29/03/2016

O.M. AÏVANHOV – REVELAÇÕES - Parte 3 - (b)

"O que vocês chamam de segundo sol não é 
a anã marrom".


"A anã marrom, você não a verá, você verá 
um dos planetas que se chama 
Nibiru ou Hercobulus".

"Mas Nibiru será indiscutível, para toda a Terra".

O.M. AÏVANHOV
Continuação parte 3(a)


Outra questão.

Questão: por que é importante que a Ascensão ocorra no corpo físico?

Porque a Ascensão, se ela não concerne ao corpo, é uma ilusão.

Então, é claro, nós dissemos que aqueles que faleceram, eu o repeti ontem, eram mantidos em um espaço intermediário, um pouco como nós, em nossas embarcações interdimensionais, mas estabilizados – o que equivaleria, se quiser, ao que está a meio caminho entre nosso corpo de Existência de 5D e uma 3D unificada.


Nós não temos corpo físico, mas nosso corpo etéreo não desapareceu.

E, aliás, aqueles que viveram ver-nos nas embarcações, e aqueles que nos contatam aqui mesmo, onde vocês estão nesse plano terrestre, apercebem-nos com traços, eu diria, familiares, que eram os traços não de sua velhice, mas de nossa maturidade, eu quero dizer.

Apenas os Arcanjos têm a chance de poder apresentar-se em estrutura de jovens muito belos, por exemplo, eu penso, em especial, em Miguel, mas nós não.

Nós mantivemos, é claro, um resquício de forma, inscrita em nosso etéreo, porque nossa memória terrestre, e o que nós realizamos, todos os Anciões nessa Terra, serve-nos, obviamente, uma vez que nós conhecemos a Terra, nós ali peregrinamos, como vocês, nós ali nos investimos, nós transmitimos coisas.

E essas coisas são importantes para todo o trabalho que tem sido realizado, desde as Núpcias Celestes e já antes, para muitos de nós.

A questão foi o quê?

Questão: por que é importante que a Ascensão ocorra nesse corpo físico?

Sim, então, por que no corpo físico?

Porque é sua carne...

Eu o lembro de que a alma – se ela está aí – está inscrita, é claro, em todo o corpo, mesmo se haja um alojamento da alma no fígado e no coração, assim como existe um chacra para o Espírito, que é a porta Unidade, como você sabe.

Mas a Ascensão deve interessar todas as estruturas efêmeras.

Não pode ali haver borboleta se não há lagarta.

A lagarta elabora-se, ela nasce, e ela elabora a borboleta, no próprio interior dessa estrutura.

Se eu empreguei a expressão lagarta e borboleta, não foi por acaso.

Então, é claro, para aqueles que faleceram e que estão na estase, eles conservaram, também, a estrutura etérea para viver a Liberação, para assumir o que eles terão a fazer durante os cento e trinta e dois dias.

E, aliás, nós havíamos dito, para aqueles que iriam aos Círculos de Fogo, quer seja com o corpo físico ou sem o corpo físico, não faz diferença alguma.

Você se reconhecerá em uma estrutura quase física, eu posso dizer, mesmo se o corpo físico não esteja mais aí, porque, justamente, terá havido uma transmutação total do corpo etéreo que vai pôr fim, se quiser, pela Luz vibral e pelo Apelo de Maria, e pela radiação de tudo o que você conhece: o Ultravioleta, o núcleo intraterrestre, o Sol, Nibiru, a Fonte…

Tudo isso vai alquimizar essa transubstanciação da energia vital em energia vibral e uma estrutura nova aparecerá – se perde o corpo físico – que misturará traços etéreos de sua última vida e que se traduzirá por uma forma reconhecível.


É claro, aqueles de vocês que devem tomar seu vôo, e que nada mais têm a fazer nos cento e trinta e dois dias, poderão ser liberados naquele momento.

E, naquele momento, eles não terão necessidade do corpo físico nem do corpo etéreo.

Mas a transmutação da matéria é igual à Ascensão.

Você vibra de um determinado plano, em determinadas frequências, e você sobe a outra oitava vibratória, e o agenciamento dos corpos sutis, mesmo se estiverem presentes apenas durante os cento e trinta e dois dias, deve estar em perfeita sincronia ou adequação com o corpo de Existência, de maneira a que tudo ocorra bem.

Portanto, a Ascensão acontece no corpo.

A Liberação nada tem a ver com isso, uma vez que eu acabo de dizer-lhe que alguns seres não terão necessidade de esperar, se posso dizer, o que eu havia nomeado o planeta grelha final para serem definitivamente liberados.

E eu havia dito, também, sem humor, que havia, também, a nutrição, é claro, e que se preparava certo presente para os Arcontes.

Mas a Ascensão, nós lhes temos dito e repetido, de muitos diferentes modos, ela acontece aqui e agora; ela não é amanhã, ela não é alhures, ela não é em outro espaço ou em outro tempo.

E a estrutura física é «a estrutura» na qual se apoiou o corpo de Existência.

Quer seja aquele que desceu do Sol ou que se re-sintetizou, ao idêntico – enfim, no interior – em torno de seu corpo físico e de seus casulos sutis.

Hein, é o elo, se quiser, importante, é a Ascensão da matéria.

Então, se não há matéria, não há Ascensão, uma vez que vocês já estão liberados.

Não é?

Portanto, o que é importante, e lembre-se, eu repito – porque, aí também, eu me deixei influenciar pelas palavrasa Liberação não é a Ascensão.

Cada um tem uma evolução diferente, mesmo estando liberado.

Hein, eu repito: jamais foi dito que o conjunto de consciências da Terra ascensionava.

Os dragões, os elfos vão recuperar a Terra na superfície, na quinta dimensão.

Alguns humanos descerão ao Intraterra, na 3D unificada ou 5D, porque eles terão vontade de ir lá.

É isso a atribuição vibral.

A destinação não é função, doravante, de um trabalho ou do que quer que seja, é a realização do que você é ou do que você pensa ser, se você pensa ainda.

Portanto, é a liberação da Terra que não pode acontecer...

A Ascensão apenas pode acontecer no corpo, mas a Liberação pode ser, como eu posso dizer.., direta.

Imagine, por exemplo, que você não tem função, ou papel, se prefere, na cena final desse teatro, por que você quer esperar cento e trinta e dois dias?

Nem todo mundo tem necessidade de viver certo número de ensinamentos vividos, vibratórios, por Metatron ou os Arcanjos nos Círculos de Fogo, sobretudo aqueles que não têm necessidade de corpo de Existência e que se estabelecerão no Samadhi perpétuo – a consciência não tem mais necessidade de jogar.

Portanto, aí, exceto se eles têm um papel transitório durante os cento e trinta e dois dias, esses Espíritos, essas consciências reencontrarão uma liberdade total, e elas não terão necessidade, eu diria, de apoiar os irmãos e as irmãs presentes na Terra, em seu processo ascensional e no processo de Liberação.

Outra questão?

Questão: quais são as consequências do uso de aparelhos dentários para os adolescentes?

Os adolescentes usam aparelhos dentários?

Vocês perdem os dentes na Terra ou o quê?

Questão: alguns adolescentes.

Ah são aparelhagens, é para retificar os dentes.

Sim, eu estava nos..., você sabe, as dentaduras, à época, hein?
 Como vocês chamam isso?

As pontes.

Aí, você não fala disso, não é?

Questão: não, os aparelhos dentários.

O que é que isso quer dizer, as consequências?

É o material que é colocado na boca, é isso?

Questão: sim.

Então, é o metal.

Às vezes, não é o metal, eu não sei.

Questão: é, geralmente, para retificar os dentes.

Sim, a dentição...

Como você constata, as crianças que nascem há trinta anos, muitas, muitas têm problemas de alinhamento dentário.

Você acredita que seja a Luz que faz isso?

Não, é claro.

São os pesticidas e as ondas com os quais vocês são espancados que têm desencadeado essas anomalias dentárias.

Então, é claro, depois, no plano estético e funcional, isso pode ser retificado, não é?

Mas, assim que você tenha um metal em algum lugar, isso interage ao nível do corpo físico, mas cada um é diferente em relação a isso.

Às vezes não há consequências, às vezes há consequências, mas elas não são, necessariamente, visíveis imediatamente, porque, assim que você toca a engrenagem, as posições dos dentes, você vai provocar repercussões em diferentes níveis.

Já nas regiões que estão em ressonância com os dentes, mas localmente, também, ao nível de todo equilíbrio do maxilar, mas, também, das vértebras cervicais e, mesmo, dos ossos cranianos.

Portanto, pode haver desequilíbrios ósseos, perdão, osteopáticos, dores que podem aparecer quando desses equilíbrios.

Mas isso não é constante.

Eu penso que, aí também, isso deve ser profundamente diferente para cada um.

Há irmãos e irmãs que têm o metal na boca e que não sofrem com isso.

Agora, será que o fato de ter o metal tem, sempre, uma incidência?

Não, isso não é verdade.

Isso depende, eu repito, das sensibilidades pessoais, e eu penso que, para esse gênero de aparelhagem que retifica os dentes, é exatamente a mesma coisa.

Mas não se pode generalizar.

Questão: e sobre as pessoas que têm marcapassos ou eletrodos cerebrais?

Então, aí, os circuitos elétricos que são implantados no corpo, isso arrisca ficar muito esquisito, hein?

Eu o lembro de que, no momento da estase, não haverá mais, em nenhum lugar, eletricidade na Terra.

A eletricidade não poderá mais existir.

Tudo o que é circuito eletrônico, toda sua maravilha tecnológica, computadores e tudo, você pode esquecer tudo isso – as centrais também, aliás.

Mesmo se, efetivamente, existam, sobretudo, os Arcturianos e alguns Vegalianos que vigiam para que os inconvenientes dessas centrais que foram colocadas em lugares, é claro, extremamente inteligentes, pelos seres que controlam a Terra até agora, não é feito para evitar as catástrofes, mas, bem mais, para aumentá-las.

Eu o lembro, aliás, de que, quando houve um tsunami, eu creio, há vários anos, há mais de dez anos, central, uma central foi afetada.

E se os irmãos Vegalianos não tivessem intervindo, não, unicamente, para salvar alguns seres que nada tinham a fazer nesse cenário de afogamento quando do tsunami, eles intervieram, também, para..., para frear, não limitar, mas orientar, eu diria, a radioatividade que escapou, com o menos de danos possível.

Na medida em que essa intervenção não devia ser demasiado visível, se posso dizer, naquela época.

Eu assinalo, aliás, que muito numerosos países, há três anos, aproximadamente, fazem o objeto de sobrevoos pelo que vocês chamam de óvnis ou de drones, sobre todas as centrais nucleares do planeta, para mapear e observar, se querem, as zonas de falha ou de fragilidade nessas instalações.

Não para preservar alguma coisa ao nível da Terra, mas, bem mais, para evitar que alguns seres específicos – e isso corresponde, de qualquer forma, a muitos milhões de pessoasnão sejam afetados no processo de estase e de Ascensão e de Liberação.

Mas, ainda uma vez, isso quer dizer o quê, «para aqueles que têm aparelhos elétricos no...»?

Na cabeça, isso arrisca ficar esquisito, mas, no coração, bem, eu não sei como ele vai reagir, isso depende da patologia que está subjacente.

Mas não se deve mais contar com os eletrodos na cabeça ou o marcapasso, hein?

É o mesmo para tudo o que é eletrônico.

Aliás, você constata que as anomalias elétricas são cada vez mais presentes na Terra.

Quando houve a Obra no Azul, ou seja, nos anos 2010, da qual Sri Aurobindo informou-lhes, houve as primeiras ondas de transformadores que explodiam na Terra.

Há cada vez mais instalações elétricas básicas, mas que não se chama de eletrônicas, por exemplo, os transformadores, que explodem.

Isso não é ligado ao raio, é ligado às modificações geomagnéticas, é claro.

E isso será geral, a partir do instante em que Nibiru estiver visível no céu, de maneira objetiva.

Não em alguns lugares, como é o caso, atualmente, de maneira verídica – e não por artefatos de imagens que vocês chamam, não sei como, de imagens que não são verdadeiras imagens – nem pelas imagens fantasmas de Nibiru, mas há inumeráveis lugares na Terra nos quais câmeras de vigilância, como vocês as chamam, registram e veem, em diferentes momentos do dia, algo de específico, como um segundo sol.

Mas isso ainda não é geral, é em algumas horas, sob algumas latitudes e em alguns lugares.

Mas é, efetivamente, cada vez mais visível, mas não é, ainda, um processo coletivo.


Ontem, eu dizia que alguns haviam canalizado Hercobulus, outros o vivem em sonho, outros vivem um contato com essa esfera, mas não é, ainda, visível por toda a parte com os olhos, sem qualquer aparelho.

Mas isso começa – isso acontecerá muito em breve.

Mas assim que Nibiru for visível, você sabe que tudo vai encadear-se naquele momento, absolutamente tudo.

Eu não falo, unicamente, dos aspectos espirituais, mas, como é o caso – e a cada fim de ciclo, mesmo intermediário sem liberação – há, por exemplo, o mito do dilúvio, quando da última passagem de Nibiru.

Mas essa passagem de Nibiru não foi eficaz, se posso dizer, como é o caso todos os vinte e cinco mil anos, porque as embarcações dos Arcontes, como dizer..., haviam freado o impacto de Nibiru e impediam destruições demasiado importantes.

Aí, não é mais o caso.

A embarcação de sucata partiu a partir de 2009parece-me.(*Obs. S.Estr. Nesse ano Nibiru sucata, ou nave Draconiana foi afastada para longe de sua orbita costumeira, onde se aproximava da Terra para sugar almas desprevenidas e que não acordaram para o que são. Esse afastamento se deu pela Confederação Galática da Luz, conforme já relatou Aivanonhv em outra oportunidade)

Portanto, as aparelhagens elétricas...

E, aliás, há, também, mesmo ao nível, como vocês chamam isso..., dos fusíveis, por exemplo, nos automóveis, panes eletrônicas, como o que sobrevém, de repente, e cinco minutos depois voltam a funcionar.

É o mesmo processo que as grandes cargas vibrais que afetaram alguns transformadores e que continuam a afetá-los, em alguns lugares na Terra.

Mas eu já havia explicitado tudo isso, há numerosos anos.

Outra questão.

Questão: Hercobulus, Nibiru, é uma anã marrom?
Se sim, como poderíamos distingui-lo quando de sua chegada em nossos céus?

Ah, mas eu jamais disse que você poderá ver todo o sistema solar que concerne ao segundo sol.

O que vocês chamam de segundo sol não é a anã marrom.

A anã marrom, você não a verá, você verá um dos planetas que se chama Nibiru ou Hercobulus.

É um conjunto de planetas.

Haverá, também, luas, há outros planetas, é a interação de um sistema solar com outro sistema solar que havia sido separado pelos maus rapazes.

Portanto, o que você verá, vocês, são sete dias de segundo sol, nada mais, nada menos.

A menos que tenha equipamentos específicos, ou com telescópios astronômicos, se você tem a oportunidade de olhar, naquele momento, como o fazem as elites da Terra, os maus rapazes, com seus telescópios gigantes.

Eles sabem, perfeitamente, a composição desse sistema solar.

Mas o que nos interessa, em relação à liberação do sistema, isso foi, primeiro, que a embarcação dos Arcontes não existe mais nessa galáxia(*), segundo, que o núcleo cristalino da Terra foi liberado, que os corpos de Existência ao nível do Sol – ou seja, desta vez, a heliosfera – foram liberados, durante as Núpcias Celestes, para alguns de vocês, e que, agora, resta apenas atualizar isso, aos níveis os mais densos, é tudo.

Portanto, o que você verá, por toda a parte sobre a Terra, é um planeta um pouco sujo, mais vermelho do que o Sol, é claro, segundo os ângulos nos quais você olha, conforme você esteja no polo norte, no polo sul, no hemisfério norte, no hemisfério sul, a tal hora do dia ou da noite, mas você constatará – e o pânico virá daí – que você verá, primeiro, uma espécie de estrela cadente, que permanece fixa e que cresce, dia a dia – e visível tanto de dia como à noite, é claro.

Mas é como para as Trombetas.

Alguns as têm ouvido, já, há anos, e alguns têm visto, realmente, a imagem fantasma de Nibiru.

Mas não Nibiru, realmente, mas é, já, o anúncio da aproximação de Nibiru.

Nibiru, como você sabe, é conhecido há muito tempo.

Primeiro, através dos escritos sumérios, através dos mitos e das lendas de todos os povos da Terra, através do mito do dilúvio e da realidade do dilúvio – existem, aliás, provas, tanto oceanográficas como geológicas desse dilúvio, como para os basculamentos magnéticos dos polos.

Os vulcões que despertaram agora, quase na totalidade, e que, se você olha suas mídias, você verá os sites de monitoramento dos vulcões que, já desde dezembro, mas, sobretudo, desde alguns dias, as colunas de fumaça e de ejeções sobem cada vez mais alto no céu.

Tudo isso, é claro, é ligado à chegada de Nibiru e às modificações eletromagnéticas que já começaram.

Mas Nibiru será indiscutível, para a toda a Terra.

É claro, haverá, sempre, irmãos e irmãs que evitarão, cuidadosamente, olhar no ar, e que quererão continuar, até a estase, a mesma coisa – uma negação total – outros estarão muito na raiva, em especial nos meios ditos espirituais.

Todos aqueles que haviam projetado a melhoria, a transformação nessa dimensão, e que criaram, em sua projeção de ilusão, uma negação da verdade.

Então, é claro, naquele momento, você verá que alguns vão dizer que não é um planeta.

Aqueles que creem na manipulação, mas sem lado espiritual, vão dizer que é, ainda, uma criação ilusória dos fantoches, aqueles que vocês nomeiam osIluminatti com os projetos, como eles foram chamados, Blue Beam, Haarp e tudo isso – que isso será um holograma, que não é verdadeiro.

Mas você não poderá, naquele momento, negar o início da falência do sistema eletrônico, a falência total do sistema bancário, dos sistemas políticos, dos sistemas financeiros e das guerras onipresentes em cada esquina.

Então, nisso, haverá uma relação de causa e efeito que será feita, eu espero, em todo caso, pela maior parte dos irmãos e das irmãs adormecidos.

Mas isso dito, quando isso se produziu nas fases intermediárias de passagem de Nibiru, houve, sempre, escritos que foram relatados.

Então, é claro, desta vez, como Bença Deunov havia visto, é um fogo que vai descer do céu, um fogo devorador para o ego, não para a Luz.

Aqueles que já estão na Luz ou que têm uma das Coroas aberta viverão um banho maravilhoso de Amor e de Luz.

Mas aqueles que estão inscritos na personalidade, na negação, viverão um fogo devorador que será uma verdadeira tortura.

Que terão dificuldade, aliás, para serem apaziguados, para isso, pelo Apelo de Maria, mesmo se eles reconheçam sua Mãe.

Mas tudo isso já se produziu há três mil, três mil e seiscentos anos, quando do dilúvio bíblico, quando das guerras que estavam presentes naquele momento.

Naquele momento, aqueles que estarão nos campos de batalha depositarão suas armas.

Eu o lembro, de qualquer forma, de que, exceto no Ocidente, onde tudo foi feito pelos fantoches para impedi-los de conhecer a verdade, há outras religiões, em especial no Islam, nas quais esse astro é descrito.

Ele é descrito no Apocalipse também.

Mas quem acredita na realidade disso?

Os cientistas, porque eles têm os meios de cálculo, mas, sobretudo, não os espiritualistas.

A maior parte de vocês fala, na Nova Era, de NESARA, de melhoria do mundo, que «todo mundo é belo, todo mundo é gentil», que haverá a unidade por toda a parte, a partilha por toda a parte.

Cada um viverá o que ele tem a viver naquele momento.

Mas será a mesma coisa que será vista por todo mundo e, como eu disse, não será uma hora ou duas por dia, ao nascer e ao pôr do Sol, como em alguns lugares, será algo que vocês verão aproximar-se, que crescerá a cada dia – e as consequências na Terra serão memoráveis, é claro.

Será o pandemônio, exceto para aqueles que se nutrirão, naquele momento, desse Fogo do Céu, desse primeiro Fogo do Céu.

Porque eu o lembro de que o planeta grelha final, como havia dito Ramatan, é ligado à transformação desse sol em outra coisa que não o que ele é atualmente.

Isso havia sido explicado, eu creio, por Ramatan, tudo isso e, também, sobretudo, por Sereti, não é? Há muito tempo, foi em 2005 ou 2006.

Tudo o que havia..., a reabsorção de Mercúrio, a mudança de órbita da Terra, a retificação do eixo de inclinação dos planetas é uma realidade.

Outra questão.

Questão: sendo da 3D e não liberada viva, eu gostaria de saber se a sobrevinda do Evento, anunciada como iminente nos últimos oito anos, é para considerar em meses ou em anos?

Em semanas, em dias.

Você vê muito bem o que acontece na Terra, informe-se.

Eu o disse ontem.

Isso são as primícias do aparecimento de algo de visível, mas os efeitos de Nibiru estão presentes há trinta anosdesde a primeira descida do Espírito Santo.

A grande diferença é que a embarcação Arcôntica foi banida, como se diz, em agosto de 2009, (Coforme comentei acima. S.Estr.)quando da transmissão das cinco primeiras chaves Metatrônicas.

Agora, eu repito, devido a que haverá, de algum modo, um acoplamento entre o aparecimento de Nibiru, e quanto mais se avança no tempo e quanto mais isso lhe pareça defasado, mais, como se diz, tudo acontecerá de maneira simultânea, hein?...

Você vê bem, por exemplo, que se tenta esconder das multidões e do povo o estado da Terra, a fraude do roubo e da manipulação, da falsificação, mesmo ao nível humano, sem, mesmo, falar dos Arcontes ou dos Annunakis, não é?

E ainda menos de Yaldébaoth.

Simplesmente, ao observar o que fazem os humanos há, de qualquer forma, uma tomada de consciência sobre o que é nomeado, é claro, por esses seres: a conspiração.

Mas a conspiração é real desde que o mundo é mundo, não é, unicamente, agora.

Simplesmente, os meios de ação daqueles que fazem parte disso são multiplicados pelas tecnologias.

Lembre-se do episódio da epidemia que houve após as Núpcias Celestes e do vírus para o qual era preciso encontrar uma vacina.

O único objetivo dessa vacina, à época, que, felizmente, não se fez, era congelar seu DNA.

Eu havia dado, aliás – mas isso não foi desvendado à época – o modo de proceder se, verdadeiramente, a vacinação tivesse ocorrido.

Mas ela não ocorreu.

Portanto, se quiser, há, como dizer..., não são canais, mas irmãos e irmãs humanos que falam, sem parar, da gazeta dos eventos que se desenrolam em um nível sutil, de pseudocombate, se se pode dizer, entre as forças da Confederação Intergaláctica e os fantoches, e seus aliados.

Mas lembre-se de que você não é concernido por isso.

Isso concerne aos irmãos e irmãs que fizeram a escolha – mesmo se eles não o saibam de maneira concretada dualidade, porque eles procuram o bem.

Eles não integraram a superação do bem e do mal.

Mas isso é problema deles, é a liberdade deles, eu diria.

Não é, mesmo, um problema, é assumir sua co-criação consciente.

O que é que você tem criado, qualquer que seja sua idade, durante essa vida e, em especial, há trinta anos?

O que você construiu, ao nível de sua consciência?

O que você desconstruiu?

O que você fez?

Qualquer que seja sua idade hoje, hein?

É, eu diria, uma vida especial. 

Porque é a vida na qual tudo é recapitulado.

E na qual se vê em sua carne e em sua vida, muito precisamente agora, onde você está.

Mas, eu repito, e eu insisto, lembre-se de que agora nada há a ganhar e nada a perder.

Você está apenas em face de si mesmo e de sua verdade.

Não é questão de julgar, como eu o repeti, também, numerosas vezes, os irmãos e as irmãs que fizeram a escolha da matéria, uma vez que a matéria está liberada.

Você vê o que eu quero dizer?

Cada um está, muito exatamente, no lugar preciso em que deve estar, quer ele esteja de acordo ou não, aliás.

A um dado momento, eu empreguei essa expressão também ontem, os ciclos temporais juntam-se.

É a Passagem, o Face a Face final.

E depois, depois dessa passagem, depois dos três dias, cada um estará, exatamente, aí, onde está a porta de sua consciência e sua vibração, com ou sem o corpo físico.

Não hesite em intervir, progressivamente e à medida dessas questões escritas, se há necessidade de complemento, não é?

Questão: a NASA fala de um meteorito X-68 que se aproximaria da Terra entre 7 e 11 de março.
Isso tem uma relação com Nibiru?

Isso não é um meteorito, é um asteroide; não é, absolutamente, a mesma coisa.

A questão é o quê?

Questão: a NASA diz que ele tem uma potência que corresponderia, se explodisse, a várias vezes Hiroshima.
Isso pode ter uma incidência sobre nós?

Mas, de qualquer modo, tudo o que acontece em seu céu, pequeno ou grande, tem uma influência, porque é carregado eletricamente.

O universo é elétrico.

Ele é eletromagnético, a partir de seu ponto de vista na Terra, mas a criação material é elétrica.

É o que você chama de plasma.

Então, quando um meteorito, quer ele tenha dez centímetros, quer tenha vários metros, quer tenha o tamanho de uma casa, tem cargas elétricas...

E são essas cargas elétricas que estão em interação com o que está em torno da Terra, a atmosfera, a ionosfera em torno do Sol, que criam os movimentos, não é o boom na Terra ou o fato de que ele cai na Terra.

Eu disse que Miguel arava a Terra, nesse momento.

Há meteoritos que são cada vez mais visíveis, bolas de fogo, como se diz.

Alguns são meteoritos, outros são asteroides, outros são objetos diversos, mas que fazem parte, inteiramente, do que foi expulso pelo sistema solar chamado Nibiru, quando ele passou através da nuvem de Oort, ao aproximar-se desse Sistema Solar.

E ele empurrou, diante dele, milhares de pedras.

Houve, já, impactos consequentes, por exemplo, eu creio que nos anos 2000 ou 2004, em Júpiter, com um cometa que portava um nome complicado, eu não sei mais como ele se chamava…

Eu havia partido, bom, foi depois...

Isso faz, sim, isso faz pouco mais de dez anos.

E houve a observação direta desses impactos meteoríticos.

Mas o meteorito não tem necessidade, mesmo se ele tocar a terra, e alguns deles tocarão a terra, o efeito elétrico é bem mais importante, e os asteroides aproximam-se da Terra, ou seja, eles estão abaixo da distância do que vocês chamam Terra-Lua.

E quanto mais o asteroide está próximo, qualquer que seja seu tamanho, mais ele provoca modificações elétricas.


O que você não sabe, talvez, o que está no alto é como o que está embaixo.

Isso quer dizer que o que cerca a Terra, eletricamente – as cargas elétricas da Terra – encontram-se com um gradiente ao nível da ionosfera e, quando há um carro que passa, ele cria um campo elétrico e um plasma que irá modificar, por interação, a ionosfera, e a ionosfera é conectada, diretamente, às cargas elétricas da Terra.

Eu falei, ontem, das dolinas que eram...

Quando há um vórtice que se cria, de Luz vibral – fora dos povos da natureza – a terra abre-se.

E os dragões intervêm, naquele momento, e você verá que as dolinas, os buracos na terra, qualquer que seja seu tamanho, são perfeitamente redondos.

É o sopro dos dragões que realiza isso, não há tecnologia, no sentido em que você entende.

Simplesmente, para permitir diminuir a pressão, se posso dizer.

E você pode imaginar que as camadas isolantes de que eu falei há muito tempo, estavam, já, em vias de desagregação; era ligado às linhas de predação.

Mas se isso acontece na ionosfera, isso reage, instantaneamente, na Terra.

Portanto, você pode imaginar que os carros que passam e que são vistos, em cada vez maior número, têm, a cada vez, efeitos importantes na ionosfera e na Terra; eles não têm necessidade de tocar a Terra, nem mesmo ser visíveis por seus olhos.

Ora, você atravessa uma nuvem de fragmentos cometários, enfim, você está nas bordas, eu diria, dessa nuvem de fragmentos cometários, e que ela vai, ela também, mais ou menos rapidamente, em função do que Nibiru encontra em sua rota como pensamentos, como egrégoras e o que há a trabalhar nesse nível.

Portanto, para esse, eu não sei, mas é evidente que se um asteroide, um meteorito passa mais próximo da Terra, por exemplo, digamos, a algumas dezenas de milhares de quilômetros, e não além da distância Terra-Lua, os efeitos são maiores nos sismos, nas placas tectônicas, nos vulcões e na própria consciência.

Alguns Melquisedeques que não se exprimiram entre vocês escreveram sobre isso na vida deles.

Por exemplo, havia o ensinamento de Rudolf Steiner, que falava, perfeitamente, da missão de Miguel, e os corpos cometários, e os corpos asteroides são a representação, em sua dimensão, de Miguel.

Isso não quer dizer que uma pedra seja Miguel mas, de algum modo, sim – ela é a representação de sua energia densificada.

E é por isso que eu empreguei o termo «arar o céu e a Terra».

São frequências novas que são impulsionadas.

Não são as chaves Metatrônicas, mas é por pequenos toques, o que vai, como eu havia explicado, romper a ionosfera; em contrapartida, isso rompe a Terra.

Os dragões vigiam para que os buracos sejam com uma repartição máxima regular das forças de tensão, para que a terra não se rompa de repente, mas, como você vê, há lugares nos quais ela já se rompeu, seguindo linhas muito longas.

Isso, é quando os dragões não puderam intervir para aliviar a pressão no lugar da fratura tectônica ou da fratura do manto terrestre.

É muito mecânico tudo isso.

Portanto, para ele, é evidente que se lhe anunciam um asteroide ou um meteorito que passa abaixo da distância Terra-Luz, seu efeito será constatado na Terra.

Então, quer você o veja ou não a olho nu, aliás, mas há dezenas de outros, ou mesmo centenas de outros que estão a caminho.

E eu não falo de Nibiru, eu falo do que é antes de Nibiru, e que vai, talvez, ser sincrônico também.

Isso depende do ajuste das velocidades relativas dos corpos em movimento.

A Terra está em movimento, o Sistema Solar está em movimento, a órbita de Nibiru e a órbita desses meteoritos nada têm a ver com o que vocês nomeiam o plano do eclíptico, uma vez que há um ângulo diferente, o que explica que isso seja invisível até um determinado momento preciso e que não é função, simplesmente, da distância, mas, também, do ângulo.

E esse meteorito, esse asteroide, como outros, aliás, que chegarão antes dessa data, ou seja, antes da data dada pela NASAque jamais diz a verdade, aliás – vocês verão, efetivamente, por si mesmos.

Mas os efeitos, vocês poderão observá-los nos vulcões, nas placas tectônicas, em sua consciência e na sociedade, em sua totalidade.

E eu os lembro de que, de todos os tempos, há sinais celestes.

Os sinais celestes, hoje, são ignorados – porque não se quer que vocês saibam.

Mas, nas astrologias extremamente antigas, havia uma correlação entre os cometas, asteroides ou meteoritos visíveis a olho nu, quando eles atravessavam tal constelação, tal efeito esperado, e era perfeitamente conhecido.

Por que havia observatórios astronômicos em todos os povos: os Mayas, os Egípcios, os Hebreus, os Assírios?

Por toda a parte.

Porque esse conhecimento não era vendado, à época, e todo mundo perscrutava o céu para ver os sinais.

Mas, hoje, arrasta-se isso com escárnio, porque os cientistas escondem-no e as mídias escondem-no de modo muito hábil.

Mas o que se produz em seu céu não é, jamais, insignificante, é claro.

Portanto, para esse, eu não sei mais como ele se chama, você disse, aliás...

Questão: X-68

Se é estimado e dado para passar abaixo da distância Terra-Lua e, também, em função de sua velocidade, é claro – as cargas elétricas não são as mesmas – de sua massa, de sua composição, o efeito de plasma e de ionização da ionosfera e, também, da atmosfera – isso desce mais baixo – será cada vez mais visível.

E isso concerne aos elementos, mas, também, aos elementos em vocês.

Mas daí a dizer que esse asteroide dará a imagem de Nibiru, a menos que haja uma sincronia de aproximação dos dois, não se pode dizê-lo.

Olhe, por exemplo, quando eu falei da segunda Estrela que devia aparecer, o mais tardar, em 7 de janeiro de 2016.

Ela apareceu, mas não era Nibiru – mas é, entretanto, o que se chama a segunda Estrela.

As estrelas são os sinais na astrologia caldeia, suméria, assíria, babilônia mesmo; esses sinais celestes são os marcadores de grandes transformações coletivas, extremamente importantes, segundo as estrelas fixas ou as constelações que são atravessadas, ou seja, a partir do ponto de vista terrestre, o que vocês observam.

Eu os convido a olhar os últimos cometas visíveis a olho nu, onde eles estavam no céu, há..., como vocês chamam isso..., calendários para isso, nos quais se pode retraçar o percurso desses cometas e os sinais atravessados, os sinais zodiacais ou as estrelas fixas.

E, a cada vez, como o fizeram os Caldeus, os Assírios, os Sumérios, eles observaram, simplesmente, a correlação entre o sinal celeste e o que se desenrolava na Terra.

Há, mesmo, uma astrologia nomeada cometária.

E Steiner havia dito que os cometas, os asteroides, o que ara o céu são as emanações de Miguel e das forças Micaélicas.

Você sabe, é diferente ouvir falar de meteoritos, ver vídeos de meteoritos, como aquele que caiu, há dois anos, do que estar no lugar.

Pergunte àqueles que viveram o boom cósmico de um meteorito ou a explosão de um meteorito, mesmo se ele não tenha tocado a terra, qual efeito isso teve neles.

É o terror que os apreende, porque é tão fora do campo do conhecidomesmo se vocês o conheçam, não é vivido – enquanto vocês não o veem e não o vivem de onde vocês estão, vocês podem apenas ter os aspectos visuais disso, mas vocês não têm o aspecto na consciência.

Ora, aí, há os meteoritos e os asteroides que são em número cada vez mais importante, visíveis por cada vez mais pessoas em diferentes lugares do mundo e, portanto, o efeito começa a ser sensível.

Para aqueles que o vivem, não para aqueles que olham a TV, hein?..., ou suas mídias habituais, a internet.

Outra questão.

A menos que haja necessidade de um complemento de informação ou de clarificação sobre isso.

Questão: se a única coisa que conta é a liberdade interior, que é independente de qualquer circunstância, ali incluído o processo de Ascensão da Terra, por que você fala tanto disso e dá datas que não se realizam?
É para testar-nos?








Post. e Formatação





Tradução e Divulgação.
Célia G.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...