22/12/2012

OMRAAM (Aïvanhov) 24 Novembro 2012 - Parte 1 -

OMRAAM (Aïvanhov)  

Perguntas e Respostas

AutresDimensions

E bem, caros amigos, eu estou extremamente contente de reencontrá-los.

Eu lhes transmito todo o meu Amor, todas as minhas Bênçãos.

E, como de costume, eu vou tentar, através das suas perguntas, dar-lhes elementos de resposta que podem interessar-lhes, é claro, e interessar a todo mundo, em relação ao que vocês vivem ou não, durante este período “um pouco charleston”, não é?
(ndt: o charleston é um tipo de foxtrote muito animado e muito popular no início do século passado, em que cada dançarino executa movimentos agitados de braços e pernas, e passos que aproximam e afastam os joelhos; adaptado de: novo dicionário Aurélio da língua portuguesa.) 

Então, eu os escuto.

Pergunta: quando você diz: “são vocês que decidem”, trata-se da Alma, do Observador? 


Então aí, caro amigo, isso depende de onde, você, você se situa.
Nós, nós nos dirigimos a vocês (e nós sempre o dissemos), pelas palavras.


Mas, além das palavras, há, entre vocês (e são muitos Irmãos, Irmãs) quem viva a Vibração das palavras e aí, evidentemente, a personalidade não é absolutamente referida já que o impacto Vibratório vai tocar, em vocês, as cordas sensíveis.

Mas ainda é preciso que essas cordas sensíveis tenham sido despertadas, tenham sido vistas.

Portanto, se vocês se situarem no nível da sua própria personalidade, vocês irão, é claro, servir-se da sua razão, da sua lógica, para tentar ver se o que eu lhes digo (ou o que nós lhes dizemos) está em harmonia, digamos, com a sua vivência, com os seus pensamentos, com as suas ideias e com as suas crenças.

Há um outro nível que é o nível do Si ou, se você preferir, o nível da Alma.


A Alma, ela tem uma polaridade que é de dar um jeito, em meio a este mundo, de encontrar, de algum modo, ao mesmo tempo a sua origem, ao mesmo tempo a sua Fonte e, também, uma certa forma, eu diria, de Liberação.


Agora, se, você mesmo, vivenciou o Abandono do Si, se você vivenciou o que é diretamente oriundo do que está acima da Consciência (que foi denominado, eu lembro a você, de diferentes nomes, ou seja: Absoluto, Parabrahman, a-consciência e, eventualmente, também, Infinita ou Última Presença), é claro, o impacto Vibratório do que eu lhe digo vai ocorrer em um nível ou no outro, que é em função, unicamente, da sua capacidade para recepção.

Isso não quer dizer que nós estamos mais acima, ou mais abaixo.

Nós estamos em uma gama de frequências.

Esta gama de frequências, ela é a mais ampla possível.


Mas agora, ainda uma vez (e como eu sempre disse), se vocês não tiverem, em vocês, os aspectos Vibratórios da consciência, vocês terão sempre matéria para repetir sobre cada palavra que eu posso pronunciar.

Portanto, ainda uma vez, eu me dirijo ao que vocês são capazes de receber.

Simplesmente, daí onde nós estamos, há, se vocês quiserem, uma capacidade para emitir uma gama de frequências (eu não tenho outras palavras), de Vibrações, se você preferir, que pode se dirigir tanto à personalidade, como à Alma, como ao Espírito como ao Absoluto.

A diferença do que você irá captar é em função do seu próprio nível onde você se situar em si mesmo.

“Nível”: ainda uma vez, não ali ver uma hierarquia, mas, muito mais, uma polaridade: ou a Alma está voltada para a personalidade, ou a Alma está voltada para o Espírito, ou a Alma está prestes a se dissolver, sozinha, nesse famoso Absoluto.

Portanto, o que eu posso dizer pode ser, ao mesmo tempo, compreendido, interpretado ou vivenciado, segundo o nível onde você se situa.

É tão simples assim.

Todos vocês sabem que, para uma mesma situação, para uma mesma palavra, nós não temos, todos nós, quando nós nos servimos da linguagem, na encarnação, a mesma ideia, o mesmo conceito que está por trás das palavras.

Cada uma tem uma coloração emocional, mental, afetiva, sobre algumas palavras e, em outras, não.

É apenas a partir do momento em que a linguagem não existe mais e que nós entramos, de algum modo, em outra linguagem que é o que nós havíamos nomeado, desde o início, a linguagem da Luz Vibral, que, ela (quaisquer que sejam as palavras tomadas), faz sentido, não mais no nível da lógica, da razão ou de uma explicação, mas, diretamente, na própria Consciência.

Muitas vezes, vocês notam que, conforme os Intervenientes que vêm lhes falar, vocês adormecem, vocês não se lembram mais do que foi dito, vocês são banhados na Luz ou no sono.

Mais uma vez, isso depende do que vocês são capazes de receber sobre esta paleta de frequências que nós emitimos, quando nós estamos em Comunicação, ao mesmo tempo, diretamente, aqui, mas, também, lendo.

É o mesmo processo.

Enquanto vocês estiverem na cogitação em relação ao que nós lhes dizemos, uns e outros, mas que vocês não têm a experiência vivenciada do que nós falamos (desde anos, é claro), fica sempre sujeito, ou à contestação, ou à discriminação, ou ao discernimento.

Mas, que é em função da sua própria capacidade para ressonância Vibratória e para afinidade.

Portanto, se vocês não tiverem aberto alguns sensores, digamos, alguns receptores, vocês permanecem em um nível ao invés de aceder a um outro nível.

E o que acontece quando você tiver aberto, eu diria, as Portas, nos níveis que estão Unificados: eu poderia lhes dizer “blablablablablablabla”, isso teria exatamente o mesmo efeito porque não é mais a palavra, é a Vibração que é levada, à sua consciência, pela palavra.

Mas a palavra, em si, não tem mais o conteúdo ideológico, semântico, interpretativo (empregue as palavras que você quiser) porque você vai além das palavras, ou seja, você substituiu a palavra (fala) pelo Verbo.

Ora, ser sensível ao Verbo é, ou um momento de Graça (durante um milagre), ou um momento de Comunhão, ou um momento em que a sua Vibração atinge um estado que não é mais aquele da normalidade.

Eu creio, aliás, que depois de mim, vocês terão a intervenção de UM AMIGO que vai especificar, se vocês quiserem, uma série de coisas sobre a própria consciência e os estados, que vocês constatam, da sua própria consciência, nesse momento, ou seja, em um pouquinho o “charleston”.

Ou seja, isso não parte mais em todos os sentidos, mas isso gira ao redor de um Centro.

E cada um tem um Centro diferente em função, justamente, da sua gama Vibratória.

Se você quiser, é um pouco a mesma coisa que a música: há músicas que se dirigem aos chakras inferiores, há músicas que se dirigem aos chakras superiores.

E depois, aqueles que estão nos chakras inferiores, a música que se dirige para a parte superior, em nada parece corresponder para eles.

Pergunta: por que o francês se tornou “a Linguagem dos Pássaros”?

Então aí, caro amigo, eu o remeto a uma intervenção, extremamente precisa, que foi feita, logo antes do final das Núpcias Celestes, pelo Arcanjo ANAEL que, à época, era o Embaixador do Conclave Arcangélico (ndr: intervenções de 1º de agosto, 16 de agosto e 10 de outubro de 2009).

E ele explicou que a linguagem original era oriunda do Sumério: é o que foi denominado Gina Abdul.

Eu também tinha falado.

É uma linguagem silábica.

Por exemplo, quando eu lhe digo “uma cadeira” [“une chaise”], todo mundo sabe: um, a que isso serve, dois, como é constituída.

Mas vocês sabem que há uma infinidade de cadeiras.

Entretanto, uma cadeira sempre tem a mesma função.

Por outro lado, se você ouve esta palavra “cadeira” na linguagem silábica original (que apenas pode ser concebida através do que foi nomeado o Vibral, ou seja, além do significado e do sentido da palavra, do conteúdo da palavra “cadeira”), e bem, o seu cérebro, que abriu algumas portas, vai entender “chè” e “ze” [a pronúncia das duas sílabas da palavra francesa “chaise”] (eu tomei um exemplo que nada quer dizer).

Mas, para todas as palavras, isso pode ser assim: ou vocês escutam a palavra e a sua consciência (o seu cérebro ou o seu intelecto) vai traduzir isso conforme a definição dessa palavra.

Ou, há outra coisa que a palavra, que é Vibral e que não dá conta da utilidade da cadeira, mas do significado que eu qualificaria de arquetípico.

Houve exemplos que foram tomados por ANAEL, faz mais de três anos, que são muito precisos.

Agora, a língua francesa, por ser uma linguagem que se empresta, bem mais, a uma parada, se vocês quiserem, da inversão da Torre de Babel que criou esta desarmonia entre as línguas e, sobretudo, entre os seres que, mesmo falando a mesma língua, não têm a mesma vivência das palavras e do sentido das palavras.

Aí, a linguagem Vibral é estar acima das palavras porque nós nos dirigimos a uma parte do cérebro que nada tem a ver com a compreensão da linguagem e que tem a ver com uma compreensão Vibral, se você preferir, da Alma ou do Espírito.

Ou seja, justamente o que está além da linguagem corrente que é uma linguagem Vibral que nada tem a ver (eu especifico isso porque isso pode ser um pouco confuso para aqueles que não leram, entre aspas, o que nós dissemos): o que é importante, não é o nexo da palavra, é o nexo das sílabas.

E o francês é esta língua que permite melhor se aproximar, se vocês quiserem, da origem da linguagem Vibral.

É assim.

As outras línguas, isso pode ser possível, mas é mais difícil porque vocês têm uma linguagem, em francês, silábica, extremamente particular, que é mais fácil de ouvir, eu diria.

Mas, também, para tapar já que vocês sabem que na França há muitas pessoas que se fiam, unicamente, na sua razão, na lógica, mas, deste mundo.

E enquanto vocês forem sensíveis à lógica deste mundo, vocês não podem ter uma compreensão de uma lógica transcendental que nada tem a ver com as leis deste mundo.

Mas, isso, nós explicamos amplamente também.

Pergunta: você poderia dar conselhos para passar a Porta Estreita?

Sim.

Isso é simples: soltem todas as bagagens.

Vocês sabem, quando vocês saem, vocês preparam o que vocês precisam para onde vocês vão.

Se vocês vão à piscina, vocês preparam um maiô.

É lógico, não é?

Se vocês saem de férias, vocês preparam uma mala com o que é preciso para as férias (se vocês vão à praia, é preciso maiôs, cremes solares, etc., etc.).

Quando vocês partem deste corpo, quando vocês morrem, vocês nada levam, absolutamente nada deste mundo, mesmo as lembranças que parecem perpetuar em certa forma de memória (e, portanto, lembranças agradáveis, mais ou menos agradáveis e, por vezes, desagradáveis), vocês acham que isso, isso vai acompanhar vocês.

Sim, mas, então, como vocês explicam que, quando vocês nascem, vocês não têm qualquer lembrança do que vocês deixaram na vida anterior, não é, em meio à matriz e à ilusão?

E eu posso lhes dizer que, como no que vocês têm que preparar, para a Porta Estreita, é, sobretudo, não se sobrecarregar, não sobrecarregar a barriga, mas, sobre isso, vocês têm HILDEGARDA que lhes falou longamente (ndr: ver a sua intervenção de 03 de outubro de 2012).

Não sobrecarregar o seu mental com conhecimentos que vocês puderam adquirir (mesmo os mais precisos e os mais agradáveis para vocês).

Porque não é o conhecimento, qualquer que seja, que os faz passar a Porta Estreita.

É, como lhes disse UM AMIGO (e como outros repetiram isso): permanecer Tranquilo (ndr: ver a sua intervenção de 02 de julho de 2012 ).

Permanecer tranquilo é, não ficar sentado em uma poltrona e não mais se mexer: vocês podem ir trabalhar, vocês podem caminhar, vocês podem fazer o que vocês quiserem.

Mas estar (como dizer) realmente no centro do Centro.

Então, é claro, nós os levamos, progressivamente, gradualmente e à medida desses anos, a definir os Centros cada vez mais precisamente.

Lembrem-se, durante as Núpcias Celestes e durante a revelação das Chaves Metatrônicas e, antes, havia a instalação dos Quatro Pilares que, eu os lembro, foram nomeados Atenção, Intenção, Ética e Integridade, que, nesta época, vocês expressam no nível da sua consciência, talvez, ordinária.

E depois, pouco a pouco, vocês se aperceberam de que nós aplicamos esses Quatro Pilares (que estavam no nível da cabeça) no Coração, com outras palavras.

Por exemplo, a palavra “Humildade”, todos nós sabemos o que isso quer dizer.

Mas, será que nós temos certeza da nossa verdadeira Humildade?

Não há trinta e seis maneiras de sabê-lo.

Isso não é dizer “eu sou humilde porque eu me comporto assim”.

Esta Humildade é uma atitude Interior como, por exemplo, o Melquizedeque da Terra, o Mestre PHILIPPE, falou a vocês: ser nada para ser tudo (ndr: ver a sua intervenção de 02 de outubro de 2012 ).

É difícil explicar porque, se vocês escutarem essas palavras com a personalidade, vocês sabem pertinentemente que a personalidade, ela evolui entre o nascimento e a morte, conforme o que vocês fazem da sua vida, conforme as buscas espirituais, conforme o que vocês encontram, conforme o que vocês vivem.

Mas, no nível da Alma, também, há um conceito dito evolutivo ou involutivo.

E depois, acima de tudo isso, há a Unidade: há um princípio de que tudo está perfeito, já, na origem.

É uma mudança, como disse BIDI, de olhar, de ponto de vista, de localização da consciência.

Tudo o que nós lhes dissemos e as Vibrações que levamos até vocês (que isso seja pelas doze Etapas das Núpcias Celestes, pelas Etapas, pelos encontros de MARIA e pelos encontros de MIGUEL) são meios, se vocês quiserem, de fazê-los tomar consciência do que vocês São, não no que é denominado efêmero (que é a vida quando estamos sobre a Terra), mas na Eternidade. (As “Etapas” referem-se às intervenções de MIGUEL de 17 de outubro de 2009 a 17 de abril de 2010).

E nós lhes dissemos, também, que vocês não tinham qualquer meio, através do filtro da consciência ordinária (ou seja, da personalidade, do mental como da própria Alma), de fazer uma correlação, uma ressonância, uma junção entre o reino do Espírito e o reino do Absoluto que é total independente (como vocês sabem disso, para o Absoluto) de um estado, já que isso compreende todo o resto.

Portanto, há, realmente, diferenças que são em função do que vocês vivem, aí também, e não de outra coisa.


É preciso de tudo se dispor e de tudo se aliviar.

Quanto mais vocês estiverem leves, e eu emprego a palavra “leve” em todos os sentidos do termo: leves no nível da digestão, leves no nível das suas afeições, leves no nível dos seus comportamentos, leves no nível da simplicidade da sua vida.

Vocês sabem, todos vocês, que vocês chegam a esta época em função de circunstâncias que foram criadas neste mundo, mas que não são em função do que vocês São, nos outros mundos e, especialmente, no Absoluto.

Portanto, há, às vezes, uma defasagem entre a imagem que vocês têm de vocês (que está ligada à sua experiência na encarnação, ao seu karma, se vocês ali acreditarem) e, também, no seu conceito de evolução tal como vocês o vivem.

Mas existe, acima de tudo isso, uma Consciência onde não há, nem evolução, não há transformação, onde a personalidade, como a Alma, não existem.

Há uma Transcendência real.

Mas enquanto vocês não tiverem vivenciado esta Transcendência real, como dizia IRMÃO K: “ir à outra margem” (ndr: ver as suas intervenções de 17 de março, 31 de março, 14 de abril, 07 de junho e 31 de agosto de 2012 ), o que podemos dizer a vocês?

Porque, mesmo se vocês ali aderirem, o que isso significa?

Uma crença.

Então, se for para substituir a crença do pequeno Jesus que vem salvá-los, pela crença no Absoluto, isso estritamente de nada serve.

Porque o que não é vivenciado, o que não é experimentado, de nada serve.

E vocês são livres, do mesmo modo, para continuar a experimentar a encarnação sob todas as formas.

Nós lhes desejamos muita diversão.

Então, é claro, a personalidade, ela vai se servir dos sentidos, das suas ideias, das suas crenças, para acreditar evoluir, para acreditar se transformar para melhor e ir até o Si, até a Liberação.

Mas o objetivo desta liberação aí não é a Liberação.

A Liberação não é mais ser tributário de uma condição, de uma circunstância ou do que quer que seja ligado às leis da ação / reação, ou seja, do confinamento.

Mas se vocês não viverem isso, estritamente de nada serve.

Pergunta: adormecer sentindo os Elementos, no nível da cabeça, pesando, e acordar sentindo o corpo como passado sob um trator, corresponde ao trabalho dos Elementos?


Perfeitamente.

Conforme o que há para dissolver em você.

Lembrem-se de que vocês têm Irmãos e Irmãs que vivem, desde alguns anos, o Si, a Unidade.

Outros, entre vocês, se aproximaram ou vivem o Último ou a Infinita Presença (vocês sabem, esta etapa que é quase o Absoluto, mas que não é o Absoluto).

Então, é claro, se houver apegos que permaneceram em vocês, através do que foi explicado sobre os dois primeiros chakras: o apego da personalidade a ela mesma (porque a personalidade se crê imortal e ela apenas existe por ela se crê imortal), portanto, enquanto vocês estiverem submissos a isso, vocês terão comportamentos, atitudes que se definem segundo uma linearidade ou uma causalidade.

Se vocês não estiverem mais apegados, se vocês não tiverem mais medo de perder o que quer que seja, em última análise, quando vocês vivem o Si, a Última Presença ou o Absoluto, vocês sabem não há, estritamente, nada a perder e que tudo isso, como dizia BIDI, é um espetáculo, um teatro (ele dizia: “uma tapeação”)
Mas enquanto vocês estiverem, vocês, na enganação, vocês mesmos, como vocês querem compreender?

Enquanto vocês não sofrerem, enquanto vocês não tiverem essa mudança de olhar ligada à expansão da consciência e ao desaparecimento da consciência, isso é impossível.

Isso é impossível.

Então, vocês tentam imaginar leis espirituais que estariam calcadas nas leis deste mundo.

Eu vou repetir o que eu descrevi (faz, agora, alguns anos) com relação à minha experiência de acesso à Luz.

Isso ocorreu (eu tinha contado) muito jovem, meditando em frente ao Sol, em uma praia.

E aí, eu vi o CRISTO.

Eu vi a Luz.

E quando vocês vivem isso, não é uma projeção, não é uma visualização, não é o 3º Olho: isso é, intimamente, direto, de Coração a Coração.

E quando vocês vivem isso, vocês são transpassados pelo Fogo do Amor.

E quando vocês são transpassados pelo Fogo do Amor, isso não é uma dedução lógica, mas vocês sabem que, tudo, aqui, tem apenas um tempo, que tudo apenas passa.

E vocês vão passar a sua vida, como eu fiz, tentando encontrar os meios chamados de conhecimento (conhecimentos esotéricos, ocultos, espirituais) que permitem viver, tentar viver, esta experiência inicial, que eu tive, de maneira muito mais intensa.

Porque é algo que regozija o Coração, que leva ao êxtase e que lhes mostra a Verdade.

A Verdade jamais estará em uma palavra.

Eu posso lhes dizer algo de verdadeiro que é levado por uma Vibração que não é verdadeira.

Por outro lado, eu posso lhes dizer uma Vibração correta, totalmente na Unidade, e não importa com qual palavra.

Se vocês se fiarem unicamente nas palavras, com o que está acontecendo, na consciência como sobre a Terra, as palavras não são de qualquer ajuda e elas serão, cada vez menos, de uma ajuda qualquer.

Naturalmente, é sempre gratificante (como isso foi dito, ainda, faz pouco tempo) ter uma explicação, em relação a uma vivência, em relação a uma Vibração, em relação a um chakra, em relação a uma história, até mesmo, deste mundo e dos seus ciclos.

MARIA lhes falou disso (ndr: ver a sua intervenção de 17 de novembro de 2012 ).

Mas, se vocês não o vivem, o que vai acontecer?

Por exemplo, eu lhes digo: “em 1º de dezembro a Terra vai grelhar totalmente”.

O que isso pode provocar em vocês se vocês estiverem instalados na personalidade?

Ou vocês se dizem: “ele está louco”.

Ou vocês se dizem: “eu tenho medo e eu vou tentar evitar esse momento”, ou seja, preparar-se para passar a Porta Estreita.

Ou vocês estão na Vibração.

O que isso pode gerar quando a sua consciência estiver Liberada da matriz?

O que isso pode importar se for em 1º de dezembro, ou hoje, ou ontem?

Não importa a data.

É um estado de consciência que é totalmente independente das circunstâncias deste mundo.

Isso não quer dizer que vocês fugiram deste mundo, mas que vocês estão lúcidos.

Vocês sabem que é um jogo que não existe.

Mas enquanto vocês estiverem nisso e estiverem jogando e nada mais conhecerem, para vocês, esse é o único jogo.

Então, vocês tentam calcar o que vocês conhecem (por todas as maneiras possíveis, cognoscíveis) do seu mundo, nos outros mundos.

E vocês sabem que isso é impossível.

Mas enquanto vocês não tiverem vivenciado isso, nada disso significa para vocês.

Assim como vocês podem escutar e encontrar dezenas de pessoas e escutar, durante anos, os seres que vão lhes contar a sua experiência de saída do corpo, que vão lhes contar que eles vivenciaram uma experiência onde eles morreram, clinicamente, onde eles viram Seres de Luz.

E eles se transformaram.

Vocês veem: essas pessoas, elas são irradiantes.

Mas não é porque vocês as escutam falar que vocês serão transformados, não é?

É a mesma coisa para nós.

Porque, se falar fosse suficiente, bastaria simplesmente escutar os Evangelhos e todo mundo seria transformado, não é?: esse não é realmente o caso.



 SEGUNDA PARTE
(Em  formatação)










Post. e formatação

Tradução para o português e 
divulgação: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com
27 novembro 2012


Mensagem do Venerável OMRAAM (Aïvanhov) no site francês:
24 de novembro de 2012
(Publicado em 26 de novembro de 2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...