, mas, efetivamente, o acesso à Consciência pura e ao que está além da Consciência pura.


Questão: poderia aprofundar sobre a noção de parto, e há paralelo com aquele da Passagem da lagarta à Borboleta?


O parto, tal como ele é vivido pelas mulheres desse mundo (dar nascimento), permite a uma consciência nova nascer, portadora de uma informação de vida: ela nasce de cabeça para baixo e reverte-se e retifica-se.


Do mesmo modo, o parto que vocês vivem põe fim à ilusão do eixo ATRAÇÃO – VISÃO, retificando a Terra de acordo com seu eixo de Vida.
Do mesmo modo, faz sair sua Consciência de seus próprios limites.
O que vem, esse batismo, é Alegria e Ressurreição.
Mas, irremediavelmente, a lagarta, o eu ou o ego (pouco importam os nomes), o limite, vislumbrará isso, sempre, como o drama o mais absoluto.


Questão: isso significa que uma lagarta não poderia tranquilizar outras lagartas que não estariam conscientes dessa preparação de parto em curso?


Vocês não podem Despertar ninguém; vocês não podem mudar ninguém, porque não há ninguém a mudar.
É a vontade pessoal que gostaria de levar um filho, um companheiro, um parente, para onde ele está: isso é impossível.


Lembrem-se de que, para o limitado, o Ilimitado é uma aberração, em consequência de que, a lagarta ignorará, sempre, que ela é uma Borboleta em evolução.
E, no entanto, o programa da lagarta é, efetivamente, tornar-se uma Borboleta.
Isso, em definitivo, está inscrito em toda lagarta, mesmo que recuse a Borboleta.
Simplesmente, vocês não podem decidir o momento, o tempo, a Dimensão em que isso se produzirá.


Questão: por que a Luz aceita a liberdade ou pseudo liberdade oriunda de crenças e de confinamentos?


Quem cria as crenças, quem cria o confinamento?


A Luz, a FONTE Central como em vocês é Liberdade.
Toda experiência efetuada fora d’Ela, toda limitação imposta ou criada, do interior ou do exterior, não pode ser impedida pelo que quer que seja.
A partir do instante em que vocês saem desse eixo linear de tempo ou desse eixo Dimensional, sua visão se é que se possa falar assim – exprime, então, que há retorno à Unidade.
Há, simplesmente, a ilusão de um caminho a percorrer, de uma evolução a cruzar, mas a FONTE sempre esteve aí, de toda a Eternidade, porque nenhuma vida, nenhuma manifestação, nenhuma criação pode ser definitivamente cortada de sua própria FONTE.


Não temos mais perguntas, agradecemos.


Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes de Estrelas, eu sou o Arcanjo ANAEL.

Eu lhes transmito Graça, Bênção e deixo o lugar ao Anjo METATROM, terminando o que foi realizado, neste dia de seu tempo.


Que a Graça seja sua Eternidade, porque é o que ela É.


Adeus.

Parte I - clik aqui.




Tradução e Divulgação: Célia G
http://leiturasdaluz.blogspot.com/

Post. e Formatação

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...