19/09/2017

Aïvanhov - Parte 3B - A ALEGRIA e a VERDADE.

"Enquanto vocês pensam que estar em alegria
 está dependente de uma circunstância 
exterior, vocês não compreenderam e 
vocês não vivenciaram a Verdade".


O.M. AÏVANHOV

28 Agosto 2017
Questão: … Obrigado por não me responder que é necessário beber o cálice até a borra porque você já me respondeu...

Bah sim mas vocês beberam até a borral, todos, estamos além da borra.


Questão:… E isso também não serve para nada. Eu vos amo mas aí, se está farto disso.


Estamos de acordo.



Mas «se está farto », tanto dizê-lo desde sua eternidade como desde a pessoa, uma vez que a Alegria permanece. 


 Não esqueçam que é a Alegria que libera, encontrem a criança interior como há pouco. 

Nós vos falamos longamente do Feminino sagrado, da cocriação consciente, da androginia.

 Isso não é por um golpe de varinha mágica, vocês devem mesmo aceitar, e para alguns entre vocês que estão aí desde muito tempo, que o jogo em meio a este mundo foi até mesmo palpitante.

 Hoje vocês chegam no fim de ciclo deste mundo, do qual efetivamente se está farto, quer dizer que vocês estão tão empanturrados de jogar que mesmo aqueles que tiveram os jogos e todos os bons trunfos na mão, ou que tiraram as melhores cartas, estão um pouco fartos disso, é verdade, mas isso é típico de todo fim de ciclo. 

Da mesma maneira por exemplo, no momento em que vocês vão morrer de uma doença

Mesmo se vocês aceitam vossa morte, é necessário um certo tempo.

Aí está, então isso durou trinta e três anos, está preparado desde sempre, isso foi preparado de maneira formal pelo Cristo e agora está terminado, e é sobretudo quando está terminado que há mais impaciência, nervosismo, febre. 

Ora se você se coloca na Alegria, não há mais febre e não se está mais farto.

 Depois de tudo, o que é uma questão de apenas algumas semanas, alguns meses, e mesmo se isso se torna alguns anos, vocês se dão conta do trabalho que foi efetuado por vocês mesmos desde as Núpcias Celestes.

 Vocês veem bem que vosso mundo, mesmo com o olhar o mais obtuso, não tem mais nada a ver com o que era há dez ou vinte anos, vocês o veem bem de qualquer modo.

Então, acabou seu rancor, há outras questões? 

Mas eu acredito que há. 

Então continuamos.

Nós ultrapassamos o tempo estipulado e as questões ainda são numerosas...

Não é grave, continuamos.

Então uma questão muito longa de uma irmã.

Então vamos escutar calmamente.

Questão: Não tenho mais desejos, projetos, vontade.
 As discussões me parecem absurdas como se as frases não tivessem mais sentido, e tenho dificuldade para me exprimir ou compreender. 


Nada nem ninguém falta-me enquanto que eu tinha vontade de partilhar. Eu me sinto como uma larva, marcada de um grande vazio no qual eu não caio. Tenho dificuldade para dormir, alimentar-me é um problema pois tenho dificuldade para digerir e não tenho nenhum desejo por alimentos. O tempo se estende, me pergunto o que eu espero sem me preocupar com o que se passa. Todavia eu jamais me senti tão viva e leve, em comunhão com todos os seres vivos como se não houvessem mais barreiras. Vivo só em uma floresta e acolho cada instante e cada encontro sem questão. Não tenho mais interesse nem me sinto concernida por esse mundo. Tenho o sentimento de dever partir mas eu não sei nem onde nem o que fazer. Ao que corresponde esse estado, está relacionado com a Ascensão, a Liberação, e pode durar ?

Então eu não compreendo, porque você mesmo diz, cara irmã ou caro irmão, que você vive só na floresta, que não há mais barreira, que mais nada deste mundo te interessa. 

O que você descreve poderia ser interpretado como um estado de depressão profunda, tanto mais que você jamais me fala de Alegria. 

 Você faz uma descrição de alguém que poderia ser um liberado vivo mas aquele que é liberado vivo não diria pelas mesmas palavras, ele simplesmente diria que está feliz de estar na vida, que ele está contente de viver cada minuto, mesmo sem objetivo, mesmo sem ter trabalho, mesmo sem pensar no amanhã.

 Ora isso não transparece no que você escreve, quer dizer que de algum modo, e mesmo se você vivenciou as vibrações, há provavelmente, nesse estado, um fator real que eu chamaria de «desrealização », quer dizer que sua aspiração pela Eternidade ela é tal que você esqueceu de viver, quer dizer de estar em Alegria. 

 É a Alegria... 

Tal como você apresenta as coisas, você se admira de não ter mais fome, de não querer mais fazer o que quer que seja, mas aquele que está liberado não se surpreende. 

 Ele aceita isso como uma graça, isso não o impede de ir trabalhar, se ele deve se levantar, isso não o impede de viver, bem ao contrário.

Se a Luz te coloca nesse estado, é realmente a Luz? 

Porque falta em todo caso, em tua descrição, a Alegria indescritível do Amor, do Amor que nasce do coração onde nada pode estar sujeito a questionamento.

Portanto há dois casos, ou você tem medo, ou você está farta, mas em todo caso, tal como você exprime, o que quer que você viva, e aliás você não fala disso, o que quer que você viva, mesmo esse desaparecimento das barreiras não parece colocá-la em alegria, e eu te lembro que a Alegria da qual eu falo não está ligada ao fato de estar ocupada e fazer as coisas, ou de se ocupar de uma criança ou de seu hobby e de sua profissão, ou de seu marido e de sua mulher, é uma Alegria que não depende de nada, sem sujeito e sem objeto, e você não pode se enganar.

Assim que essa Alegria está aí, tudo o que você descreve finalmente como uma reclamação, de algum modo, não tem lugar de ser. 

O que quer que você tenha vivenciado no nível do coração, eu apenas posso te dizer que isso não está ligado à Ascensão nem à Liberação, está ligado à tua recusa da vida.

 Desconfiem porque vocês têm, eu diria, não muito numerosos, mas vocês têm mesmo assim irmãos e irmãs que entraram e que entram cada vez mais em uma espécie de «desrealização» e despersonalização

 Eles estão persuadidos de que eles não têm mais nada a fazer neste mundo: não comer, não frequentar, não fazer amor, não ver o cinema, nada fazer, e eles se creem sábios. 

 Não, eles estão em despersonalização e em «desrealização», quer dizer em recusa da vida

 Ora vocês não podem ser livres recusando o que quer que seja deste mundo, uma vez que se vocês recusam o que quer que seja, que é um estado de fato, vocês estão confinados, quer vocês o pensem, quer vocês o vivam, ou não, mas se vocês buscam uma saída em meio a tudo isso, vocês não a encontrarão.

O que eu quero dizer por isso, caro irmão ou cara irmã, é que necessariamente em você houve uma vivência que não se instalou, e o que tomou o passo, o que você descreve dos teus sintomas, evoca muito simplesmente uma depressão, o que não prejudica em nada tua liberdade a vir. 

 Porque você teria expressado, que mesmo não tendo nenhum interesse por nada, se você estivesse em alegria, você estaria plenamente na vida, não enganado de toda a ilusão e do efêmero desta vida, mas a Vida eterna a levaria tanto que você não estaria na avidez (de sexo, de alimento ou do que quer que seja), mas você aproveitaria cada instante com tal intensidade, mesmo se é para comer um pedaço de cenoura, mesmo se é para trocar um olhar, que você estaria satisfeita.

 É isso que me faz dizer que pela maneira como você apresenta as coisas, você atravessa uma fase de depressão e portanto de recusa da vida.

Muitos irmãos e irmãs, hoje, eu não falo somente daqueles que têm seguido o que nós dissemos, mas muitos irmãos e irmãs de outros lugares, de outros países, de outras crenças, vivem e acreditam serem espirituais, mas eles recusam a vida.

 O que é necessário recusar, é o confinamento

 Para nada serve vos privar da vida.

 Ora vocês o veem através justamente... quando eu vos disse de nada fazer, ou quando Osho vos diz de serem preguiçosos, é preguiçoso espiritualmente, mas sobretudo estar na vida, não se excluírem da vida de maneira nenhuma, caso contrário vocês mentem a vocês mesmos e vocês não estão em alegria. 

 Aquele que está em alegria, ele necessita sorrir, mesmo no sofrimento, ele necessita contatar, ele necessita viver, não com excesso mas com intensidade, porque é o que ele vive. 


 Ora tal como você apresenta as coisas, não tem nada a ver com a Liberdade, mesmo se tua liberação é adquirida no momento do Apelo de Maria.

Portanto não serve para nada colocar-se nessa espécie de imobilismo sombrio.

 Ao contrário quando você está vivendo em Alegria, tudo deste mundo te interessa, não porque você acredita nisso, não porque você vai seguir uma religião ou um mestre, mas porque justamente há uma forma de deleite em sentir a Vida apesar do confinamento, provando a você mesmo que você viveu seu próprio confinamento e que você o transcendeu.


 Ora lá, tal como você o apresenta, você teve uma antevisão da Verdade e da Liberdade mas você não as vivenciou, e você não pode vivê-la enquanto você está nesse estado.

Paradoxalmente, aceitar morrer, é estar plenamente na vida neste mundo, não no excesso, não na bulimia, não importa o que isso seja, mas na intensidade do que vocês vivem, porque o que transparece, não é o confinamento e a pessoa, é a Alegria.

Aliás se vê muito bem, através de sua questão, que você anteviu a Verdade mas você não vive a verdadeira vida, você vive a recusa da vida. 

 Você ainda acredita que deve haver uma ascese, que devem haver ainda condições pessoais para ser livre.


 O que hoje não é mais o caso de todo, é somente um erro de olhar, de ponto de vista, é somente que você não chega a ser a testemunha e o observador, e portanto você é afetada


 Mas não torne a Luz responsável por isso, mas teus hábitos, e também o que seria chamado por uma pessoa autorizada um estado depressivo, até mesmo, para alguns psiquiatras, os estados, como vocês dizem, de dissociação


 Não é questão de dissociar a Eternidade e o efêmero, é questão de fusionar o efêmero e a Eternidade, para que a Eternidade tome todo seu lugar, quer dizer a alegria de tua Existência. 


E isso não é se vitimizando ou se privando, ou estando no excesso, ao inverso, que você vai encontrar a Verdade e viver a Verdade.


 Eu disse que você anteviu a Verdade. 


 Espero ter sido suficientemente claro nessa resposta também.

Vamos, continuemos.

O fim da questão é :

Questão: É necessário continuar a tudo deixar ou é necessário que eu mova as nádegas?

Eu não compreendo bem a pergunta.

É o fim da questão.

Ah sim, não mas de acordo, mas ela me diz « é necessário tudo deixar », mas deixar o quê ?

Questão: Continuar a tudo deixar ou é necessário que eu mova as nádegas. ?

Os dois ao mesmo tempo. 

 Mas não esqueça de que o melhor marcador é a Alegria.

 Então se você sente as vibrações, é o Fogo do Coração, o corpo de radiação da Fonte, do Divino que emana, é isso que coloca em Alegria; todo o resto é supérfluo, é acessório, mas isso não tem de ser recusado ou negado

Mesmo se a Alegria interior não tem, como eu disse, de se traduzir por uma exuberância ou o sorriso forçado nos lábios, mas é algo que se sente no interior, não há esforço a fazer.


 E aliás aquele que vive a Liberdade, se ele estivesse depressivo, ele não pode mais saber o que é, a depressão, ele não pode mais saber o que é a preeminência do mental ou das emoções


 Ele as vê, ele se serve disso se ele tem necessidade, mas ele não está mais identificado aos seus estados de humor, às suas circunstâncias de vida, etc. 


Ele está identificado à Verdade e ele assume seu efêmero, com felicidade mesmo.

Não esqueçam jamais que se vocês pensam que para estar em Alegria, é necessário as condições as mais neutras e se separarem de qualquer ambiente, quer dizer no sentido em que o emprega esse irmão ou essa irmã, deixar as ocupações ou desistir, ainda é um erro

 Enquanto vocês pensam que estar em alegria está dependente de uma circunstância exterior, vocês não compreenderam e vocês não vivenciaram a Verdade.


Isso vai se tornar cada vez mais evidente, visto do exterior mas visto também em vocês mesmos.


 Vocês rirão disso em breve, mesmo se no momento ainda é muito cansativo para alguns.

Vamos, continuemos.

Segunda questão dessa irmã :

Questão: Uma noite, durante o sono, senti uma Presença aos pés do meu leito. Era um ser humanoide azul céu, luminescente do interior. Ele não tinha rosto e não era feito de carne, era como um envelope. Senti uma pressão ao redor dos tornozelos e me senti apanhada como se ele me puxasse para ele. Um medo crescente me invadiu. Quando o som em meu ouvido esquerdo se amplificou e preencheu o espaço, eu soube que era um ser de Luz, benevolente, e isso me apaziguou. Retornei a mim e tudo parou. Culpei-me por ter tido medo e ele jamais retornou. Quem era e porque ele me puxou pelos tornozelos?

Então o que você descreve como ser azul, luminescente do interior mas sem traços distintivos, é típico do que é chamado os Guias azuis de Sírius, ou se você prefere os Mestres geneticistas de Sírius.

 Mas como você mesma o diz, o medo paralisou tudo e bloqueou tudo, ele jamais retornou. 

Você tem o exemplo perfeito da antinomia entre a Verdade e o medo. 


 O medo é uma retração que paralisa tudo o que é Liberdade, tudo o que é Alegria, e no entanto é um verdadeiro ser de Luz quem veio.


 Então você bem imagina que quando do Apelo de Maria que vocês escutarão e verão, mesmo se vocês estão preparados e vocês esperam, em muitos de vocês o medo será o primeiro elemento a surgir, para outros até mesmo o terror, porque isso faz parte dos hábitos da matéria.

Não é necessário culpabilizar em relação a um karma, em relação à tua consciência.

 Isso concerne unicamente às tuas estruturas efêmeras, e através do que você me descreve, você prova que está identificada à tua pessoa e ao teu personagem, o que quer que você diga em relação ao aspecto depressivo que você descreveu antes, você está apegada à tua pessoa e o que quer que você tenha antevisto da Verdade, você não fez a translação, se posso dizer, de tua consciência em meio à Infinita Presença, portanto você ainda é tributária de tuas próprias emoções.

Vocês veem não serve para nada ver os povos da natureza, não serve para nada ver os Mestres geneticistas de Sírius, vocês podem mesmo sentir uma Estrela perto de vocês, em vosso Canal Mariano, de maneira lúcida e consciente, vocês podem mesmo ouvi-la vos falar, mas assim que há a irrupção do Desconhecido, o Apelo de Maria e Nibiru, aí as coisas são diferentes. 

 É por isso que eu sempre vos disse: o medo ou o Amor.


 Então é claro, há quem não sente nem medo nem Amor porque eles estão ainda mais paralisados em sua pessoa, mas é o medo também, esse medo terrificante da irrupção do Desconhecido que produz o Choque da humanidade individual e coletivo, que vos libera antes mesmo do planeta grelha final.

Portanto não está ligado à Ascensão porque aquele que está liberado, está liberado do medo

 Não importa o que pode vir ao lado dele, mesmo o diabo em pessoa, Yadélbaoth pode vir aos pés de seu leito, isso não lhe fará nada, nem calor nem frio. 


 Agora, por que Maria ou um outro Mestre geneticista te puxou pelos tornozelos? 


 Justamente para evitar de você escapar pelo medo no corpo astral, isso não tem nenhum interesse. 


 Ora o medo, a sideração, libera o corpo astral como quando de uma experiência de morte iminente, uma NDE como se diz em inglês, mas a NDE não vos dá acesso à Verdade.


 A Verdade, ela está atrás da Luz, é necessário primeiramente atravessar a Luz e se encontrar no que está antes da Luz, o Absoluto.

Então o sonho que você teve, aí também confirma uma percepção da Verdade.

 Como eu te disse antes mesmo de conhecer esse sonho, você teve uma antevisão da Verdade, talvez em outras inumeráveis experiências aliás, mas ainda uma vez, você está na Alegria?

 A prova é que não, e portanto você permanece em meio à pessoa, mesmo se mais nada interessa essa pessoa, mas essa pessoa não fez a transição em meio à Eternidade. 

 Mas isso vai vir.

E no entanto essa pessoa, se bem compreendi, vive na floresta, só, portanto no meio da natureza. 

 Vocês veem a força dos hábitos?

 E no entanto não é kármico, não é psicológico. 

 Além disso quantos de vocês ainda estão aterrorizados ou não querem acreditar que vão perder seus corpos, sua forma, sua história passada neste mundo


Uma vez que como disse um irmão em raiva, é uma história que não serve para nada, ela não vos é de nenhuma utilidade, exceto evidentemente para os irmãos e as irmãs que quererão ajudar a liberar outros mundos.


Vamos, continuamos.

Questão: Alguns de nós somos tributários de algum comportamento psíquico ou emocional relacionado às nossas antigas experiências profissionais. Como complemento às Teofanias, e com o pouco tempo restante, existe algum protocolo que possamos praticar para eliminar permanentemente as memórias incômodas que não foram vistas e que estão ligadas a esses comportamentos? 







Post. e Formatação

Tradução do Francês: 
Ligia Borges 

Origem: 
https://lestransformations.wordpress.com/2017/08/30/o-m-aivanhov-partie-3-28-aout-2017/

Áudio da Leitura da Mensagem em Português - 
por Noemia.

Clique aqui para fazer o download do áudio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...