26/03/2016

O.M. AÏVANHOV – Parte 3(a) - CLARIFICAÇÃO -

"Você sabe que o Choque da Humanidade 
já é vivido, para alguns de vocês".

O.M. AÏVANHOV 



Março de 2016


Bem, caros amigos, eis-nos, de novo, reunidos, em comunhão de coração.

Queiram, primeiramente, receber todas as minhas bênçãos e todo o meu Amor.



… Silêncio…

Então, se quiserem, vamos continuar a clarificar, se posso exprimir essa palavra, tudo o que se desenrola, nesse momento, e vamos continuar os questionamentos, tais como vocês quiseram submetê-los ontem.

Então, eu a escuto, cara amiga.

Questão: o jejum é para fazer regularmente?
Se sim, em qual frequência?


Então, aí, cara amiga, eu não tenho prescrições.

É a você que cabe ver o que isso propicia ou, então, o que isso retira, é a você que cabe ver.

Eu dei, ontem, certo número de mecanismos concernentes ao jejum total, curto.

Agora, é você que vê, em função dos benefícios ou dos inconvenientes que você extrai daí.

Cabe a você ajustar-se e acertar-se, não há regra formal nem conselho formal em relação a isso.

Cabe, portanto, a você decidir, em total liberdade, o que você tem vontade de fazer, ou de não fazer com isso, segundo os efeitos, os benefícios, segundo o que você observa ou não.

Mas, eu repito, nós não estamos, aqui, em um jejum que se poderia chamar de terapêutico, no qual é preciso fazer uma dieta hídrica e o jejum deve durar, eu diria, mais tempo.

Aí, é apenas uma experiência, mas essa experiência, se ela lhe propicia mais Luz, mais verdade, então, faça-a uma vez por semana, se quiser.

Mas é você que decide.

Você sabe, aliás, que nas religiões, quaisquer que sejam, há, frequentemente, jejuns.

Há, mesmo, seres humanos, em uma religião, que não comem entre o nascer e o pôr do Sol, e isso durante várias semanas.

A ótica é um pouquinho diferente, mas, sempre, está por trás isso: o objetivo de limpar, de purificar, de elevar as vibrações e de desobstruir-se, se posso dizer, do hábito de ingerir a matéria.

E ver se a ingestão de Luz é favorecida nesse caso, porque é um equilíbrio, se posso dizer, entre o vital e o vibral.

Você sabe muito bem que o vital e o vibral..., isso foi explicado, também, numerosas vezes, não é? 

A diferença entre as energias do prana e as energias da Città, com efeitos profundamente diferentes, de um lado, na vitalidade para um e, no outro, nas manifestações, nas percepções da própria Luz vibral.

Veja como evoluem sua consciência, seu corpo, seus desconfortos, suas emoções, seus humores, em suma, seja o observador fino do que se produz durante esse período.

Não é porque você vai repetir isso todas as semanas que isso será, necessariamente, útil.

Para alguns, pode ser útil, para outros, totalmente inútil; cada um é diferente em relação a isso.

Então, tente, e você verá.

Mas eu não posso dizer-lhe para fazê-lo todas as semanas ou a cada quinze dias e, de qualquer modo, você verá, efetivamente.

Eu lhe assinalo que, durante a estase, e já antes da estase, para alguns de vocês, a alimentação já terá cessado, é claro.

Então, eu não tenho prescrição oficial a dar-lhe de minha parte ou da Luz em relação a isso.

É a você que cabe ver o que se desenrola em si mesma e em cada um de vocês e, independentemente dos mecanismos que eu descrevi, você observará diferentes tipos de efeitos.

É a você que cabe controlar, por si mesmo, observar o que vai desenrolar-se durante esse período breve.

Você pode, também, completar, mas não vale a pena fazer tudo isso imediatamente, você teve o hábito, alguns de vocês, de viver períodos de silêncio, períodos de silêncio das palavras, silêncio do olhar.

Você pode muito bem acoplar um período de vinte e quatro ou quarenta e oito horas de jejum total com um período de silêncio total.

É o melhor modo, eu diria, de entrar no Coração do Coração, para aqueles que têm dificuldades para ali dirigir-se ou para ali manter-se.

Isso será uma ajuda considerável, eu posso dizer, para alguns de vocês.

É claro, isso não é válido para todo mundo, é a você que cabe ver.

Você vai, fazendo os dois, por exemplo – ao mesmo tempo – você vai eliminar, se posso dizer, toda a dinâmica de entrada e de saída em você.

Você vai, portanto, privar-se, se posso dizer, das interações entre a pessoa que você é aqui, nesse mundo, e o ambiente, no sentido o mais amplo.

E, quando a pessoa não é mais nutrida pelo ambiente, quer seja pelos estímulos da palavra, pelos pensamentos, pelos alimentos, resta o quê?

A vacuidade e a disponibilidade, para alguns de vocês, de encontrar, talvez, mais facilmente, o Coração do Coração e fazê-lo crescer.

Para alguns de vocês que se fartam, por exemplo, de imagens, quer elas sejam da internet ou televisuais, essa será, também, a possibilidade de parar de nutrir a visão exterior.

O que favorecerá, é claro, a visão interior e, talvez, de maneira sucedânea ou imediata, a visão do coração ou a visão sem olhos, que lhe dará a penetrar, de maneira mais exata e mais íntima, talvez, seu estado de ser definitivo.

Mas, eu repito, não há regras gerais, é diferente para cada um de vocês.

Mas eu a lembro, contudo, que Cristo havia dito que o que é importante não é o que entra em sua boca, é o que sai dela.

Portanto, você pode, através da associação, por exemplo, do jejum e do silêncio das palavras, também, por vezes, do olhar, você vai cortar, sucessivamente, todas as informações que vêm do exterior e, assim, tudo o que você emite para o exterior – e que pode criar condições propícias para instalar-se, eu diria, mais facilmente, de maneira mais livre – porque você não será incomodada, ao mesmo tempo, pela energia vital mobilizada pela digestão, pelos pensamentos e as palavras que você emite ou, ainda, pelos estímulos visuais.

Ao colocar-se, desse modo, em uma forma de repouso, eu posso, sem avançar demasiadamente, dizer-lhe que essa será, sobretudo neste período, no qual há tantas e tantas partículas adamantinas, a capacidade para estar mais disponível para viver sua eternidade e não sustentar demasiado, se posso dizer, seu efêmero.

Sem renegá-lo, contudo, mas você limpa os caminhos, os circuitos, ao nível do Corpo de Existência, que entrarão, talvez, em manifestação e tornar-se-ão, então, para você, evidentes.

Mas é claro, isso não é válido para cada irmão e irmã, cabe a você ver o que pode convir a você.

Mas eu não falei de repetição.

Agora, se você quiser repeti-lo, é função das vantagens que você terá encontrado, talvez, praticando isso.

Outra questão.

Questão: você falou de crianças que vão nascer com os olhos abertos.
Qual é o significado disso?

Ah, eu não disse que as crianças nasciam com os olhos abertos, eu disse que elas abririam os olhos muito mais cedo; não é, absolutamente, a mesma coisa.

Efetivamente, em alguns escritos orientais, quer seja no Budismo ou, ainda, na filosofia indiana, é feita referência a seres despertos que nascem, efetivamente, de olhos abertos.

Eu creio, se minhas lembranças são boas, que foi o caso para Maharshi, foi o caso para outros místicos, em especial orientais, que nasceram com os olhos abertos a partir da saída do ventre de sua mãe.

Isso assinala, efetivamente, uma consciência, talvez, um pouco diferente, a partir da encarnação.

E qual foi a questão em relação a isso?

Questão: qual é o significado, porque você falou de crianças que vão nascer com os olhos abertos.

Ah não, eu não creio ter dito isso.

Não é, absolutamente, a expressão.

Ninguém nasce de olhos abertos, mas os olhos dos recém-nascidos abrem-se muito mais rapidamente, de uma maneira geral.

Aqueles que vão nascer durante este período específico, se quer, já desde dezembro, serão crianças, também, muito especiais, independentemente, mesmo, desses olhos abertos ou de uma presença maior, vigilância delas maior ao ambiente.

Elas são mais maduras, se posso dizer, porque, graças ao afluxo de partículas adamantinas, em especial que passam através da mãe, vão estimular, se posso dizer, alguns processos que você vive, sendo adulto.

E, portanto, há uma forma de plasticidade e de eficácia muito mais real para os recém-nascidos a vir, e que já vieram – é assim, você sabe, há numerosos anos porque, por exemplo, há autores que falaram de crianças índigo, as crianças cristal, as crianças diamante.

É um pouco o mesmo princípio, a mesma ideia, e é assim, você sabe, há mais de trinta anos, agora que isso foi estudado.

Portanto há, efetivamente, entidades que tomam um corpo físico e que estão muito mais despertas, efetivamente, do que o que acontecia para os recém-nascidos nos séculos anteriores e desde que o mundo é mundo, aqui na Terra.

Portanto, são crianças, independentemente dos olhos, que, globalmente, estão mais abertas; elas estão mais abertas para a própria eternidade.

Eu lhes disse ontem, efetivamente, que antes dos dois anos, antes que as moleiras voltem a fechar-se, a comunicação com o céu era quase inteira, já, em todo recém-nascido.

Mas aí, as qualidades do despertar e da relação ao ambiente é, talvez, mais viva, de imediato, com uma luz e um brilho no olhar ou o sorriso desses bebês.

Tanto mais se a mãe já está, ela também, desperta ao nível das Coroas.

Outra questão.

Questão: a estase instalar-se-á de modo progressivo, a partir das Trombetas, ou abruptamente?

Então, aí, tudo é possível.

Há, já, irmãos e irmãs despertos que vivem momentos de estase.

Eles não sabem mais quem são, eles perdem a cabeça, eles não se lembram mais do que faziam cinco minutos antes, eles não se lembram mais de quem são.

É o Alzheimer espiritual, se quer, hein?

É uma doença da moda, mas são, também, sintomas, eu diria, de pré-estase.

Então, se se olha um pouquinho a ação dessas Trombetas, que é o testemunho de alguma coisa, é claro, a maior parte dos seres humanos ficará chocada, porque eles não sabem o que é.

Eles ficarão, mesmo, aterrorizados por esses ruídos e esses sons, e essas vibrações também, porque, se você teve a chance de ouvi-los, aí onde você vive, você pôde constatar que é um ruído que sai do comum, se posso dizer.

Não é um ruído que se possa reconhecer, e isso se traduz, por vezes, por modificações de humor importantes, por reações importantes.

Mas, no que concerne à instalação da estase, eu o lembro de que há três dias de Trombetas, o Apelo de Maria e, três dias depois, a estase.

Mas desde o início as Trombetas, que são ouvidas por toda a parte, hein?

Eu especifico bem, você observará, já, modificações importantes.


Isso foi descrito, se posso dizer, quando das passagens anteriores de Nibiru na fase intermediária, ou seja, não nos ciclos de respiração cósmica de vinte e cinco mil anos, mas passagens diferentes, em relação à órbita da Terra, que havia ocasionado, também, o dilúvio, por exemplo, há certo tempo.

Mas, também, os seres que começam a ouvir sons, sobretudo quando esses sons são permanentes, ou seja..., quando eles duram uma hora, uma noite, e desaparece, não é grave, mas, quando não, unicamente, eles forem ouvidos por toda a parte e progressivamente, em intensidade cada hora e cada dia, é evidente que as reações de cada ser humano serão diferentes, em função de sua própria ressonância.

Alguns poderão, já, viver, eu diria, a Liberação, antes, mesmo, da estase, cairão de joelhos, antes, mesmo, do Apelo de Maria, sem saber, contudo, o que há em seguida.

Porque haverá uma espécie de reconexão da consciência e uma reconexão do DNA específico, que é ligado a essas vibrações e esses sons.

Agora, haverá, é claro, muitos irmãos e irmãs que estarão, naquele momento, na resistência em relação ao medo da morte, ao medo do que isso significa, e que estarão em situações, talvez, de angústia ou de grande alegria.

Tudo será possível.

Isso será diferente, é claro, no momento do Apelo de Maria e no momento da estase, mas a instalação na estase far-se-á de maneira abrupta, o mais tardar, vinte e quatro horas após o Apelo de Maria – porque haverá, ainda, os que serão capazes de resistir, porque a resistência vital deles, o fogo vital não quer deixar-se apagar.

Esse fogo auto mantém-se pelas emoções, os medos, e não deixa o fogo vibral agir.

Assim, portanto, o princípio dos três dias de estase concerne, como você sabe, a todas as consciências, durante este período, porque não há apenas os sons que agem, é claro, há as modificações, ao mesmo tempo, gravitacionais, ao mesmo tempo, de rotação da Terra, os sinais celestes e tudo isso, se quer, cria um cortejo muito apocalíptico, como lhes mostraram alguns filmes e como está escrito, também, no Apocalipse de São João.

Todos esses sinais serão evidentes, mesmo para aqueles que não se interessam por todos esses dados históricos ou proféticos, e que não se interessaram pelo que acontecia na Terra ou neles, que estavam demasiado tomados pela vida material ou a vida afetiva, ou a vida nesse mundo.

Isso representará o maior choque da humanidade.

Você sabe que o Choque da Humanidade já é vivido, para alguns de vocês.

Há outros que dormem ainda, literalmente, e que de nada suspeitam, absolutamente, quer seja por negação ou, realmente, por ausência de percepções, se posso dizer, vibratórias ou de consciência.

Mas a estase será mais ou menos progressiva, mais ou menos abrupta, segundo seu posicionamento, segundo o posicionamento de cada irmão e irmã, portanto, não há regra formal aí.

Se quer, é como o aspecto cronológico que lhes foi apresentado em uma sucessão precisa.

A única sucessão lógica é: Trombetas, Apelo de Maria, estase.


Houve, ontem, questões em relação aos cento e trinta e dois dias, é claro.

Os cento e trinta e dois dias foram, inicialmente, previstos, e continuam previstos para serem após a estase, no despertar da estase.

Quer você desperte nesse mundo, em outro mundo, em um Círculo de Fogo ou que você não desperte, absolutamente, isso nada mudará.

Mas, para aqueles que despertarem, o ambiente será profundamente diferente: o Sol não nascerá mais no mesmo lugar, as estrelas do céu não estarão mais no mesmo lugar, e a própria Terra não apresentará, absolutamente, a mesma configuração que aquela que você conhece hoje.

Não se passa de maneira silenciosa, eu diria, de um tamanho a outro tamanho, para um sistema solar, é claro.

Portanto, tudo isso faz mudanças importantes, nas quais cada um estará de face ao que ele co-criou na co-criação consciente, no feminino sagrado também, segundo sua aceitação ou não, seu reconhecimento ou não, ou sua rejeição de Maria.

Mesmo se, naquele momento, for destrancada uma das portas essenciais, no interior de seu casulo de luz e de seu corpo físico, mas, também, ao nível do corpo de Existência, que lhe dará uma percepção cada vez mais nítida – que muitas pessoas ignoram, de momento – por exemplo, os elementais, as entidades, os sons sutis.

Tudo estará visível, nada será escondido naquele momento, então, é claro, você pode imaginar que, para aqueles que jamais viram uma entidade, ou jamais sentiram uma entidade, isso será uma grande, uma grande surpresa, é claro.

Mas vocês, vocês estão habituados, a maior parte.

Portanto, a estase começará, frequentemente, de maneira abrupta.

Haverá, após o Apelo de Maria, no momento real dos três dias, eu penso, durante as primeiras horas, as primeiras vinte e quatro horas, seres que estarão na resistência.

Mas não há outro modo de atualizar e de realizar, de registrar, como eu disse ontem, o Juramento e a Promessa, tal como lhe foi explicado pela Fonte.

Está inscrito em você, portanto, é preciso vivê-lo, nesse momento.
Outra questão.

Questão: por que é importante que a Ascensão ocorra no corpo físico?




Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação.
Célia G.
Leituras Para os Filhos da Luz

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...