12/10/2013

Satsang do Coletivo do Um

SATSANG

"É preciso também lembrar que não existe,
 para o Espírito, qualquer missão 
e qualquer contrato, o 
Espírito É de toda Eternidade e 
nós somos Espírito".


Por ALTA
Coletivo do Um
21.09.2013 -

(Obs: S. de Estrelas - Esta questão foi direcionada por uma querida amiga e leitora deste blog,
moradora no Rio de Janeiro, questionamento esse que vem a ser o de muitos, que buscam um entendimento existencial. O aqui respondido nos mostra claramente o por que de nossos questionamentos, e a quem questionamos, o finito ou o eterno? E se algum lugar nos leva querer saber  alguma coisa que  esclareça as duvidas que surgem em nossa mente.).

  Olá,
Questão(5): Como saber se estamos no caminho, no fluxo da nossa missão/contrato nesta vida? Por que a vida de sonho parece muito mais interessante do que a vida terrestre, se bem que por vezes é difícil de acordar?
Obrigada. Vanessa L.

Resposta de Alta


Então, Vanessa, o que eu posso responder é que, quando se coloca a questão, ou quando colocamos a questão, aliás, seja a quem for, de saber se nós estamos no caminho, eu posso responder a você que tudo depende do lugar onde você se situa. 

Se você estiver situada na consciência do eu, no sentido de ser uma pessoa com uma história, com um histórico, você sempre irá fazer, e incansavelmente, esta pergunta, durante todas as suas vidas, se isso já não foi o caso no passado.

 Enquanto vocês não tiverem resolvido esta questão essencial: “quem sou eu?”, vocês estarão constantemente prestes a se perguntar se vocês estão no caminho certo, se vocês estão bem alinhados com a sua missão ou com o seu contrato.

 É preciso também lembrar que não existe, para o Espírito, qualquer missão e qualquer contrato, o Espírito É de toda Eternidade e nós somos Espírito.

 A alma voltada e orientada para a materialidade (e as leis da alma foram perfeitamente descritas no século passado, eu não voltarei nisso) onde vamos fazer atuar o karma, a ação/reação, o sentimento de que a alma deve aprimorar-se para evoluir, a alma está envolvida em um arremedo de evolução, há almas boas,almas piores, mas tudo isso para o Espírito não tem importância alguma. 

Então, a resposta a esta questão apenas se encontra do seu ponto de vista e, aliás, vocês o exprimem perfeitamente quando vocês falam do ponto de vista do sonho, vocês afirmam que os seus sonhos são mais interessantes do que a sua vida, no sentido da animação da sua pessoa e das interações da pessoa que vocês representam com o grupo humano, com a vida no seu sentido mais amplo.

 Então, enquanto houver em nós, enquanto houver em vocês o sentido de saber se vocês estão no caminho correto ou se vocês estão no fluxo da sua missão, isso demonstra simplesmente que vocês estão sob a influência da alma, e a sua alma que está voltada a esta atração para a matéria, que está voltada para a materialidade, para a lei de causalidade, para a vontade de bem, para o conceito de amor, para o conceito de serviço, não é o Espírito.

 O Espírito nada tem a ver com a alma, o Espírito nada tem a ver com um corpo que é apenas um veículo, mesmo se ele for um templo, mas, atenção, o que é importante não é o templo, é o que está dentro do templo, ou seja, vocês, ou seja, este Espírito que jamais foi alterado, que jamais foi impactado pelo que acontece no nível da personalidade e da alma. 

Então, e além do mais, vocês têm cada vez mais testemunhos, hoje, eu não sei citar nomes, vocês irão encontrá-los de maneira muito simples, pessoas que no decorrer de uma experiência de morte iminente, no decorrer de uma prática “espiritual”, ou no decorrer simplesmente de uma atividade comum, vivem esta liberação. 

Mas, viver a liberação é o momento específico em que vocês se apercebem de que não há nem bem nem mal, de que não há qualquer ilusão, qualquer verdade, qualquer evolução, qualquer caminho, de que há apenas vocês, o resto sendo apenas uma projeção de diferentes consciências em meio a interações que representam a vida nesta Dimensão, que está cortada d’A FONTE, cortada do Espírito.

Quando vocês encontram, ou quando o Espírito os encontra de algum modo, não há qualquer meio de saber seja o que for, não porque este conhecimento foi escondido de vocês, mas porque ele de nada mais serve. 

O único conhecimento verdadeiro é o conhecimento de vocês mesmos, não de um caminho a percorrer, não de uma interação com quem quer que seja ou com o que quer que seja em meio a este mundo, isso é próprio da personalidade, isso é próprio da vontade de bem, isso é próprio daquele que quer corrigir alguma coisa. 

Mas vocês são Espírito, nós somos Espírito, simplesmente alguns o reconhecem, outros ainda não, e outros não o querem, essa e a liberdade deles.

 Mas saibam que, e eu também passei por isso, hein, assim que nós tivermos um processo de conhecimento, quer seja um conhecimento livresco, intelectual, quer seja um conhecimento pela vivência ou pela experiência, assim que nós entrarmos em um sistema de saber ou de conhecimento, nós saímos do Espírito, porque o Espírito é vacuidade, ele é Silêncio e Paz, ele é Eternidade e ele não se importa com os jogos da alma e com os jogos da personalidade.

Muitas vezes foi dito que sair da prisão não consistia em estudar a prisão, isso é perfeitamente verdadeiro. 

A partir do momento em que vocês viverem esta irrupção da sua Eternidade, que vocês se conectarem com a sua Eternidade, o tempo não existe mais, nada mais significa. 

Por outro lado, vocês encontram o tempo na evolução deste corpo e deste mundo, mas muito facilmente vocês se extraem para interessar-se por coisas muito mais íntimas ou muito mais em relação com a expressão do que nós somos, ou seja, seres de criação, de criatividade, nós somos criadores, nós não somos apenas criaturas. 

Somente a alma, somente a personalidade se concebe como uma criatura que deve conectar-se com o seu criador.

 Isso é uma imagem, mas vocês são o criador e a criatura.

O ensinamento das religiões insistiu muito no papel de um salvador, no papel de um Deus, tudo isso é pretexto, como dizia Krishnamurti, para afastar-nos do que nós somos. 

Mas, é claro, nada os obriga, e aí está a grande Liberdade da Luz, de reconhecer isso, mas se vocês quiserem a Paz eterna, se vocês quiserem ser Liberados, não é estudando um objeto do seu condicionamento que vocês irão encontrar a Liberdade.

 Isso vale para compreender a fisiologia de um corpo humano, a psicologia da alma humana, a psicologia da personalidade, onde, aí, isso obedece a regras que conhecíamos cada vez melhor, da ação/reação, da ‘engramação’ de lembranças, das mágoas, das cicatrizes kármicas, das cicatrizes psicológicas que vão se expressar no nosso comportamento. 

Mas mesmo se vocês conhecerem todos os mistérios disso, vocês jamais serão livres porque vocês jamais irão sabê-lo, o único modo de saber é sê-lo e vivê-lo, e para isso é preciso mudar de ponto de vista, isso não significa mudar de ideia, mas isso é também tentar admitir que talvez, antes de vivê-lo, nós somos ilimitados, muito grandes em outros lugares, que nós somos muito pequenos aqui, insignificantes aqui, e que tudo isso está compreendido no que nós somos, em cada um, individual e coletivamente.





Post. e Formatação
Semeador de Estrelas
http://semeadorestrelas.blogspot.com/


Tradução para o português e 

Colaboração: Odile Lainscek
http://portaldosanjos.ning.com

Blog: Satsang do Coletivo do Um – Questão 5 (21-09-2013)
Transcrição do texto (em francês): Nicole Tremblay
http://satsangducollectifdelun.blogspot.ca/2013/09/reponse-alta-question-5-21-09-2013.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...