25/04/2016

O.M. AÏVANHOV - Crônicas da Ascensão - (Parte III)

CADERNOS DE ABRIL DE 2016

"A Inteligência da Luz basta-se a si mesma".

O.M. AÏVANHOV 
Preâmbulo

Crônicas dos Melquisedeques 
- O Masculino Sagrado -

Mas não procure nem o efêmero nem a Eternidade, porque nada mais há a procurar.

Está aí agora.

(Continua: parte III)

Quando eu falei de atualização da Ascensão, porque isso se desenrola agora, ou da Liberação, em todo caso – para muitos de vocês, é a Ascensão, mas eu os lembro de que a Ascensão não é coletiva, ela é individual, mesmo se haja um momento coletivo.

Vocês se aproximam, cada vez mais, do momento coletivo, vocês o vivem, aliás, muitos de vocês.


Nesse momento coletivo, que é uma forma, por vezes, de pré-estase, na qual vocês constatam que o ambiente desaparece, que seus pensamentos, mesmo o fio de seus pensamentos é perdido, que o próprio sentido de seus apegos que possam restar, não tem mais valor, é nesses momentos que é preciso inclinar-se ao coração, não para dizer que a Luz não é correta ou que a Luz é correta, ou que a Luz vai fazer isso ou aquilo, mas olhem a Luz que vocês são e verão o ridículo da pessoa que gesticula com seu joystick de jogo de vídeo e que quer que o personagem faça isso ou aquilo.

A Inteligência da Luz basta-se a si mesma.

Se tomamos a analogia em relação ao seu corpo, você não tem necessidade de pensar em respirar e, no entanto, você respira.

Você não tem necessidade de saber quais são os músculos e os movimentos que o fazem andar e, no entanto, você anda, não é?

É preciso que a Luz volte a tornar-se automática e, eu diria, quase inconsciente, ao nível da pessoa, e totalmente consciente no Espírito que você é.

Mas isso, é preciso soltar os joysticks do jogo.

Isso não quer dizer desviar-se da pessoa que tem suas necessidades, mas, simplesmente, você não é essa pessoa.

Bidi gritou-lhes isso durante meses.

Hoje, onde é que você está em relação a isso?

É a você que cabe ver claro.

Não por sua vontade, não por uma percepção extrassensorial, mas ver-se no trabalho, realmente.

Quando é que você é uma pessoa limitada e quando é que você é a Eternidade?

E, se você se sente limitado em relação ao corpo, em relação a eventos, quaisquer que sejam, onde está sua confiança na Eternidade?

O que é que você põe à frente?

Não, unicamente, o Amor, mas será que você põe à frente a pessoa ou o Espírito?

É isso que lhe pergunta a Luz e é isso o masculino sagrado.

Será que o Espírito de Verdade vai, enfim, sair e manifestar-se, em qualquer ocasião que seja, ou será que você tem, ainda, identificações demasiado pronunciadas ao que você crê ser nesse mundo e nessa história?

É claro, você é livre para escolher permanecer em uma história, nós sempre dissemos isso.

Mas, se você quer aproveitar, porque é, verdadeiramente, um proveito, no sentido nobre do termo, aproveitar a abundância da Luz, não deve mais restar a pessoa.

Mas você não pode fazer desaparecer a pessoa com a pessoa, isso você sabe, hein?

Eu o remeto a tudo o que disse Bidi.

Você apenas pode trabalhar acolhendo a Luz Cristo em unidade, em verdade, acolhendo as vibrações como o golpe de martelo que lhe cai sobre a cabeça, do mesmo modo.

É assim que você não estará na negação da pessoa é claro, uma vez que ela ainda está aí; seria preciso ser tolo para pensar isso –, mas você estará na transcendência real, concreta e manifestada da pessoa.

Você verá que, nesses casos, o que quer que se produza em sua consciência, em sua vida, você não tem mais necessidade de outra coisa do que ser essa consciência.

E a pessoa, mesmo se ela gesticule em segundo plano, dizendo: «Ei, ocupe-se de minha dor» ou, então, se você não está mais inscrito na pessoa: «É preciso que eu cuide de tal distúrbio ou de tal perturbação.».

Mas não se esqueça, também, de que seus corpos físicos são falíveis.

Eles jamais previram – em todo caso, nesse mundo e, mesmo nos mundos livres – mesmo os corpos de 3D unificada não são eternos.

Eles duram um tempo, mas não há ruptura de cordão celeste com o Espírito.

Hoje não, unicamente, você restabeleceu o cordão celeste com o Espírito, de diferentes modos, hein?

Canal Mariano, coração, Coroas radiantes, Onda do Éter etc. etc.

E tudo isso, se você quiser, você conhece.

Hoje, tudo isso, você não tem, necessariamente, que deixar cair, mas você tem que se desobstruir, mesmo, do que, de momento, pareceram-lhe ser muletas indispensáveis, como o foram as Núpcias Celestes, como são os dragões, os elfos e os povos da natureza, como são, por exemplo, as canalizações.

É claro que é muito agradável partilhar e trocar.

Eu não disse que é preciso fechar-se em uma sala e não mais mover-se, mas é preciso sair como porta-estandarte, o Coração do Coração.

E isso não depende de sua vontade, nem mesmo, eu diria, hoje, de seus estados vibratórios; é algo que é natural.

Natural, isso quer dizer que é espontâneo, do mesmo modo que você respira sem pensar em sua respiração.

Durante anos, nós temos atraído sua consciência às Portas, às Estrelas e a todas as estruturas ligadas ao corpo de Eternidade ou à interface entre o Eterno e o efêmero.

Mas isso é natural.

Nós e vocês, simplesmente, fixamos, de algum modo, o corpo de eternidade aqui na Terra.

Agora a Luz não, unicamente, ganhou, é claro, desde 2011, mas as forças residuais ligadas ao hábito, ligadas à atração, se posso dizer, da dualidade, são, ainda, por vezes, eficientes.

E, aliás, o corpo está ainda vivo, não é?

Vocês são, ainda, aqueles que leem, que escutam; seu corpo físico está, de algum modo, nesse mundo.

Aquilo de que falo, nesse masculino sagrado, é não, unicamente, pôr o Amor ou a Luz à frente e por toda a parte, é que vocês são Amor.

A partir dessa coisa que há a verificar: vocês são Amor.

O Amor tem necessidade de outra coisa?

Como dizia Cristo: «Será que o pássaro preocupa-se com o que ele vai comer amanhã?».

E, aliás,aquele que não tem que comer, se está no Amor, ele já é nutrido suficientemente.

E a própria pessoa que está nesse mundo vai, ela também, ser nutrida pelo Amor.

Eu lhes disse, em várias reprises, também, que muitos de vocês não têm mais necessidade de nutrição de espécie alguma, vocês se nutrem do interior, se posso dizer.

Nutrem-se por seu Espírito, pelo Espírito de Verdade, por Cristo, pela Luz, pelo Amor, por Maria, por uma das Estrelas, pela Onda de Vida, de toda a parte.

Então, agora, você vê – e você se vê, você também – esse vai e vem entre a pessoa e o que é o que você é.

Então, cabe a você decidir qual jogo você joga.

E a Inteligência da Luz, de todo modo, qualquer que seja o jogo que você tenha decidido jogar – ou parar todo jogo, é a mesma coisa – é sua liberdade.

Mas pare agora, porque os eventos, se você quiser, na Terra, estão se precipitando ao nível da sociedade e do mundo, a mesma coisa ao nível cósmico – você verá cada vez mais asteroides em seus céus, já é o caso, você verá fenômenos absolutamente não habituais cada vez mais surpreendentes – e se você está inscrito na pessoa, como você vai fazer?

Imagine, por exemplo, que, amanhã, não haja mais alimento em lugar algum, o que é que você faz, você morre?

Isso é, ainda, uma crença.

Então, é claro, há inconvenientes: quando você não come mais, há desequilíbrios, há o açúcar no sangue que diminui, há vertigens, há dores, há cólicas no ventre.

Mas você, onde você está?

E é isso que a Luz vai mostrar-lhe agora.

Você é uma pessoa, ainda?

Ou não há mais a pessoa?

E você verá que, quando há a pessoa, há sofrimento.

E você verá que, se não há mais a pessoa, há o Amor, mas que não depende de pessoa alguma.

Portanto, você não depende mais de qualquer circunstância desse corpo no qual você está, como de qualquer relação ou de qualquer evento.

É isso o masculino sagrado.

Você vê, é uma espécie de determinação da Luz em sua vida, mas que de nada mais depende do que do instante presente.

Não é colorida pela história nem por qualquer projeção concernente ao futuro.

São, realmente, os trabalhos práticos da Ascensão.

Alguns de vocês vivem, também, uma forma não de derrotismo, eu diria, mas uma espécie de lassidão, porque..., o que é que isso quer dizer, como eu o disse da outra vez?

É que vocês ainda estão submissos ao tempo em sua pessoa.

Aquele que é liberado totalmente não está submisso ao tempo.

É claro, se há uma reunião, ele vai tentar chegar na hora, e ele ali estará sem pensar, além disso, ou, então, tudo será transformado de um modo imprevisível.

Mas o masculino sagrado, eu diria que é Metatron.

É o «Ehier Asher Ehier», «Eu sou aquele que eu sou», «Eu sou aquele que eu fui, que eu sou e que eu serei», «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida», «Eu sou o Alfa e o Ômega».
Você é isso?

Qualquer que seja a Luz?

Quaisquer que sejam as experiências?

Quaisquer que sejam suas percepções?

Quer seja na natureza, quer seja em si mesmo ou nas relações com quem quer que seja ou o que quer que seja?

A Luz mostra-lhe se você ainda é uma pessoa ou não.

Mas lembre-se, também, de que não há culpa a ter.

Se você tem necessidade de tomar um medicamento químico para tratar alguma coisa desse corpo, faça-o.

Você não é esse corpo, então, se tem que fazer, contanto que ele fique tranquilo e que ele não sofra, não é?

É a mesma coisa para todas as suas relações.

O Amor não é sempre aquiescer a tudo.

É, por vezes, como o fez Cristo, saber praguejar, não é?

Mas nem mesmo dizê-lo, a Luz encarregar-se-á disso por você, uma vez que você não é mais uma pessoa.

Todo o jogo que se desenrola agora é dar-lhe a ver a distância cada vez maior que pode existir entre uma pessoa, mesmo espiritual, e aquele que não é mais uma pessoa.

Em um caso há sofrimento, em um caso há interrogações, há necessidade de compreensão, necessidade de consumar e, quando não há mais a pessoa, tudo é consumado na pessoa.

E aí, é claro, o estado de Graça, a espontaneidade, a humildade, a simplicidade, o Fogo do Coração, tudo isso se faz independentemente de você.

A cada olhar, a cada gesto, como a cada cochilo.

Tudo isso é o que você vai viver, muitos de vocês já o vivem, mas não fizeram a ligação ainda.

Portanto, pessoa, ou não há pessoa.

Há alguém ou não há mais alguém, há apenas a Vida.

É isso estar na vida e ser liberado vivo e, também, viver a Ascensão, de maneira individual, neste período.

Então, é claro, entre vocês há os que viveram sua origem estelar, suas linhagens estelares, que são ávidos de experiências.

E é lógico, porque essa avidez de experiências aportou-os, se posso dizer, ao mais próximo da Porta Estreita ou do Coração do Coração.

Mas, depois, lembrem-se de que ninguém de exterior a vocês, nem qualquer Luz exterior a vocês, em sua eternidade, pode decidir por vocês.

Mas se a pessoa está, ainda, à frente, então, você não está livre, mas nenhuma culpa.

Como eu disse, não são mais jogos de sombra e luz, não é mais o bem e o mal, tanto em vocês como em seu exterior, é apenas a resolução final.

Portanto, o melhor que você aquiescer à sua eternidade, melhor você estará presente, totalmente, aqui.

Mas você terá a consciência total de não ser uma pessoa, e de não ser, tampouco, de tal origem ou de tal dimensão.

Você viverá a espontaneidade, você viverá a Autonomia total interior, quaisquer que sejam as circunstâncias desse mundo, qualquer que seja a guerra, quaisquer que sejam as privações, quaisquer que sejam os eventos.

Você não se torna inabalável, é a Luz que é inabalável; a pessoa será, sempre, abalável.

Aliás, ela morre, sempre, mais cedo ou mais tarde, não é?










Post. e Formatação.
Semeador de Estrelas
http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação.
Céia G.
Leituras Para os Filhos da Luz

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...