04/04/2017

CRISTO - ASCENSÃO -

"Eu voltarei (como eu havia dito)
como eu parti".

"Não me vejam em qualquer corpo que
se glorificaria de ser eu, mas, em 
contrapartida, vejam-se, em cada um,
como em si mesmos".

Eu os saúdo, filhos da Fonte Una, 
Eu Sou Cristo.


Paz a vocês, Paz sobre vocês e Paz em vocês.

A contagem regressiva do tempo terminou, não é mais tempo de contar nem de contar regressivamente o que quer que seja.

Em um tempo curto, eu virei lavar, de maneira definitiva, suas vestes de Luz.

Eu não vou fazer grandes discursos, nem mesmo propor o que quer que seja que não a sua Presença e a minha Presença reunidas, no mesmo Coração Sagrado, do qual provém toda alegria e todo contentamento.

Eu venho anunciar o reino do Amor, que não tem nada a ver com o que é efêmero, porque o Amor pode apenas ser eterno, em sua Liberdade e em sua manifestação.

Eu estou, doravante, com vocês, como sempre estive, mas que a ilusão do tempo impediu-os de viver, de maneira infinita.

Eu venho soar, em vocês, o tempo da Ressurreição.

Eu venho saciar seu coração e consolar o que deve sê-lo, para que nenhuma lágrima venha obstruir a liberdade do Amor.

O que deveria ser cortado foi.

O que resta a cortar será iluminado pelo Fogo do Amor, e isso é agora.

Não é mais tempo de contar o tempo, é tempo de soltar e de restituir a ilusão a ela mesma.

Eu me dirijo ao coração de cada um, tanto aqui como por toda parte.

Assim, eu receberei cada um de vocês, no último tempo da purificação e da Ressurreição.

Mas desde já eu os convido a confiar-me seus últimos fardos, seus últimos pesos, suas últimas dificuldades.

Eu venho realizar o que foi anunciado há mais de dois mil anos.

Vocês entraram, efetivamente, de pleno coração, no tempo do fim dos tempos, aquele que não conhece qualquer tempo, que conhece apenas a magnificência do Amor, da Alegria e da Verdade.

Quem quer que vocês sejam, qualquer nível que vocês pensem, ainda, ser ou não ser, eu me dirijo ao que queima em seu Templo e que consome o que pode restar de ilusão.

Eu venho realizar o retorno da Terra à sua verdade eterna.

Ouçam bem, além do que é pronunciado e do que é dito.

Cada vez mais numerosos entre vocês irão sentir e experimentar a verdade do que está aí, ancorado na carne, ancorado no núcleo da Terra.

Vai ecoar em vocês o hino eterno do Amor, para que nunca mais possa prevalecer a mentira.

Onde quer que vocês olhem no exterior de si, seu coração vê apenas desordem, conflito e mentira.

Eu venho restabelecer a verdade do Amor, que não pode esconder-se por trás de qualquer fato e qualquer palavra.

Eu me dirijo a vocês e a cada um, para que se coloquem em sua verdade, no coração.

Eu venho convidá-los a dar, a dar-se e a tudo dar, a manter apenas o que é eterno, o que é verdadeiro, o que os nutre em verdade.

Vocês entraram na visão por seus próprios olhos, do que foi enunciado pelo bem amado João e pelos inumeráveis profetas que os preveniram, que os alertaram, para despertarem do pesadelo da mentira, do pesadelo da pessoa.

O tempo do Amor está decretado sobre essa Terra de maneira visível e tangível, o que quer que digam aqueles que mascaram a verdade.

Não há mais urgência, uma vez que tudo está consumado e desvenda-se sob os seus olhos, em vocês, se vocês aceitam ver-se tal como são e não tal como o mundo fez a vocês.

Eu venho revelar, de maneira evidente, seu Reino de Eternidade, seu Reino de Coração, que nada tem a ver com as regras e convenções de seu mundo, que não é seu mundo.

Tudo foi cortado.

Tudo o que é morto, já está morto, mesmo que não o saiba.

Enquanto vocês, filhos do Um, vocês estão vivos.

Não dessa vida que se escoa e que foge, mas da vida eterna, da vida verdadeira e da vida no Amor.

O que quer que vocês pensem, do que quer que duvidem, o que quer que tenham vivido, nada retenham.

Tenham-se em pé, na luz eterna do Amor.

Muitos de vocês, onde quer que estejam, vivem, nestes dias, a paz inefável do Amor, mesmo se não possam, ainda, aí colocar as palavras certas.

Por seus sentidos, por sua inteligência, por sua interioridade, pelo que é dado a ver no espetáculo desse mundo, não há outra saída que não a revelação do Amor e da eternidade da Vida, que nada tem a ver com o que é chamado vida, tal como ela é vivida aqui, nesse mundo.

É tempo, doravante, de encerrar o tempo da morte porque, em definitivo, nada morre que não o que faz apenas passar, o que faz apenas durar um espaço de determinado tempo.

Esqueçam-se de todas as condições e mergulhem aí, onde vocês serão saciados, aí, onde nenhuma dúvida pode emergir, a despeito do que diz esse mundo e do que ele lhes mostra.

Vocês descobrem que não há outra saída que não o Amor, que ignora, mesmo, toda noção de responsabilidade, de culpabilidade, de erro ou de memória, que em nada concerne ao Amor.

Vocês são, doravante, os Filhos do Homem.

O Caminho, a Verdade e a Vida, o Alfa e o Ômega.

Onde quer que vocês se detenham ainda, vocês não poderão mais aí manter-se.

Vocês devem desaparecer do parecer, aparecer no ser eterno, o que põe fim à miragem e à falta.

Vocês não têm esforço a fornecer, vocês não têm esforço a fazer, nem mesmo crer em quem quer que seja ou em quem quer que seja.

Mergulhem, aí onde eu me encontro.

Vocês serão regenerados, revivificados, não mais no fogo vital do desejo e do ego, mas no Fogo vibral da pureza e da beleza.

É tempo de despojar-se de tudo o que não é eterno, de tudo que não se mantém diante da verdade do Amor.

Os sinais do Céu e da Terra se tornarão palpáveis e tangíveis, onde quer que olhem.

Esqueçam-se de toda espera e de toda esperança porque, justamente, tudo está consumado e não existe mais a mais ínfima distância entre vocês e a Verdade.

Não há mais a procurar ou buscar o que quer que seja, porque o essencial já foi revelado, no mais profundo de cada Filho do Homem, em cada coração, mesmo no mais fechado à minha Presença.

O Amor, doravante, nutre vocês, sacia-os e rega-os.

Ele não vem de outro lugar que não do que vocês são, em verdade.

O Amor revelado dá-lhes a ignorar as sereias da posse, as sereias da materialidade.

Eu os preveni, há mais de dois mil anos: onde está seu Reino, qual é seu Reino?

Vocês querem continuar, permanentemente, a esculpir a pedra, para ficar como a pedra, a mais perfeita que seja?

Ou vocês querem reencontrar a liberdade do Fogo, a liberdade do Ar e da Água, a liberdade do Amor, que nada tem a ver com qualquer referência, qualquer quadro, de qualquer história ou, mesmo, de qualquer resgate?

Endireitem-se, em pé e orgulhosos de sua eternidade, na humildade em relação a esse mundo e na humildade da crença em uma pessoa.

Tudo está consumado na carne.

A carne da própria Terra assim o decidiu.

Nutram-se do Amor.

O resto tornar-se-á cada vez mais indigesto e intolerável, porque o Amor nada mais tolera que não o Amor, porque o Amor é a Liberdade.

Onde vocês encontraram a Liberdade nesse mundo?

A Liberdade não é um sonho nem um futuro, nem uma espera, ela é seu estado natural, que requer apenas jorrar, em vocês e de vocês.

Não se deixem enganar pelas sereias daqueles que queiram prometer-lhes o que quer que seja de melhor amanhã, porque o melhor é agora, a cada sopro, a cada olhar.

É isso que bate à porta, antes que eu venha lavar o que deve ser lavado, na consumação última dos tempos da Terra.

Não é mais tempo de tergiversar, não é mais tempo de hesitar em face do Amor, é tempo de aquiescer.

De dizer «sim» à verdadeira vida, de dizer «sim» à Liberdade, um «sim» franco e maciço que apenas pode estabelecer-se no próprio silêncio de seu ser.

Assim vocês serão, todos, se o desejam, meus amigos.

Um amigo inabalável, como vocês mesmos, na verdade do Amor.

Em verdade, eu lhes digo, não há, mesmo, mais necessidade de serem dois ou três reunidos em meu nome, porque eu estarei ainda mais presente naquele que se dirige a si mesmo, na solidão e intimidade de seu coração.

O Verbo fez-se carne uma primeira vez.

O Verbo fez-se carne pela segunda vez, em cada filho do Céu e da Terra.

A última Trombeta indica-lhes, tanto em vocês como à consciência do mundo, o tempo da redenção, o tempo da Ressurreição.

Que outro tempo pode importar, em relação a esses tempos, que não se inscrevem em tempo algum?

E que lhes dão a liberar-se do jugo do tempo, do envelhecimento e da morte.

Eu não venho nem ordenar-lhes nem suplicar-lhes o que quer que seja.

Eu venho apenas propor-lhes verificar, por vocês e em vocês, a verdade do que eu enunciei, para que cada sopro de sua vida, doravante, seja iluminado pelo Espírito de Verdade, pelo Espírito Santo e pela doação da Graça.

Porque aí não há nem justificação, nem hipótese, nem contexto de espaço ou de tempo.

Eu bati à porta, vocês me responderam.

Agora, eu lhes respondo por minha vez: eu estou aí, bem além das palavras que vocês ouvem ou das palavras que vocês leem.
Olhe.

Olhe e veja o que você é.

Não através das máscaras ou dos jogos de papéis desse mundo, mas, sim acima de todo jogo, toda função.

O céu vai, em breve, desposar a Terra de seu Espírito fecundante e liberado.

Isso está em curso.

Isso não sofre atraso algum, porque numerosos são aqueles que gritaram, bem ou mal, mas pouco importa, porque a Luz que vacila ou que desespera não pode deixar indiferente o Cristo em vocês, o que eu sou em vocês.

Nada mais pode ser retido do que deve abater-se sobre a Terra e relevar-se da Terra.

Tenham-se em pé.

Não há mais qualquer pretexto que valha.

Quer seja em seus corpos, quer seja em seus pensamentos, quer seja em sua vida limitada.

O Ilimitado não pode mais esperar, não pode mais ser atrasado.

O Coro dos Anjos, o som da Ressurreição chega a vocês, e abate o que pode restar de muralhas do mental, da adesão a qualquer história e a qualquer cenário.

Eu venho pôr um ponto final no cenário dos possíveis, para que a evidência do cenário único de sua Ressurreição dê-se a ver e a viver no íntimo, no silêncio e no canto da Vida.

O canto da morte não tem mais influência em vocês.

Ele tinha por nome: dinheiro, mentira, moral e crenças.

Eis vocês, regenerados e ressuscitados.

Nada mais há a aperfeiçoar, porque o Amor é mais do que perfeito.

Nada mais há a tentar mudar, tanto nesse mundo como na ilusão de sua pessoa.

O Amor os quer plenos e inteiros, plenos e em pé, no espaço em que nenhum lamento pode surgir ou, mesmo, ser evocado; a Alegria torna-se, então, felicidade e sorriso perpétuos.

O que vocês esperam, ainda, desse mundo?

O que vocês esperam, ainda, de qualquer satisfação de desejos efêmeros, enquanto o único desejo que sobe nada mais é do que a alegria do coração?

Só o que resiste será abatido pelo incondicional do Amor, não em um combate, mas em uma evidência.

Olhem em vocês, porque essa evidência já está aí.

Quaisquer que sejam seus projetos, quaisquer que sejam suas ambições, qualquer que seja sua vida, o que está aí é o Alfa e o Ômega, que não sofrem discussão alguma, condição alguma e limite algum para a expressão do Amor.

Eu voltarei como eu havia dito – como eu parti.

Não me vejam em qualquer corpo que se glorificaria de ser eu, mas, em contrapartida, vejam-se, em cada um, como em si mesmos.

Porque é a única verdade, e ela não tem necessidade de declaração, ela se encontra no silêncio e na humildade.

Vocês podem entregar-me tudo o que os obstrui, tudo o que os sufoca e, então, eu os restituirei a si mesmos, acima de todas as aparências e acima de todos os sofrimentos que não lhes concernem.

Amar e servir, nos tempos em que não há mais tempo, é andar em meus passos, é reconhecer-se em mim, no silêncio do coração, no ser, como no não ser, na ação exata que não é realizada por cálculo, qualquer que seja, mas que é realizada pela própria Graça.

Filho do Um e Filho do Homem, não é mais tempo de despertar por momentos, quando isso o arranja, mas tenha-se em pé todo o tempo em que esse tempo desaparece.

Afirme o Caminho, a Verdade e a Vida.

Afirme o Alfa e o Ômega.

Você não tem necessidade de palavras, nem de parecer, nem de convencer, você tem apenas que ser... o Filho do Homem.

Então, você sentirá seu coração elevar-se, ao mesmo tempo em que a alegria aparece na superfície de seu ser, como na superfície de todas as relações.

Isso é agora, porque isso está na ata no mais alto dos céus e no mais profundo da Terra.

Você, Filho do Homem, em pé em sua eternidade, eu o abençoo.

Não, unicamente, agora, você que lê você que escuta, mas em todo tempo, porque o Amor não conhece o tempo.

Ele é, mesmo, se se pode dizer, o inimigo do tempo.

O tempo pertence a Satã, àquele que o confinou.

Eu venho liberar o tempo, que é liberado em vocês.

Eu venho liberar o espaço do que estava compartimentado e separado em vocês.

Mas não se enganem: eu já estou aí, porque tudo provém de mim, e de vocês.

O que é pó retornará ao pó.

O que é falso desmorona com cada vez mais estrondos, o que libera, sempre mais, o canto do Amor.

A cena do mundo joga-se em você, o que lhe dá a ver aquele que se opõe ao que você é.

Isso é iluminado, isso se torna manifesto, porque ninguém poderá mais ser enganado quando o canto do Amor ecoar no mais profundo do Céu e no mais profundo da Terra, que ressoa em cada uma de suas células.

Você será, então, seu único juiz.

Onde quer que você se tenha, aqui como por toda a parte na Terra, no íntimo de seu coração você não estará mais, jamais, isolado e separado, mesmo se você ainda não me conheça ou não tenha me reconhecido, em qualquer estado de seu ser efêmero.

Esqueça-se disso.

Eu estou em sua eternidade; eu sou ainda mais do que o que você pode acreditar ser ou esperar ser; eu sou o Espírito, como você o é.

Você tem mantido sua casa limpa, ou, pelo menos, tentou.

Não se atrase mais em qualquer limpeza que seja, porque o Amor é o limpo em ação, que não tem necessidade de seu esforço agora, mas que apenas tem necessidade de sua rendição, sem condição, à sua própria eternidade.

Você ali encontrará, ou você ali encontra, nesse momento mesmo, tudo o que é indispensável.

O Amor é todas as respostas e todas as alegrias verdadeiras, porque elas não cessam, jamais.

Então, eu abençoo sua Presença e minha Presença em você, como eu abençoo sua Presença em meu coração.

No coração do Um, no Coração Sagrado da Verdade, nós nos temos, retos e em pé.

E sinta, aí, logo, o que você é.

Esqueça-se de todo parecer, esqueça-se de todo erro e, mesmo, de tudo o que tem necessidade de reparação.

Desperte de todo sonho ou de todo pesadelo.

SAIA DE TODO O JOGO.

Então, Cristo, em você, limpará o que você pensa ter necessidade de limpar, de pacificar ou de purificar.

Não é mais tempo de jogar nisso, é tempo de viver, porque o tempo é para o Amor, porque a própria noção de tempo desmorona quando o Alfa e o Ômega reúnem-se.

Então, eu o abençoo e eu o prezo.

Ao ver-me em você, você se vê em mim, sem distância e sem pudor.

O tempo sem tempo é o tempo do autêntico e do verdadeiro.

Assim, eu o abençoo, por três vezes.

O tempo chegou de tudo entregar-me, para que tudo lhe seja entregue.

Assim, você é a Graça liberada de todo jugo e de toda dúvida.

Venha, eu o espero.

Venha a mim, como eu vim a você.

Ponha seus passos em meus passos, e ponha seu coração em meu coração, como eu mesmo o faço.

Perceba, nesse tempo, a inutilidade das palavras, e deixe exprimir-se a gratidão espontânea de seus reencontros consigo mesmo.

Pela verdade do Verbo encarnado, você se liberta, você mesmo, de toda ilusão de morte e de tudo o que é limitado.

Para você que me ouve, para você que me lê, para você que me espera ou para você que não crê em mim, abandone tudo isso e viva-o.

Não há distância.

Dê-se à vida, como eu me dei à Vida.

Onde é seu Reino?

Ele é desse mundo?

Ele é de outros lugares?

Cabe a você decidir.

Mas decida, agora.

Você não pode mais enganar a si mesmo, nem se ludibriar nem ludibriar ninguém.

Você não pode mais mascarar-se para o Amor.

Não há mais incertezas, porque o tempo do fim é certo.

Junte-se a mim e junte-se a você, aí, onde nós estamos, ambos, na Eternidade, no Espírito de Verdade.

Meu irmão, minha irmã, meu amigo, meu amado, eu me dirijo a você: «Quem é você?».

Toda resposta que você poderia fornecer não é a verdade, porque você é você mesmo, além do ser, você é a própria Fonte do Amor.

Assim como eu havia dito: "Eu e meu Pai somos Um".

Eu o convido a dizê-lo, porque é o que se vive.

A Água do céu, que aporta o Fogo do Espírito, derrama-se em seu céu interior.

Você não tem mais que ficar na cruz, mas ser esse Coração Glorioso, o que você é.

Eu o abençoo, então, por três vezes, e pela terceira vez, você, que lê, e você, que escuta, você que está aí e você que está por toda a parte.

Você é o canto do Amor que canta em você.

Eu lhe dou a minha Paz, como eu me dei à Vida, e eu acolho a sua Paz, quando você se dá à Vida, no Alfa e Ômega.

Escute aquela que, na história, foi nomeada minha Mãe, que é nossa Mãe, de todos.

Seja verdadeiro, porque você é a Verdade.

Eu recupero, agora, seu coração, o coração de cada um, porque aí não há mais necessidade de palavras, não há mais necessidade de discursos.

O Verbo fez-se carne, ele se torna o silêncio para esse mundo.

… Silêncio…

Eu o amo, onde quer que você esteja.

E esse Amor tornar-se-á cada vez mais ardente, ao juntar-se a mim, quando eu me junto a você, e é agora.

Eu o amo, para a Eternidade e na Eternidade.

Eu lhe digo até sempre, e eu me calo agora, para cantar em você.



Post. e Formatação
http://semeadorestrelas.blogspot.com
12/12/2015

Tradução e Divulgação
Célia G.

Se puder, considere uma contribuição
para Célia, clik aqui

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...