01/10/2012

HILDEGARDE DE BINGEN – 21 de setembro de 2012 -

"Ninguém pode opor-se ao Canto da Vida,
 às Trombetas do Céu e da Terra".

"Haverá uma inversão de valores, total".

"Nada mais terá de segredo para vocês". 


Eu sou 
HILDEGARDE DE BINGEN. 
- Estrela de Maria -
 
AUTRES DIMENSIONS  
22 de setembro 2012

Irmãos e Irmãs, estabeleçamos, se quiserem, entre nós, um momento de Silêncio e de Comunhão.

... Partilhar da Doação da Graça...

As palavras que eu venho dizer-lhes têm-se, no lugar que eu ocupo, na ressonância das Estrelas e, portanto, também, no que concerne ao Elemento ao qual eu ressoo mais, que é o Fogo.

Do mesmo modo que, há alguns anos, eu os informei da Tensão para o Abandono, eu venho, hoje, tentar clarificar (se é possível, ainda mais) o que pode representar viver a Verdadeira Vida, em oposição com viver a ilusão.

Viver a ilusão é viver, como muitos Irmãos e Irmãs encarnados, sem qualquer noção, real e vivida (em outros lugares que não nas aspirações e nas construções, mais ou menos elaboradas, de sistemas, quaisquer que sejam), do que é a Verdade. 

A Verdade de que eu falo é aquela que faz com que exista, de algum modo, uma reconexão com a FONTE, com a Luz, com o CRISTO, com os mundos nomeados espirituais, ao mesmo tempo, mantendo uma vida.

Não viver essa reconexão induz, infelizmente, como vocês têm e como nós tivemos vivido, todos, nesse mundo, o que eu chamo um drama da separação. 

E, desse drama da separação, desse sentimento de não perceber e de não viver a Luz vão decorrer todos os mal-entendidos da vida. 

Esses mal-entendidos que vão, por sua vez, reforçar, inevitavelmente, progressivamente e à medida das encarnações, a própria lembrança de uma FONTE, de uma Luz, a lembrança do que há após a morte e antes do nascimento; a lembrança do que cada Irmão e cada Irmã era, em Verdade.

Esse confinamento tem por consequência tudo o que vocês podem ver, hoje, de maneira, talvez, mais lúcida do que há algum tempo, concernente ao adormecimento, à predação, e tudo, é claro, o que decorre desse confinamento: a violência, as crenças e o conjunto de medos. 

A vida na ilusão instala a consciência em seu aspecto o mais dividido, o mais fragmentado e o mais isolado do que ela é, em Verdade. 

Nesse confinamento e nesse aspecto dividido, cada Irmão, cada Irmã vai construir ideais, objetivos, buscas.

O conjunto dessas buscas e desses objetivos a atingir é, todo, sem exceção, inscrito ou na história ou em convenções ou em regras. 

A nostalgia do Céu é tão potente que, quando o confinamento é total, o Céu não pode mesmo, mais, ser considerado como possível. 

Os mundos espirituais, dos quais tudo é ignorado, são pouco a pouco rejeitados.

Essa perda de conexão põe a consciência em um confinamento que só o reino humano conhece sobre esta Terra. 

Eu não posso mesmo dizer que se trate de um consciente de um animal, porque um animal é, sempre, consciente, de um modo ou de outro, dos mundos não visíveis.

Tudo foi feito, durante esses anos, para aproximá-los e para dar-lhes a viver essa reconexão, coisa que foi estabelecida, como vocês sabem, talvez, em numerosas etapas, em numerosos estágios.

Essa reconexão foi estabelecida, definitivamente (tanto para o Sistema Solar como para vocês), em um intervalo de tempo, tal como havia sido definido por SERETI.

É o que lhes permite, hoje, sentir (e, além de sentir, viver) nossos reencontros, nossos Reencontros com a Luz, com a Vibração, com partes muito mais sutis de vocês. 


Restabelecer essa conexão é fundamental, porque é graças a essa reconexão, que se tornou acessível a vocês tudo o que se manifesta, hoje, a vocês, e do que o Comandante ecoou durante esta semana na qual vocês estão.

Muitos de vocês vivem coisas que, ainda na véspera, eram-lhes estritamente desconhecidas ou, mesmo, inconcebíveis. 

Essa aproximação de seu Plano e de nosso Plano, que se fez de maneira minuciosa e progressiva, tinha por objetivo (vocês, talvez, compreenderam e, talvez, viveram) o de preparar o Reencontro total com a Luz, e de fazer de modo a que o máximo de Irmãos e de Irmãs fosse aptos, de algum modo, para permitir a essa Luz estabelecer-se, com o menos de desordem possível, menos de estupefação e de apreensão. 

Nós podemos dizer que, de onde nós estamos (pela Fusão dos Éteres e o depósito do Manto Azul da Graça em seus ombros, e o conjunto de Antakarana que nós vemos), nós sabemos, talvez antes de vocês, que a tarefa foi realizada, bem além do que podíamos conceber. 

Isso permitiu, de algum modo, acrescentar uma suavização e uma elasticidade a esse Reencontro, e evitar que o Choque fosse demasiado intenso, tanto para a Terra como para vocês.

Mas, hoje, o conjunto de Assembleias, Conclave de Anciões e Conclave de Estrelas pôde julgar que tudo estava perfeito e que o tempo havia, portanto, chegado, para deixar chegar, sem qualquer freio, sem qualquer limite, essa revelação total e completa da Luz, que os leva a restabelecer a Verdadeira Vida, o que é chamada a Liberdade, que põe fim, totalmente, ao eixo falsificado. 

 Atração/Visão, ao confinamento da Visão, ao confinamento da alma voltada, exclusivamente, para a matéria e para essa Dimensão. 

É claro, o Reencontro definitivo de cada um dos Irmãos e Irmãs com a Luz será uma vivência diferente, e essa vivência diferente é unicamente função, vocês sabem, da capacidade para dizer «sim», da capacidade para não fazer obstrução a esse evento, tanto em si como para o mundo. 
 
Isso os leva (e isso foi definido) a terem-se Tranquilos, a aceitarem, em vocês, a ação dos Elementos e da Luz, a não fugir do que quer que seja, a estarem totalmente presentes a si mesmos, no instante.

Tudo o que vocês empreenderam (seja Alinhar-se, sejam os diferentes exercícios que lhes foram comunicados), o conjunto conduziu a fazê-los experimentar, viver e sentir coisas novas.

Essas coisas novas vão, todas, ao mesmo sentido, que é o de permitir-lhes reaclimatar-se ao Amor, privado de medos, privado de todos os condicionamentos. 

Esse Amor de Liberdade que os torna Livres e Autônomos e que os faz descobrir, realmente, a Eternidade, não como uma projeção, um ideal, mas, efetivamente (agora e já, para muitos de vocês, mesmo nesse corpo), serem reconectados.

Sua reconexão ocorreu sem choque porque houve essa aclimatação de sua alma, mesmo, que aceitou fazer a Reversão da matéria para o Espírito. 

Essa Reversão, assim como as diferentes Passagens de Portas, os diferentes Reencontros com os Duplos, as diferentes qualidades Vibratórias que os tocaram, tiveram por objetivo levá-los a esse ponto preciso, que se desenrola amanhã, em seu tempo.

Essa foi a melhor preparação e será, sempre, a melhor solução para viver essa Ascensão que está em curso. 

De sua qualidade de vivência decorrerá a qualidade de vivência do conjunto de Irmãos e Irmãs da Terra que não estão, de momento, reconectados.


Essa Reconexão, ou seja, esse Casamento do Céu e da Terra, vocês sabem, desencadeia as transformações finais da Terra, em graus que nenhuma memória, nenhuma história conheceu. 

Essa ação dos Elementos, essa ação da Luz, para vocês que estão reconectados, dar-lhes-á a ver apenas a realidade e a Verdade do que é a Luz e não, simplesmente, o que representam as reações e as convulsões da Terra e de alguns Irmãos e Irmãs, não ainda reconectados. 

Em resumo, viver as Comunhões, viver os Alinhamentos e viver os aspectos da Luz Vibral em vocês, dá-lhes a viver um processo que acontece, resolutamente, do ponto de vista da borboleta, ao invés do ponto de vista da lagarta. 

Vocês devem, efetivamente, manter presente no Espírito que, para muitos de seus Irmãos e Irmãs encarnados, a ilusão (vivida) de ausência de conexão, é a única verdade. 
 
Para eles, a vida deles inscreve-se, unicamente, entre o aparecimento nesse mundo e o desaparecimento desse mundo.

Viver a Luz nessas condições de crenças e de adesão e de percepção, é claro, não acontecerá sem dificuldades, porque o que os olhos deles poderão ver, o que sua alma poderá sentir não será, em um primeiro tempo, a Luz, tal como vocês a vivem, mas, bem mais, o que havia sido nomeado um Choque e um sentimento imenso de luto e de perda dessa ilusão, justamente. 

É aí que sua qualidade de Ser, seu Amor vai tornar-se cada vez mais importante, porque viver o Amor Vibral é emanar e irradiar a Verdade, que é bem além de qualquer gesto, de qualquer ideia, de qualquer palavra, de qualquer olhar e, mesmo, de qualquer proximidade. 

Essa suavização do Choque e dessa consternação, mesmo se sejam emoções que, talvez, para vocês, sejam realmente ilusórias, efêmeras, não são menos geradoras de sofrimento, de medos e de apreensões em que o mental, é claro, vai recusar o que está aí. 

E é aí que vocês se tornam muito importantes, não para explicar (porque o que acontece não pode ser nem explicado, nem mesmo concebido para a maior parte da humanidade encarnada, ainda), mas, efetivamente, por sua qualidade de Ser e de Presença, sua qualidade de Tranquilidade.

Daí decorrerá onde vocês Estão e, no conjunto do planeta, o modo pelo qual se desenrolará o período que vai do Aviso à Ascensão, eu diria, final, terminal. 

Esse tempo (como vocês sabem e como o Comandante confirmou em numerosas reprises) é extremamente reduzido em tempo. 


E, quanto mais esse tempo for reduzido, mais será fácil, de algum modo, realizar uma Liberação da Terra, muito mais simples do que se não fosse o caso, com um tempo mais curto. 

Simplesmente, para dizer-lhes que, neste período, custe o que custar, vocês devem manter essa Tranquilidade.
E custe o que custar, eu os lembro de que estamos aí para vocês, ao seu lado. 


As regras do que vocês nomeiam Alinhamento serão redefinidas por MARIA e permitirão a vocês, nos Alinhamentos, reforçar sua reconexão a nós, à sua parte Eterna, à sua Existência.

O desaparecimento intermitente desse corpo físico que vocês habitam vai dar-lhes a ver o Corpo de Existência, vai dar-lhes a ver o que seus olhos jamais viram, até o presente, porque as frequências acessíveis, para vocês mesmos, da visão normal, vão tornar-se mais amplas, vão dar-lhes a perceber o que os olhos humanos normais não podem ver até o presente.

É claro, a consternação e o medo induzem movimentos que superam, amplamente, o quadro de um individuo ou de um grupo de indivíduos que é reconectado à Luz. 

Porque, lembrem-se de que esses Irmãos e essas Irmãs não têm qualquer meio de saber e de ver, ou mesmo de compreender ou de conceber o que vem, ou porque, justamente, o fato de estarem desconectados totalmente arrastou-os à espiral da vida ilusória e à espiral da sobrevida (mesmo para muitos Irmãos e Irmãs em outros países), que os levam a lutar contra os Elementos, contra a vida, tal como ela foi decidida por outros que não eles mesmos.

Tudo isso para atrair sua atenção a uma forma de indulgência. 

E essa indulgência é portadora, nela mesma, de Irradiações de Luz. 

Ela os coloca, espontaneamente, no que eu havia descrito e ao que eu os remeto: essa Tensão para o Abandono. 

Ela favorece, ainda mais, seu Abandono do Si e favorece, ainda mais, uma forma de aquiescência, no momento em que o conjunto da humanidade apreenderá, verdadeiramente, o que está aí.

Ela permitirá, naquele momento, no último limite, a um número de Irmãos e de Irmãs desconectados, reconectar-se. 

E seu trabalho, sua atitude, sua Tranquilidade
 são essenciais para isso.

Lembrem-se de que vocês não podem ser afetados no que vocês São, em sua Eternidade, pelos Elementos. 

Pode-se dizer que os Elementos trabalham, em vocês, de maneira mais harmoniosa, mesmo se o Comandante tenha feito referência a alguns sintomas. 

Passados esses primeiros sintomas, passada uma espécie de aclimatação dessa parte Multidimensional que se desvenda, vocês serão, de algum modo, renovados (nesse tempo que há a viver) pela Luz e Sua Inteligência, e por essa consciência que vocês recuperarão.

Quanto mais vocês penetrarem na Eternidade que vocês São, mais constatarão que, ao redor de si, tudo se desenrola, sempre, qualquer que seja a aparência do caos, com a maior das facilidades. 

Vocês compreenderão, realmente, naquele momento, que a Inteligência da Luz não é uma vã palavra, mas, efetiva e verdadeiramente, o que põe em ordem a Eternidade, na desordem do efêmero. 

Essa mudança da consciência, vocês já viveram, muitos de vocês, por experiências diversas e variadas.

Essas experiências são, portanto, chamadas, durante um tempo curto, a ser seu quotidiano, e é nesse quotidiano que haverá a viver, que vocês viverão (aqui, nesse corpo), a verdadeira Vida, um pouco à imagem do que eu testemunhei quando eu fui encarnada. 

Nada mais terá de segredo para vocês. 

Tudo será feliz e fácil, o que contrasta, contudo, com a dificuldade e as dificuldades desse Reencontro para a consciência e o conjunto do que está voltado para o que não é duradouro.

Haverá uma inversão de valores, total. 

Poderá aparecer, então, o que eu chamaria a Humanidade do Homem, de maneira espontânea: 
o sentido do serviço, da dedicação, para aqueles, é claro, que se reconectarão, naquele momento.

Nós não podemos esconder-lhes, é claro, que inúmeros de seus Irmãos e Irmãs, que não se reconectarão, naquela ocasião, deixarão trabalhar, neles, as forças as mais baixas, concernentes à personalidade, e cujas ações estarão, é claro, em total contradição com o que vocês vivem ou viverão.

O ser humano dará a impressão de debater-se em si mesmo, com seus próprios limites, sem ter a possibilidade de perceber o Ilimitado (e, portanto, de Abandonar-se), por um mecanismo de incompreensão que, infelizmente, terá sido mantido, habilmente, por aqueles que controlavam o Sistema de Controle do Mental Humano.

Vocês não têm que se preocupar com isso. 

Vocês não têm que portar inquietação nisso, mas, lembrem-se de que é, efetivamente, porque vocês se reconectaram, que vão permitir suavizar a cólera e tudo o que pode ser oposto à Luz.

Mesmo se minhas palavras pareçam-lhes, de momento, difíceis a viver, vocês verão, por si mesmos que, após esse dia preciso de amanhã, começarão, se ainda não foi feito, a viver isso de maneira perfeitamente natural e espontânea. 

Vocês não têm, portanto, que se colocar questões em relação a isso, mas, bem mais, aperfeiçoar seus Alinhamentos, e é por isso que, a partir de amanhã, (22/09/12) o trabalho do Alinhamento não será mais, unicamente, o momento dedicado à Ancoragem da Luz, a deixar trabalhar a Onda de Vida, mas, bem mais, um trabalho de estabilização, de suavização.

E não há outra suavização possível que não a de restabelecer essa Multidimensionalidade e, portanto, o acesso a nossos Planos, aqui mesmo, aí onde vocês estão.

Todos os alimentos ser-lhes-ão dados em nossos Contatos e em nossas Comunhões. 

Vocês constatarão, por si mesmos, que não têm necessidade de outra coisa que não a de restabelecer isso. 

Tudo o que é necessário ali estará, o que põe fim, se existem em vocês, às últimas interrogações, aos últimos medos, às ultimas apreensões do que deve advir, porque vocês viverão, previamente, vocês mesmos, o que advém, o que muda, radicalmente, seu modo de ver e de perceber este período através da vivência de nossos Reencontros, que os instalam na Verdadeira Vida, mesmo na vida ilusória.

É durante este período que os eventos da Terra e seus eventos vão tornar-se os mais evidentes, concernentes à Luz como concernentes às suas últimas mudanças. 

De onde nós os vemos, nós não temos qualquer dúvida sobre esse desenrolar. 

Vocês não terão, do mesmo modo, mais qualquer dúvida. 

Para nada serve interrogar-se sobre o seu mecanismo de Ascensão, porque é, muito exatamente, o que vocês vão viver durante este período. 

E conforme o que nasceu em vocês, nesses últimos anos, ou que nascerá, vocês deduzirão, muito facilmente, o que se desenrola em vocês e ao seu redor, e para vocês.

Vocês verão, por si mesmos (se já não foi feito), que a Luz é a resposta para tudo, e, quanto mais vocês se afastam de suas próprias respostas, mais a resposta da Luz é evidente e clara. 

Quanto mais vocês se afastam de desejos efêmeros, mais sua consciência esclarece a diferença entre a ilusão e a Verdadeira Vida. 

Vocês não terão, então, mais qualquer dificuldade para deixar-se guiar e moldar pela Luz Vibral e o Amor.

Eu os lembro de que o Amor Vibral é um Fogo, um Fogo que forja, que torna Eterno: é a Reconexão.

O melhor modo de compreender o que acontece, é vivê-lo.
E, para vivê-lo, é preciso, justamente, fazer cessar toda vontade de compreensão, porque a compreensão não é aportada pelos mecanismos exteriores, mas, efetivamente, pelos mecanismos Interiores dessa Luz, após o Aviso. 

Os eventos geofísicos, múltiplos e numerosos, que traduzem a interpenetração do Éter falsificado da Terra com o Éter Azul da Multidimensionalidade. 
 
É a interação entre esses dois Éteres que dará conta de fenômenos (que já foram descritos), como o Canto do Céu e da Terra, que inúmeros de vocês perceberam, por intermitência, em momentos, mas que se tornam o Canto Interior da alma e do Espírito, Reencontrados.

Esse Som é um testemunho: ele é o Testemunho da Ação da Luz e, portanto, ele os informará. 

Quer vocês sejam Chamados por seu nome, quer esses Sons modulem-se, de modo intenso, é a mesma resposta: é o Apelo e o Canto da Vida. 

É o Apelo da Luz, que se tornará cada vez mais premente. 

Ninguém pode opor-se ao Canto da Vida, às Trombetas do Céu e da Terra. 

É, justamente, a crença na possibilidade de opor-se a essa Frequência, a esse Canto, que criará a doença, porque nenhuma frequência daquelas que lhes são conhecidas, pode resistir a essa nova frequência. 

Todas as desordens decorrem daí. 

E essas desordens decorrem, é claro, do medo, da ignorância.
E é aí que é preciso mostrar sua indulgência.
É aí que não é preciso julgar. 
 
É aí que é preciso vigiar para reforçar o que é recebido, deixando, simplesmente, sempre, ser recebido de maneira Livre. 

É assim que sua Presença sobre a Terra será (mesmo se vocês não o vejam) um bálsamo, um bálsamo aplicado em todo sofrimento, todo medo.

O que eu exprimi, explicando-lhes minha vida e minha Tensão para o Abandono é o que estará no trabalho em vocês. 

Quanto mais vocês aquiescerem e aceitarem e disserem «sim», mais vocês se preencherão de Luz e, portanto, de Amor, mais vocês se tornarão Transparentes e, finalmente, Inaparentes para esse mundo. 

É da qualidade do que vocês estabelecem aí, é que se desenrolará, eu diria, seu modelo Ascensional, que lhes é próprio.

Para nada serve defini-lo ou dele definir os caminhos, porque a Inteligência da Luz os fará vivê-lo, diretamente, tirando-os, assim, de toda projeção e de todo desejo. 

Assim, portanto, viver a Verdadeira Vida anuncia-se com muito mais facilidade para vocês. 

E quaisquer que sejam as aparências da dificuldade inicial, retenham que, em muito pouco tempo, isso terá acabado em suas manifestações penosas. 
 
Porque qualquer resistência é vã, e qualquer consciência não pode subtrair-se dos fenômenos precisos que estão em curso.

O sentido de minha intervenção é apenas atrair sua atenção a esses momentos, e sempre manter presente na consciência que, estando reconectados, se aparece uma dificuldade para vocês (qualquer que seja sua atividade nessa vida ilusória), lembrem-se de que vocês são conectados e que não há limites, de tempo ou de espaço, para nossa Manifestação, em vocês, ao seu lado, e nossa Ação, em vocês e ao seu lado. 

Toda força, vocês a encontrarão aqui. 

Vocês não a encontrarão em qualquer gesticulação, em qualquer atividade mental, ou em qualquer necessidade de preservação do que quer que seja. 

Todo o resto aparecerá, espontânea e naturalmente.

Vocês constatarão, aliás, mesmo, que suas necessidades comuns e fisiológicas tornar-se-ão cada vez mais leves e cada vez mais fáceis a satisfazer; que, pouco a pouco, a atividade mental, na ilusão, recentrar-se-á na Luz.

A consciência desengajar-se-á cada vez mais (independentemente de qualquer desejo ou de qualquer vontade), de elementos usuais da vida. 

Não são vocês que o decidem: é a Luz. 

E as circunstâncias exteriores desse mundo serão tais que, de todos os modos, vocês não terão outra escolha que não a de interessar-se ao que vocês São, e refinar sua Reconexão porque, é claro, tudo o que é ilusório (e, disso, inúmeros Anciões deram-lhes os mecanismos) não será mais um reflexo vital (nem mesmo essencial), como se as regras do jogo, pela Ação da Luz, mudassem, completamente. 

Essas regras que, para vocês, serão, é claro, aceitáveis e facilitadoras, arriscam ser qualquer outra coisa para a maioria dos Irmãos e das Irmãs que não quiseram ver (ou que não têm os meios de ver), Interiormente.

Eu pararei aí minhas palavras. 

Em relação ao que eu disse, se vocês têm necessidade de outros elementos, eu estou à sua escuta.

Questão: alguns que trabalham há alguns anos para a Ascensão estão, hoje, como desencorajados, porque parece a eles que nada acontece do que foi anunciado.

A atmosfera vibratória diz-me isso: todo ser humano que vive a impaciência ou o desencorajamento está, de fato, apenas na vontade de fugir do que há a viver.

Todos os anúncios e, em especial, aqueles que haviam disso dados pelo Comandante, tudo o que foi previsível e previsto, que não se desenrolou, corresponde, simplesmente, a um tempo de preparação mais intenso.

Mas tudo isso será, rapidamente, esquecido, a partir do instante em que os eventos em questão manifestarem-se, claramente, a vocês, aí onde vocês estão.

Não se esqueçam de que suas circunstâncias de vida são profundamente diferentes entre a Europa e os territórios que são tocados pelos Elementos.

O ser humano tem a particularidade de olhar, é claro, as condições de vida dele e ao redor dele.

Se ele não é afetado, ele não verá o que acontece alhures. 

Do mesmo modo retenham, efetivamente, que todo esse tempo nada é, em relação ao conjunto de ciclos que foram levados no confinamento. 


E, quanto mais os dias vão desenrolar-se, mais vocês vão constatar esse mecanismo de negação: é o Choque.

O Choque é recusar a Verdade, porque aquele que não vive os mecanismos da Consciência pode apenas confiar em palavras, e não na Vibração. 

Aquele que confia na Vibração da Consciência (porque ele a vive) não pode manter qualquer ilusão na ilusão: é o que vocês vivem. 

Aqueles que se desviam são aqueles que, em definitivo, ou não vivem, ou recusam o que eles vivem, porque isso subtende estar colocado em face de seus próprios apegos, de seus próprios ideais de prosseguimento em uma ilusão, em uma vida ou em uma Era de Ouro.

É muito difícil para o ser humano (enquanto ele não viveu o Abandono à Luz e o Abandono do Si) estabelecer-se em sua Eternidade e aceitar essa Eternidade. 

O ser humano reatar-se-á, sempre, ao que ele pode tocar e experimentar, nos sentidos os mais comuns. 

Mas, se ele não tem acesso à Existência, se ele não tem acesso às Vibrações, quais são os elementos, para ele, de certeza, exceto aqueles que são vividos?
De outro lado, desde o ano passado, nós havíamos dito para não fixar-se em qualquer data. 

Muitos Irmãos e Irmãs estão impacientes. 

Muitos Irmãos e Irmãs (eu diria, em número muito mais importante) têm medo, mesmo se eles não queiram admiti-lo, confessá-lo, porque aquele que está no Amor, verdadeiramente, não pode experimentar o mínimo medo do que quer que seja, qualquer que seja o evento (ou o não evento).

Era, de outro lado, indispensável que a maior parte dos Irmãos e das Irmãs que, se posso dizer, aderiram ao que nós temos dito, estivessem, eles mesmos, na vivência do que era dito. 


E que aqueles que nada viviam, de momento, era amplamente preferível para eles desviar-se do que nós dávamos, porque isso teria sido, de qualquer maneira, demasiado confronto para a maioria deles. 


O que quer dizer que ler coisas e não vivê-las, é uma frustração; ler coisas e vigiar as coisas no ambiente, se elas não aconteceram, precisamente, nessa noção temporal, é muito difícil de viver para o humano. 
 
O humano procurará, sempre, uma data e uma prova,enquanto ele não está no Coração.

Aquele que Vibra o Coração (seja no Si ou no Abandono do Si) está, realmente, na Morada de Paz Suprema. 

E eu diria mesmo que, naquele momento, quer um evento desenrole-se ou não, isso estritamente, nada muda. 

Simplesmente, se nós insistimos nesse Choque, é que os elementos que nós temos visto não acontecem mais em um futuro provável porque (como o Comandante disse-lhes), o que nós vemos, não corresponde ao que vocês veem. 
 
Há linhas, que vocês poderiam chamar de probabilidade, temporais, diferentes, mas, mesmo essas linhas, hoje, não existem mais. 

E é por isso que essa data foi dada como um fator de Alinhamento Interior.
Então, é claro, haverá sempre Irmãos e Irmãs que vão perscrutar, neles, ou perscrutar no mundo um evento que eles vão qualificar de tangível. 

Mas a coisa a mais tangível é o Amor que vocês vivem
, ou não.

Todo o resto é apenas o reflexo da agitação do mental, que procura, no exterior de si, uma razão para esperar, ao invés de uma razão para viver o que há a Viver.

Como o Comandante disse: há prazos.
Inúmeros prazos foram dados, que correspondem a ciclos. 

Há outros prazos, agora, que não são função da Terra (como nós sempre dissemos), nem mesmo de sua resposta, mas que são função, agora, do Céu, e não mais da Terra.

Porque, como nós temos dito, a partir do instante em que a Liberação da Terra é exprimida (em vocês, em alguns de vocês), a Terra disse «sim» e, portanto, as rupturas de linhas temporais, possíveis, foram realizadas.

Agora, isso não depende nem da Terra, nem de vocês. 

Isso depende, unicamente, de um relógio que é cósmico. 

Mas a dúvida em todo ser humano será, sempre, apenas o reflexo da não vivência do Amor Vibral no Coração. 

Porque aquele que está estabelecido no Si (e além do Si), qual importância isso tem para ele, o mundo? 

Ele encontrou a Eternidade. 

Eu diria mesmo que era, portanto, indispensável que, após o primeiro entusiasmo (desencadeado pelos mecanismos das Núpcias Celestes), que os povos, os menos prontos para soltar desviassem-se do que nós tínhamos a dizer, e que os povos que eram os mais prontos a soltar, reforçassem sua vivência. 
 
Aí está o que eu posso dizer.

Questão: viver a sincronia é dizer «sim» ao que alguém possa propor?

Meu Irmão, é exatamente isso. 

Mas eu diria que é preciso, antes de tudo, viver o Coração, a Vibração do Coração, viver o Canal Mariano, a Onda de Vida. 

Caso contrário, você arriscaria dizer «sim» a não importa o quê. 

Ora, quando a Inteligência da Luz está ativa, totalmente, a resposta será sempre «sim» ao que é proposto, porque o que será proposto far-se-á, sempre, pela Inteligência da Luz, mesmo se isso não possa ser compreendido ou aceito pelo mental, em um primeiro tempo.

Sempre, a Inteligência da Luz levará a efeito o que é necessário e útil para a Luz, mesmo se, em um primeiro tempo, isso possa aparecer estritamente oposto, mesmo se, na partida, isso possa ser um sofrimento, uma ruptura ou algo de incômodo. 
 
Mas a faculdade de dizer «sim», é claro, é, obviamente, um evento essencial no Abandono do Si.

Questão: o que significa o fato de ter sido chamado, mas sem perceber o que quer que seja mais?

Quem disse que era preciso perceber o que quer que fosse?

O Apelo é o Apelo. 

O Apelo é, simplesmente, ouvir seu nome e ser chamado.
Nada mais.

É sempre o mental que quereria ver coisas extraordinárias, perceber coisas não habituais. 

Mas o Apelo, em si mesmo é, simplesmente, o nome que é ouvido. 

Por que querer acrescentar elementos de cenário, de forma, de cor?

O Apelo realiza-se, geralmente, à noite, ou seja, quando seu mental e sua vigilância estão adormecidos, para ter o menos de impacto perturbador. 

Porque é nesses momentos (em que o mental está ausente e no sono), que vocês estão mais permeáveis ao nosso Reencontro. 

E não há necessidade de discursos, de imagens ou de fenômenos misteriosos: há, simplesmente, necessidade de perceber o Apelo.

O fato de que vocês sejam cada vez mais numerosos a terem sido chamados, confirma-lhes, de algum modo, a iminência do Apelo de Maria.


Questão: durante os momentos finais, seremos guiados pela Luz para saber como ajudar aos outros?


Minha Irmã, eu, efetivamente, exprimi que toda vontade de ajuda é uma vontade do mental e da personalidade. 
 
A Luz ajuda, por ela mesma. 
 
A ação exata decorrerá da Luz e não de saber como ajudar. 


Não temos mais perguntas, agradecemos. 


Irmãos e Irmãs nessa assistência, vamos render Graças por nosso Reencontro e, pessoalmente, eu rendo 
Graças por sua escuta, sua benevolência.

Eu lhes digo: até mais tarde. 




Post. e Formatação
Semeador de Estrelas


Tradução e Divulgação: Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte:
http://www.autresdimensions.com/.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...