19/11/2011

"AOS VISIONÁRIOS"


Apresentando ADAMUS.
Parte I
Já Publicados:
Marcador:
ADAMUS

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.
Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. *
(Nota: S.Estrelas - Aos que não estão familiarizados com os encontros do Círculo Carmesim, onde Admus se manifesta através de Geoffrey Hoppe, não estranhem as brincadeiras e a maneira descontraída e familiar como trata os presentes nas reuniões. Mas dessa maneira informal, ele nos passa importantes informações e orientação sobre "a que viemos aqui"? Neste encontro, trata da SENSUALIDADE e AMOR de uma maneira que nos liberta de limitações, que pensamos as vezes não mais ter, fala também sobre Os Detentores de Energia . Por ser longo o dialogo eu o dividi em partes).

SHOUD 3:
Canalizado por:
Geoffrey Hoppe
Apresentado ao Círculo Carmesim
em 5 de novembro de 2011
www.crimsoncircle.com.br


Eu Sou o que Sou, orgulhoso de ser Adamus.
Bem-vindos ao nosso encontro.
Muita coisa a dizer hoje, muitos rostos sorridentes – não sabem no que se meteram! [Risadas] – a muita coisa a ser abordada. Linda, aconteça o que acontecer, às 4:50, me interrompa.


 Me interrompa, chega!
LINDA: Tudo bem.
ADAMUS: Chega! Se não pudermos tratar de tudo na próxima hora e meia, mais ou menos, é porque não devemos mais tratar.
Não é mesmo, Bonnie? [Risadas]
BONNIE: É. 
ADAMUS: É. Sim. 
É a energia; não são as palavras.
É o encontro; não é uma palestra longa e enfadonha.
Bela espada [Adamus está falando com Mary, que está fantasiada, como muitos, ainda nas comemorações do Halloween.]
MARY: Obrigada.
ADAMUS: É, obrigado você. [Ele pega a espada dela.]
Assim... E, John, aconteça o que acontecer, se Linda não me interromper às 10 para as 5, corte o microfone.
JOHN: Sem problema.
ADAMUS: Simplesmente corte [risadas], mas nem um minuto antes.

Sensualidade

Assim, este é o nosso encontro espiritual mensal.
E a pergunta que tenho pra começar o dia é: Como está a sensualidade de vocês?
Gostei disso.
[Ele está brincando com a espada.] 
 Como está a sua sensualidade? 
Vamos precisar do microfone, por favor, aqui.
EDITH: Sexo.
ADAMUS: Eu não disse sexo, Edith!
EDITH: Eu sei que não disse.
ADAMUS: Isso fica só entre nós! Eu disse sensualidade! [Risadas]
LINDA: [dando um abraço em Edith] Desculpa. Você não tem uma folga, Edith, uma folga.
ADAMUS: Sensualidade. Como está a sua sensualidade?
JOSHUA: Está meio em baixa ultimamente.
ADAMUS: Em baixa. Ótimo. Ótimo. Obrigado pela honestidade. Por quê? [Silêncio] Ah! Você sabe por quê.
JOSHUA: Primeiro, é minha escolha, mas também falta de atenção.
ADAMUS: Talvez... talvez... desculpe-me, Aandrah... [ele tocou sem querer com a espada nela] Talvez esteja pensando um pouco demais, hein? Isso acaba com um dia sensual. Oh, por favor. [Ele está brandindo a espada e todos riem quando ele para de fazer isso pra deixar Linda passar.] Certo, obrigado. Obrigado.
Como está sua sensualidade? Bela echarpe! Adorei esta espada! [Risadas, pois ele mexe na echarpe com a espada.] Bela echarpe! Como está sua sensualidade?
JOYCE: Eu diria que vai bem, como manda a natureza. O resto é que eu não sei.

ADAMUS: Ótimo. Ótimo.
Natureza muito, muito sensual. 
 Todas essas vibrações, todas essas sensações, todas essas criaturas por aí afora, toda essa energia da floresta.
  Ah, você pode ter isto de volta, temporariamente.
[Ele entrega a espada de volta pra Mary.]. 
Com certeza.
Como está sua sensualidade?
LINDA: Ohhh...
ADAMUS: Ahhh... Sim.
MULHER SHAUMBRA 1: Realmente ótima.
ADAMUS: Realmente... ótima, ótima, ótima. Com certeza. E a minha está ficando melhor agora com um pouquinho de comida aqui. [Ele está examinando a comida no fundo da sala.] 
Não liguem pra mim; continuem com a reunião. Por que acabaram com todo o chocolate?
LINDA: Você sabe, aqui cada um traz um prato, e já notou que raramente tem chocolate?
ADAMUS: Sem chocolate. Que decepção!
LINDA: Ninguém tem trazido chocolate. Não sei por quê.
ADAMUS: É. Ótimo. Bem, traremos um pouco depois. [Ele pega um prato cheio de roscas.]
Perguntei sobre sua sensualidade... Só em caso de ficarmos com fome por aqui [referindo-se às roscas].
Estou faminto!
Não temos comida do outro lado.
  [Risadas]
Preciso vir pra cá pra ter uma boa refeição! 
Obrigado, Linda. 
Deixe as mãos longe daí.
LINDA: Sem problema.
ADAMUS: [dando uma mordida] Nham... Nham... [Risadas] Para quem estiver ouvindo online, estamos fazendo um coffee-break. [Risadas] Sandra, a Fada da Floresta...
LINDA: E falando com a boca cheia.
ADAMUS: Eu não ligo. Não é a minha boca! [Risadas] Ele é que fica parecendo bobo, não eu! [Adamus está se referindo a Cauldre]
LINDA: Vou beijar você na boca e saberei que não é o Geoff. [Risadas]
ADAMUS: E, Fada da Floresta, café com creme, por favor? Obrigado. Assim... eu comando as energias pra me servirem, o que vocês também deveriam fazer.

Acabei de perguntar sobre sua natureza sensual – como está sua natureza sensual? – porque muitas vezes vocês a suprimem. 
Vocês a reprimem.
Vocês não acham que a merecem ou pensam que ela vai prendê-los aqui neste planeta.
E não vai.
Não vai.
A maior alegria que os Mestres Ascensos tiveram um pouco antes de ascenderem foi a de serem muito sensuais.
Vocês podem fazer coisas neste planeta – bem aqui – que não podem em nenhum outro lugar.
Vocês podem comer um prato de roscas.
Garanto que não há roscas em nenhum outro lugar do universo.
Só aqui.

EDITH: Nossa!
ADAMUS: Sério. É verdade. [Sandra traz o café para ele.] Obrigado. Obrigado. Obrigado. Você é uma boa Fada da Floresta.
Não há lugar como a Terra, onde se pode tomar um gole de café enquanto se faz uma apresentação na Internet assim.
Nenhum lugar onde se pode sorrir, gargalhar e dar beijinhos [dando beijinhos em Linda] em outro humano nem nada disso.
Há uma tendência para se suprimir a natureza sensual.

Os anjos, por natureza, são muito, muito sensuais. Adoram cores e sons.
Adoram texturas e artes.
Adoram qualquer coisa que proporcione uma experiência sensual.
E não estou falando apenas “sexual”, embora isso seja algo também muito exclusivo deste planeta.
O modo como vocês têm uma bela união física, espiritual, energética. 
Seja sozinho, com um parceiro, não importa.
Então, eu pergunto, enquanto começamos hoje, como está a sua sensualidade? 
 Porque ela certamente afetará o seu nível de energia. Realmente afetará.
Quando vocês suprimem essa sensualidade, quando bloqueiam os sentidos – os sentidos físicos e espirituais –, isso basicamente acaba com o fluxo de energia.
Se estiverem num modo mental tendo muitos pensamentos e atividades mentais –, vão ficar realmente cansados porque restringirem esse fluxo natural.
Vocês não estarão irradiando para o Campo de todas as energias que vocês querem algo mais. 
Vocês ficam presos aqui [na cabeça], o corpo, então, é subutilizado, a mente tende a pensar demais. 
Vocês todos tiveram a experiência:
“O que está errado comigo?”. 
Analisam, ficam esgotados e tentam entender:
“O que está errado?
O que está errado?
O que está errado?”
Bem, o que está errado é que vocês não estão se permitindo ser sensuais, com cada sentido que possuem; tão imersos na vida que não se importam se ficarem perdidos, porque não ficarão.
Realmente não ficarão. 
Tão imersos em si mesmos, tão imersos no Eu Sou, que realmente não se importam de pra onde vão ou com o que aconteça, porque vocês vivem uma jornada sensual interior e também com os outros.
Existe, definitivamente, uma resistência pra imergirem em si mesmos
É assim: “Bem, isso parece egoísmo.” 
É como se devessem fazer tudo pra todo mundo.
De jeito nenhum.
E vamos falar sobre isso hoje de várias formas diferentes.
Permitam-se entrar em si mesmos, tão selvagem e loucamente apaixonados por si mesmos... é isso que muda este planeta. 
 É isso que, de fato, lhes proporciona a alegria pela experiência neste planeta.
Sem dúvida.
Por que Vocês Estão Aqui?
Assim, a próxima pergunta.
Microfone à mão para prosseguirmos.
LINDA: Já está.
ADAMUS: A próxima pergunta. Ah, vamos mostrar nossos recém-chegados aqui. Temos uma fileira inteira deles alinhados aqui pra mim! Ahhh, sim! Lindas senhoras, todas aqui pela primeira vez. A câmera está ali; tem outra lá, em caso de tentarem fugir. [Risadas] E todos ao redor do mundo podem vê-las. Então, por que estão aqui? Vamos perguntar a todas. Por que vocês estão aqui? Microfone. Se possível, fiquem de pé.
VILI: Bem, como foi dito, é um tempo de recomeços, e eu sempre quis estar aqui. E é minha primeira vez e estou num momento de começar novamente, iniciar novas experiências e...
ADAMUS: Sim. Por que você está aqui na Terra, quero dizer. Não aqui hoje! [Risadas] Digo...
VILI: Ah, por isso!
ADAMUS: Estou fazendo uma pergunta ampla. Eu... só um instante... Eu... [Risadas quando vai até a câmera e gesticula.] Vamos tentar de novo. A gente corta essa última parte.
VILI: Vamos recomeçar.
ADAMUS: Vamos recomeçar. Minha cara... Ah, segure isto um pouco... [Ele entrega à Linda o microfone que estava na mão de Vili.] Minha cara [beijando a mão de Vili], por que você está aqui?
VILI: Pra me divertir, muito.
ADAMUS: Que ótimo! Isso é maravilhoso – se divertir. Você percebe que há cinco anos, você e muitos outros não conseguiriam dizer isso?
VILI: Não, mesmo.
ADAMUS: Não conseguiriam dizer isso: “estar aqui pra me divertir.” Que bom. E não existe nenhum “mas” com relação a isso. Nenhum “mas”. Aqui pra se divertir. Obrigado.
VILI: Obrigada.
ADAMUS: Então...
LINDA: A próxima.
ADAMUS: Por que você está aqui? Aqui nesta reunião, mas também nesta existência
PILAR: Sou sua maior fã.
ADAMUS: Oh, minha maior fã. Isso... [falando com Linda] Você trouxe prêmios de Adamus hoje? [Risadas]
LINDA: Sim, sim!
ADAMUS: É tão fácil, mas tornam a coisa tão difícil...
PILAR: Sou apaixonada por você...
ADAMUS: Disse a palavra certa...
PILAR: Sou apaixonada por você há séculos. [A plateia diz “Ohhhh!” e aplaude.] Mas você sabe disso.
ADAMUS: Ah, eu sei. Eu sei. Ah! Bom, então, podemos encerrar o encontro agora! [Adamus ri, bem como a plateia.]
PILAR: Vamos para um lugar tranquilo!
ADAMUS: Temos uma garrafa de tequila... [Risadas] Fora por mim, por que você está aqui?
PILAR: Bem, eu realmente curto muito a vida. Sempre foi uma alegria estar aqui. E, acho, temos o privilégio, em muitos sentidos, porque, bem, há uma fila inteira de anjos esperando por nós, pra chutarem nossos traseiros pra fora daqui, certo?!
ADAMUS: É. É.
PILAR: Então, é um privilégio.
ADAMUS: Um privilégio. Ótimo.
PILAR: E estamos nos divertindo.
ADAMUS: Sim.
PILAR: E, é claro, estamos alcançando a ascensão, que é essa coisa esquisita. Todos querem chegar lá.
ADAMUS: Muito esquisita!
PILAR: E ficam querendo entender do outro lado, ter que vir cá pra baixo pra Terra pra chegar lá.
ADAMUS: Isso.
PILAR: É, tem isso também.
ADAMUS: Sim. 
Foi estranho o que aconteceu com um grupo, recentemente, quando falamos de ascensão.
Perguntamos ao grupo: “O que é ascensão?” 
Não conseguiram responder à pergunta.
E dissemos: “O quanto vocês a desejam?” 
Bem, sem dúvida, eles a querem.
Mas dissemos: “O que os está segurando?” 
 E eles não sabiam. 
Então, há todo um dilema da ascensão.
Falamos sobre isso noutro dia. 
Mas, com certeza, está aí. 
Então, você está aqui pra se divertir.
PILAR: Isso.
ADAMUS: Está se divertindo?
PILAR: Claro, a cada dia.
ADAMUS: Ótimo. A cada... Maravilha. Ótimo. Obrigado.
E, vejam, enquanto prosseguimos pela sala com o microfone, eu vou chamar makyo de makyo. [Alguém diz “Ahá!”] Ahá!
PILAR: Não, isso não foi makyo.
ADAMUS: Não, não, não. 
Foi muito bom, muito bom. Só estou avisando os outros. [Risadas] 
Próxima.
Minha querida, por que você está aqui?
KATA: Acho que é por causa da alegria, mas vou acrescentar uma coisa a isso: é por causa da minha história de amor.
ADAMUS: Sua história de amor.
KATA: É.
ADAMUS: Com quem?
KATA: Comigo mesma.
ADAMUS: Ah!
KATA: Com meus filhos.
ADAMUS: Ah!
KATA: Com a vida.
ADAMUS: Sei.
KATA: Pra abrir esse amor cada vez mais, dentro de mim e, sim, em todo lugar.
ADAMUS: Bom. Excelente.
KATA: Obrigada.
ADAMUS: Amor. E adorei você ter se colocado em primeiro lugar, porque, ah, não precisamos entrar em detalhes, mas, se você não consegue se amar, realmente não conseguirá amar mais ninguém.

Sobre o Amor
Tem uma coisa sobre o amor...
Tive momentos maravilhosos falando sobre ele recentemente na França... 
Tem algo sobre o amor que é muito interessante.
Não existia amor como vocês o conhecem.
Não havia amor no Primeiro Círculo, em Tudo que É, em 
Deus.
 Deus não conhecia o amor, nos primórdios.
Não havia, de fato, nenhum amor entre os anjos quando vocês estavam com sua família angélica.
Havia coisas como compaixão, relacionamentos e uma ligação mútua, mas não existia amor em lugar nenhum da criação até vocês virem pra Terra e o descobrirem, até vocês descobrirem o amor bem aqui na Terra. Impressionante.
Agora, ensinaram que Deus sempre os amou.
Deus não sabia o que era amor até vocês descobrirem o que era amor. 
E, nesse momento, quando vocês sentiram essa coisa chamada amor, e o refletiram ou irradiaram para o Espírito, o Espírito sentiu amor. 
O Espírito o refletiu de volta pra vocês e, agora, vocês têm esse grande caso de amor acontecendo.
Vocês se esquecem de vez em quando, mas é isso: o amor sai de vocês para o Espírito e do Espírito de volta pra vocês. 
Mas foi criado bem aqui neste planeta.
Essa é uma das coisas que fazem da Terra um lugar tão incrível.
Não foi criado pelos pleiadianos, pelos arcturianos, pela sua família espiritual nem em nenhum outro lugar, meus amigos. 
Foi criado bem aqui.
E agora está sendo irradiado, sendo compartilhado em cada nível, nos reinos da Nova Terra, nas outras dimensões e mesmo em outros planetas.
Vocês se perguntam por que estão tão interessados no que acontece aqui.
Por que eles (nota:SE. - Eles os não terrestre) se projetam aqui ou se irradiam pra cá, de vez em quando tentando voar em pequenas espaçonaves – que não funcionam muito bem? Porque estão curiosos sobre essa coisa chamada amor. Eles sabem que veio daqui, e agora também o querem.
Eles vão aprender.
Vão aprender. 
Vão aprender com vocês, e vão aprender por eles mesmos.
Mas, sim, minha querida, Kata, o amor, ah, é uma coisa impressionante.
É uma coisa impressionante vocês se prenderem tanto a ele, serem feridos por ele, entrarem tão fundo nele.
Mas, na maior parte das vezes, pouquíssimos humanos sabem como é amarem a si mesmos.
Eles se toleram.
Têm um relacionamento capenga, desajeitado, com eles mesmos, e ainda buscam amor e criam amor com outras pessoas.
Mas sabem o que vai acontecer neste planeta...? 
Estou divagando, mas adoro fazer isso.
O que vai acontecer neste planeta é que...
Este planeta criou o amor, compartilhou o amor e viveu o amor. 
O que acontece, em seguida, neste planeta, e que nunca aconteceu em lugar nenhum, em toda a criação, é que os seres que vieram pra cá vão começar a se amar.
É a próxima fronteira.
É a próxima evolução.
É a próxima espiral, mas uma espiral que...
[Ele procura pelo pilot pra escrever no quadro.]

LINDA: Ah, meu Deus, não tem pilot? Ohh!
ADAMUS: Teremos que imaginar.
LINDA: Não, não. Já vem vindo. Está a caminho. Corra, Forrest, corra! [Larry está trazendo um pilot.]
ADAMUS: Eu não sou exigente nem nada. Uma simples xícara de café e um pilot é tudo de que preciso pra me fazer feliz!
Assim, pode-se dizer que as experiências de vocês têm sido como uma grande espiral, que continua a se expandir, continua a ter experiências e a compartilhar tudo isso.
Mas uma coisa engraçada acontece em determinada altura desse despertar pelo qual vocês estão passando.
A espiral se volta pra dentro dela... e, então, vocês precisam criar um holograma; não podemos desenhá-lo num quadro como este... mas vocês passam através dele como se fosse um portal, um portal pra dentro de si. 
E vocês nunca estarão sozinhos lá dentro, porque vocês se descobrem e têm um entendimento íntimo de tudo mais e de todos quando se apaixonam por si mesmos.
É uma das coisas mais difíceis de se fazer, com certeza; é uma das coisas mais difíceis de se fazer.
E eu olho pra todos vocês, e vocês tiveram a experiência ou estão tendo a experiência de se amar. 
Ah, é tão desafiador, é tão difícil, às vezes...
E, daí, vocês começam a tentar imaginar: 
“Bem, como eu amo a mim mesmo?” 
Uhhh, acabou de perder.
Volta, tira uma soneca e retorna mais tarde.
[Adamus ri.]

Por que Vocês Estão Aqui?
(Continuando)
Ótimo. 
Então, a pergunta “por que vocês estão aqui?” é muito ampla.
Não é tão difícil assim, na verdade.
Trataremos disso hoje.
É muito simples.
E, então, vocês começam verdadeiramente a sentir, e daí fica mais complexo. 
Mas a razão pela qual estão aqui é o amor.
Amor por este planeta, um amor absoluto por este planeta. 
 E eu sei que muitos de vocês têm reclamado disso, ao longo dos anos, e tenho ouvido mais do que a minha cota de reclamações... isso foi engraçado.

LINDA: Ha, ha, ha. Ha-ha, ha, ha, ha.
ADAMUS: ... mais do que a minha cota de reclamações sobre isso. [Alguém ri forçadamente mais alto.] Obrigado! Obrigado!
Mas, na verdade, o engraçado é que, quando vocês partem daqui, especialmente quando estão nesses momentos finais aqui, nos últimos dias ou semanas de sua existência, de repente, vocês começam a se lembrar de todas as coisas que tornam esta vida boa, do amor por estar aqui e, daí, que droga, mesmo que tenham jurado não voltar pra cá novamente, seus bastardos, vocês voltam – porque vocês amam isto.
Porque vocês amam.
A pergunta “por que estão aqui?” é bem ampla.
Eu diria que um dos maiores desafios de trabalhar com vocês é fazer com que vejam quem vocês realmente são, fazer com que compreendam por que estão aqui, o que estão fazendo aqui.
Agora, nós já ultrapassamos algumas velhas fases, como: “Vocês estão aqui por causa de carma ruim. Vocês estão aqui porque fizeram algo errado ou seja lá o que for numa vida passada e, agora, têm que pagar por isso.”  
Graças a Deus superamos esse obstáculo. 
Ninguém está aqui – ninguém, sejam vocês aqui na sala, os que estão escutando ou seja quem for – está aqui por causa de carma, a menos que acredite nesse carma.
Muitos de vocês achavam que estavam aqui pra cuidar dos outros.
Dos outros.
Essa é realmente uma péssima razão pra estarem aqui, porque eles vão “cagar e andar” pra vocês, de um jeito ou de outro. [Risadas] 
Eles vão. 
Bem, vou dizer de outra forma porque Cauldre está me recriminando.
Mais cedo ou mais tarde, eles vão desapontar vocês.
Se tiverem uma agenda pra estar aqui por causa de outras pessoas, mais cedo ou mais tarde, elas vão desapontá-los. E têm que.
Elas têm que, antes de tudo, liberá-los de uma vez por todas e se liberarem pra seguirem a própria soberania.
Assim, muitos de vocês ainda lutam um pouco com esse negócio de “tenho que estar aqui para os outros.” 
Alguns de vocês... falarei mais sobre isso depois... mas a maioria ainda tem dificuldade...
Tomara que dê pra tratarmos disso hoje. 
Vocês estão aqui desempenhando um velho papel, um papel sobre o qual Tobias falou anos atrás, e do qual não conseguem se livrar.
Vocês não conseguem se livrar dele porque realmente não assimilaram, não abraçaram nem sentiram a razão pela qual estão realmente, realmente aqui. 
Então, vocês se prendem a uma velha noção de que são detentores de energia – detentores de energia – porque fizeram isso por um longo tempo.
Existem, literalmente, grupos que vivem dentro das montanhas ou no subsolo ou em algum lugar de floresta densa grupos secretos
Estão lá por dúzias e dúzias de séculos, e mantêm a energia para este planeta.
Eles cantam. 
Eles rezam.
Eles negam a si mesmos a maior parte dos prazeres humanosdefinitivamente não são pessoas sensuais – e muitos deles ainda se encontram em ordens religiosas, embora realmente não vejam dessa forma.
Eles acham que estão lá por causa da religião, mas realmente estão lá como detentores de energia. 
Vocês os encontram nos arredores de Jerusalém. 
Vocês os encontram em mesquitas e templos, em sociedades indígenas, grupos indígenas ao redor do mundo.
Fazem isso de geração em geração. 
Reencarnam novamente nesses grupos de detentores de energia e, por um longo tempo, eles serviram a um propósito maravilhoso.
Por um longo tempo, vocês foram esses detentores de energia.
Por um bom tempo.
Existência após existência, na verdade.
Mas mantendo energia pra quê? 
Mantendo pra quê?
Fomos ao Egito há alguns anos e Tobias falou sobre as energias que ainda estavam nas pedras dos templos, que ainda estavam enterradas no solo, que ainda estavam em muitas pessoas que caminhavam na forma física. 
E ele disse: “Esses detentores de energia estão aqui há milhares de anos.” 
Ninguém fez a pergunta:
“Detendo o quê?! 
Pra quê? Pra quê?”
Bom, alguns diriam: “Bem, estão mantendo uma energia para a paz.”
Bom, se ferraram, porque não existe paz.
[Adamus está rindo com a própria piada.]

LINDA: Ha, ha, ha, ha, ha, ha, ha. Ha, ha. Você recebe um prêmio de Adamus! Ehhhhh!
ADAMUS: É, eu rio da minha própria piada!!
LINDA: Foi muito engraçada! Ha, ha, ha. [Ela entrega a ele um prêmio.]
ADAMUS: Meu primeiro prêmio! Obrigado! Obrigado. Pode colocá-lo em mim enquanto continuo falando?
LINDA: Com prazer.
ADAMUS: Mas mantendo energia pra quê? 
Mantendo pra quê? 
E alguns ainda estão nessa espécie de hipnose, de cegueira.
Tivemos algumas discussões muito interessantes com alguns grupos ultimamente que ainda acreditam que estão aqui mantendo a energia para a natureza.
Eu acho que não.
A natureza se vira bem.
LINDA: Aí está.
ADAMUS: Obrigado. Uau, elegante.
Assim, vocês ainda estão nesse papel e, como eu disse, é difícil, às vezes. 
Meu grande desafio é fazer com que vejam a razão pela qual vocês realmente estão aqui, por que estão aqui.
A propósito, sendo os piratas sensuais, espirituais, que vocês são, segurar energia é, na verdade, algo realmente entediante e não muito de vanguarda.
O interessante também é que muitos de vocês estão tendo dificuldade pra abrir mão desse papel, porque acham que, se não fizerem isso, o mundo vai entrar em colapso.
Ele pode entrar em colapso quer estejam ou não fazendo isso, mas o importante é que existem outros – com talvez bem menos experiência aqui na Terra – que querem agora servir de algum modo.
Eles estão vindo pra esses papéis.
Então, de certa forma, vocês meio que os impedem de serem os próximos detentores de energia.
A Terra sempre vai precisar que mantenham um pouco de energia pra ela.
Talvez o termo melhor seja “equilibradores de energia”. 
Pois, enquanto a consciência faz esse tipo de salto, enquanto a consciência realmente se move e expande, neste momento temos uma dinâmica propícia pra que algo mantenha um equilíbrio ou um ponto de referência.
Mas, depois, em determinado momento, isso também muda e o próximo grupo chega pra manter esse equilíbrio.
Mas mantê-lo pra quê?
Bem, pra conservar esse impulso sem que vire uma loucura total.
Manter, na maioria das vezes... para os indígenas, para aqueles que têm feito isso há milhares de anos... manter isso para o tempo certo, para o grupo certo
Manter isso até que a consciência da Terra esteja numa posição em que muitos humanos possam se tornar seres soberanos, possam se tornar Mestres, possam se tornar iluminados e ainda assim permanecer no corpo físico.
Estão mantendo isso até chegar um tempo em que haja uma massa suficiente ou um número suficiente dessas pessoas que desenvolveram verdadeiramente o amor e a compaixão por si mesmas e que são os verdadeiros novos Standards para o planeta.
É por isso que eles estão mantendo isso.
E são vocês.
E é isso que vocês não vêem.
E é quando dou um tapa na cabeça às vezes e digo: “Por que eles não veem isso?” 
É o que tenho me perguntado muito.
Por que vocês não veem?

Bem, por diversas razões.
Uma é que vocês ainda estão presos nesse papel de detentores de energia, e um detentor de energia não será capaz de ver quem realmente é se ainda estiver atuando nessa arena.
Grande parte da razão é que vocês não conseguem acreditar nisso.
Vocês não conseguem assimilar profundamente. 
Vocês dizem: “Quem, eu?! 
Na minha insignificância?! 
Se eu fosse tão bom, se eu fosse esse ser altamente evoluído do qual Adamus fala, eu estalaria os dedos e uma xícara de café apareceria.”
E daí vocês se avaliam usando uns padrões realmente estranhos, porque essas coisas, no final, não são nem um pouco importantes.
Mas vocês dizem: “Se eu fosse tão iluminado, eu poderia...” [Linda se assusta quando Adamus ameaça derramar café no Garret.] 
Eu não ousaria.
[Adamus ri e a plateia também.]
GARRET: Sim, você ousaria!
ADAMUS: Não ousaria.
GARRET: Sim, ousaria!
ADAMUS: Vocês dizem:
“Se eu fosse tão iluminado, eu saberia exatamente como estará o mercado de ações amanhã.”
Na verdade, uma pessoa iluminada não está nem aí pra como vai estar o mercado de ações.  
Uma pessoa iluminada realmente não quer saber de ler os pensamentos dos outros, porque 95% de todos os pensamentos são lixo. 
 Uma pessoa iluminada basicamente não se importa; está plenamente satisfeita de estar no momento do Agora.
Assim, uma das coisas que quero fazer com a conversa de hoje é superar esse velho papel de detentores de energia. Vocês não estão aqui pra manter as energias para os golfinhos. 
Não, vocês não estão... ou para as baleias ou os esquilos, as cobras nem nada disso.
Realmente não estão.
Outros vão fazer isso.
Vocês não estão aqui pra manter a energia para o planeta, para o retorno de Yeshua, porque ele não vai voltar.
Ele viu o que estava acontecendo e disse: 
“Não preciso voltar.”
Vocês não estão aqui pra manter a energia de Gaia.
Ela está partindo! 
Ela está partindo e quer que vocês assumam a responsabilidade pelo meio-ambiente, o que inclui seu corpo, o que inclui seu ambiente físico, mas ela está partindo.
Ela não precisa de detentores de energia.
Ela precisa de propulsores de energia pra tirá-la daqui, porque muitos detentores estão tentando mantê-la aqui!  
Ela precisa daqueles que vão empurrá-la porta afora pra que os humanos possam assumir a responsabilidade por este planeta de uma vez por todas.
Assim, vamos respirar fundo com isso.
Quem sabe, no final do dia de hoje, vocês se vejam de uma maneira um pouco diferente, mais parecida com quem vocês realmente são, com o modo como eu vejo vocês.
E talvez vocês se sintam meio desconfortáveis porque é tão esplêndido, mas por que não?
É tão espetacular, mas é isso que vocês são.
É tão incrível, porque é.
Quem sabe, no final do dia, vocês respirem fundo e parem de duvidar de si mesmos e parem de ficar se perguntando por que realmente estão aqui. 
Sim, pela alegria, sim, pelo amor, mas é também por algo muito, muito grandioso.
Por que Vieram pra Cá?
A propósito, vocês não estão mais aqui pela sua família espiritual.
Essa é uma questão difícil, ou deve ter sido uma questão difícil.
Vejam bem, muitos de vocês vieram a este planeta por causa de suas famílias angélicas espirituais. 
Vocês vieram pra cá pra aprender algo que pudesse liberá-los.
É como se tudo no cosmos tivesse dado uma grande parada, uma grande... como se fosse um lago de lama.
É como se tudo tivesse ficado denso demais e não desse mais pra se mover, e vocês vieram pra cá entender o que tinha acontecido.
Vocês vieram pra cá passar por uma série de existências, mais ou menos pra reviver alguns eventos.
Eles não pertenciam à forma física, mas a forma física permitiu que vocês tivessem um entendimento totalmente diferente. 
Sabem de uma coisa?
Vocês vieram pra cá pela sua família espiritual – muito corajoso, muito atencioso, muito nobre da parte de vocês fazer isso. 
 O trabalho que vocês fizeram libertou a energia na Criação com a sua família espiritual. 
É por isso que muitos estão enfileirados agora pra vir pra este planeta ou para a Nova Terra. 
Eles estão livres.
Estão se movendo novamente. 
Vocês ficaram desempregados.
[Adamus ri.]
Uau! E agora?
Desemprego angélico. 
[Risadas, e alguém diz: “Quero seguro desemprego.”] 
É.
É, vocês não recebem pagamento há um tempão.
Com certeza, e essa é uma questão difícil, porque é realmente uma das razões básicas de vocês virem pra cá. Vocês se dedicaram a isso, e, como isso acabou, vocês se sentem meio assim: 
“Bem, e agora? O que que eu faço?”
Isso está num nível muito profundo.
A mente de vocês pode não reconhecer isso, mas vocês, sim.
Daí, coisas estranhas acontecem: 
vocês têm sonhos em que estão se alistando nas forças armadas, se alistando em instituições de caridade, vagando sem rumo, tentando encontrar alguém que precise de sua ajuda, e ninguém precisa.
Vejam, isso é mais ou menos o que acontece depois do trabalho realizado.
Então, vocês dizem: “Onde foi a grande celebração? Onde aconteceu a grande celebração pelo trabalho que fiz? Minha família espiritual está livre agora.” 
Eles terão isso depois, mas no momento querem deixá-los sozinhos.
Eles sabem o que vocês fizeram, mas querem dar um tempo pra que vocês pensem em si mesmos, neste momento.
Tem sido uma jornada e tanto.
Foram muitas batalhas, muitas tentativas e erros, fazendo isso apenas, e eles sabem agora que vocês simplesmente precisam de tempo pra si mesmos, um tempo com vocês mesmos.
Vamos respirar fundo.
Vocês são um grupo especial, e eu não diria isso pra outros grupos, a menos que me pagassem muito bem. [Risadas] 
 Não digo isso pra outros grupos, e vocês sabem que eu diria pra vocês, que vocês estão completamente cheios de makyo, se eu sentisse isso.
Eu seria o primeiro. 
Eu ficaria muito satisfeito de lhes dizer isso, mais do que satisfeito.
Eu busco as oportunidades! [Risadas]
Eu fico procurando!

Vocês estão aqui por uma razão muito especial, além de se divertirem, amarem a vida, o resto que se dane – por que não? 
Vocês dedicaram muitas vidas a um serviço muito difícil.
Por que não só se divertir agora? 
Bem, podemos escrever uma lista de por que não, mas estou perguntando de maneira retórica.
Por que não?!
Por que não?
Vocês são um grupo muito especial, e, quer seja hoje ou amanhã ou talvez no ano que vem, espero que vocês consigam perceber isso – o quanto são especiais. 
Eu pedi à querida Linda que... vou pedir a ela que leia uma citação.
E vou pedir a vocês que a sintam.
Leia devagar, de maneira interpretativa e sensual. 
Por que não?
Então, prossiga.
LINDA [lendo com voz inflamada]:
“Isto é para os loucos, os desajustados, os rebeldes, os encrenqueiros, as pecinhas redondas nos buracos quadrados, aqueles que veem as coisas de maneira diferente. 
Eles não curtem regras e não respeitam o status quo.” Estou indo bem? 
“Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou difamá-los.
Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los.
Porque eles mudam as coisas.
Eles empurram a raça humana pra frente.
E, embora muitos os considerem loucos, nós os consideramos gênios.
Porque as pessoas que são loucas o suficiente pra achar que podem mudar o mundo são as que realmente o fazem.”

ADAMUS: Com certeza.
Lindo.
Se aplica muito a vocês, aos Shaumbra. [Alguns aplausos] Os loucos que acreditam que podem mudar o mundo, porque... não é apenas por causa da mudança, mas porque sabem que o mundo pediu pela mudança.
O mundo disse: “Estamos prontos.” 
Então, vocês deram um passo à frente e disseram: “Pode ser mudado.
Pode ser, com certeza, e, portanto, será.”

Uma bela citação.
Na verdade, não foi escrita pra vocês.
Mas se aplica a vocês.
Quem escreveu isso?
[Alguém diz: “Steve Jobs.”] Steve Jobs.
Sem dúvida. 
Sem dúvida.
                                                

Continua parte II
Assunto:
O Convidado de Hoje
Steve Jobs.

Já publicadas:
Marcador:

Tradução de Inês Fernandes –
mariainesfernandes@globo.com

Post. e Formatação:
Semeador de Estrelas


*Os materiais do Círculo Carmesim com Tobias, Adamus Saint-Germain e Kuthumi lal Singh têm sido oferecidos gratuitamente desde agosto de 1999.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Essas reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público e todos são bem-vindos.

Se você estiver lendo isto e sentir um sentido da verdade e conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia para os humanos e os anjos também. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você neste momento e por todos os tempos que virão. Você nunca está sozinho, pois existe a família que está por todo o mundo e os anjos que estão ao seu redor.

Você pode distribuir livremente este texto em uma base não-comercial, sem nenhum custo. Por favor, inclua as informações na sua totalidade, incluindo as notas de rodapé. Todos os outros usos devem ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Ver contatos página no site: www.crimsoncircle.com

© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403

www.novasenergias.net/circulocarmesim
Site Oficial do Circulo Carmesim. Todos os direitos reservados.
www.crimsoncircle.com/br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...