19/11/2011

"AOS VISIONÁRIOS"


O Convidado de Hoje
Steve Jobs.
  PARTE II
Já Publicado:
Marcador:
ADAMUS
SHOUD 3:
Canalizado por:
Geoffrey Hoppe

Uma bela citação.
(citado no final da parte I)
Na verdade, não foi escrita pra vocês.
Mas se aplica a vocês. 
Quem escreveu isso?
[Alguém diz: “Steve Jobs.”]
Steve Jobs.
Sem dúvida.
Sem dúvida.
Agora, Steve Jobs não era santo.

LINDA: Quer que eu leia agora como se fosse o Steve Jobs?
ADAMUS: Como é?
LINDA: Devo ler como se fosse o Steve Jobs agora?
ADAMUS: Não, não, não. 

Steve Jobs não era santo. 
De jeito nenhum.
Para aqueles que não sabem – Steve Jobs, o cocriador, cofundador da Apple. 
Steve Jobs mudou o mundo. 
Ah, ele é um personagem interessante, interessante. 

Tão interessante que, mesmo eu não sendo fã de dividir o palco com outros seres... gosto de ter vocês só pra mim, diferente de Tobias, que sempre tinha um convidado... eu pedi ao Sr. Jobs que estivesse conosco hoje. 
[A plateia diz: “Ooh!”] 
E ele concordou de pronto, sem hesitar.
Assim, vamos respirar fundo.
Ele já está aqui, e promete não chamar ninguém aqui de imbecil.[Risadas]
Mas ele disse que eu podia. [Adamus ri.]
Vamos chamar Steve Jobs. 
Sim, isto é algo meio histórico, porque normalmente não faço isso e não pretendo que se torne um hábito.
Mas, como foi dito mais cedo hoje, ele era um pouco Shaumbra, meio que ligado às energias.
Ele está sorrindo agora.
Se quiserem, podem fechar os olhos e senti-lo, ou os deixem abertos, mas ele está andando pela sala.
Não tem a intenção, no momento, de seguir pela Ponte de Flores nem nada disso.
Ele ainda está se divertindo muito por aí. 
Muitos projetos, muitas coisas que quer fazer, muitas associações.
Agora, disseram que Steve era budista
Acho que se pode dizer que sim.
Ele está balançando a cabeça agora, dizendo:
“Era e não era, não me importava nem uma coisa nem outra.” 
Mas há uma compatibilidade.
Ele gostava da identificação com o budismo.
Pra ele, o budismo não tinha muito a ver com a jornada espiritual. 
Tinha a ver com o modo com que ele lidava com sua energia através da meditação, da dieta, da disciplina, do desprendimento. 
Proporcionou alguns insights, sem dúvida, quanto à simplicidade, e isso é, provavelmente, o que o encantou com relação ao budismo, mais do que qualquer outra coisa – a elegância e a simplicidade, o Zen da vida, a elegância bela e simples. 
Então, ele se conectou com o budismo dessa forma.
Mas também, como sabem, Steve costumava ser um pouco temperamental.
De fato, o temperamento se devia, em parte, ao fato de que ele não queria se contentar com menos. 
Ele sempre queria o máximo de si e daqueles que trabalhavam com ele, mas isso o levou à raiva, às vezes.
Então, o papel do budismo era trazê-lo de volta para seu equilíbrio e seu centro.
Quando fez a passagem, recentemente, ele disse estas palavras simples que muitos de vocês captaram: 
“Ah, uau! Ah, uau! Ah, uau!”  
Como se fosse quase um orgasmo espiritual, porque é como se fosse.
Ele estava se referindo a quê, com esse “ah, uau”?
[Uma pessoa diz: “A nós”; outra diz: “À vida.” E outra diz: “A ele mesmo.”]
A ele mesmo.
Ótimo.
Você leva um prêmio de Adamus por isso. 
A ele mesmo!
Ele se encontrou, encontrou o eu que estava tão fechado, tão, tão, tão fechado.
Devido ao tipo de trabalho interior que tinha feito, estava bem ali. 
Então, quando ele fez a passagem, imediatamente, ele se encontrou. 
“Ah, uau!” 
Foi incrível.
As pessoas, em sua maioria, não têm esse tipo de experiência quando fazem a passagem.
É como se precisassem seguir por esse longo túnel, e examinar seus pesares e ver se a avó delas ainda as censura e essas coisas. 
Mas devo dizer, meus caros amigos, que, quando vocês fizerem a passagem, vocês vão ter esse “ah, uau”. 
Vocês vão perceber... e talvez nem precisem fazer a passagem pra que isso aconteça... vocês vão perceber como esse “você” está bem aí, bem agora. 
Não lá fora em algum lugar, mas está, ah, uau, bem aqui.
Este foi o “ah, uau” do Steve: 
“Eu Sou bem aqui.”
E, nesse Eu Sou, nesse “ah, uau” que ele vivenciou, ele percebeu que aquilo que separava ele disso era tão tênue que ele podia simplesmente fuuu!soprar que desaparecia. 
Como um fino véu entre o aspecto humano e a condição de Eu Sou dele.
Muito fino.
Daí, ele deu uma grande risada, uma gargalhada enorme – mas seu corpo estava morto, então, ninguém viu. 
Mas ele deu uma gargalhada e disse:
“Sabe, se eu simplesmente tivesse respirado assim, e relaxado por um instante, eu teria percebido que esse “ah, uau” estava aqui e agora.
Mas tentei analisar demais, e tentei desenvolver mecanismos e sistemas pra minha própria ascensão em vida e não funcionou.
Eu me diverti, de qualquer jeito, mas não foi o máximo.” 
 Steve está dizendo.
“Não teria sido o máximo se eu pudesse simplesmente ter vivido esse “ah, uau” um bom tempo antes de ter que deixar o corpo físico? 
Esse “ah, uau” no momento do Agora?”

Então, eu convido o Sr. Jobs pra estar aqui hoje.
E ele está fascinado com o que vocês estão fazendo.
Ele sabe o que vocês estão fazendo, porque nós conversamos, e ele pode sentir isso bem agora.
Ele tem uma tremenda admiração pela natureza pioneira do que vocês estão fazendo.
E ele está dizendo algumas palavras, que não farei Cauldre canalizar diretamente; mas eu falarei por ele.

A Contribuição de Steve

Ele está dizendo algumas palavras. 
Primeiro: 
“Permitam-se perceber o que vocês estão fazendo.
Parem de negar quem vocês são, porque vocês vão perder anos preciosos – seus anos preciosos, mas também anos preciosos para o planeta.
 Parem de negar quem vocês são.
Deixem que a sua grandiosidade se mostre.
Se tiverem que subir no topo de um prédio e gritar o quanto são grandiosos, façam isso.
Se tiverem que se trancar numa sala e sentir a sua grandiosidade, façam isso. 
Vocês não prestarão serviço a ninguém, negando a sua grandeza.
É um jogo ruim.
É verdadeiramente um jogo ruim! 
É um beco sem saída.
É um... ah, é idiota.” 
É, tudo bem, Steve está dizendo:  
Vocês são imbecis se jogarem esse jogo.” [Risadas]
“Vocês são imbecis.” 
 Ele está dizendo.
Tudo bem, então...
Sou bem mais calmo que você, Steve!
Então, com isso, ele continua: 
“Vocês são os visionários deste planeta, mas façam isso sendo visionários de si mesmos.” 
 Visão é um dos maiores dons que o Sr. Jobs se permitiu ter. 
Ele veio pra cá com esse dom, mas ele se permitiu mostrá-lo.
A visão, a capacidade de sentir, não as minúcias e os detalhes, mas o todo... a capacidade que ele tinha de sentir o que faria evoluir a consciência um computador na mesa de vocês. 
Ele argumentou uma vez com o governo dos Estados Unidos sobre a questão de exportar computadores para países comunistas.
E, é claro, o governo, em sua infinita falta de sabedoria, disse: “Não se pode fazer isso, porque eles terão todas essas ferramentas poderosas.” 
Sua visão dizia: “Deve-se fazer isso, porque dará às pessoas soberania em suas mesas. Dará a elas acesso ao mundo. Revelará a verdade. Possibilitará que sejam seres humanos capacitados. E, quando os seres humanos estão capacitados, não dá pra existirem muros, não pode haver velhas estruturas políticas e não há desequilíbrios de energia. Exportem os Macs!”
[Algumas risadas, inclusive de Adamus] 
 Acabei de fazer propaganda pra empresa dele.
[Risadas]
Ele teve a capacidade de visualizar que, depois, as pessoas iriam fazer do computador algo mais do que um simples aparelho pra rodar programas de software e digitar textos.
Seria um ponto central de conexão – de conexão com elas mesmas e depois com o mundo exterior, com a música, com a criatividade, com as fotos e os trabalhos e com todos os aspectos delas. 
Aquela pequena caixa que vocês têm na mesa é, na verdade, uma ferramenta brilhante que os conecta a todos os seus aspectos, que permite que vocês deixem tudo em tempo bem real, em movimento, possibilitando uma experiência sensual com seus aspectos – os aspectos artísticos, os aspectos de suas vidas passadas, de fato.
Sintam isso depois.  
Mas é um ponto de conexão.
E não é a peça de hardware, mas são os potenciais que ela representa e o que ela pode fazer.
E ele teve essa visão.
Ele disse:  
“Bem, as pessoas vão poder comprar música e se conectar à Internet, ler livros e tudo mais.
É uma ferramenta de capacitação.” 
E ele teve essa visão.
Então, como questão número dois, ele pede que vocês tenham visão com relação a si mesmos.  
Vocês não são muito velhos, nenhum de vocês. 
Nenhum de vocês. 
Não quero saber o quanto esse corpo esteja velho. 
Não quero saber se vocês acham que já estão em fase de declínio.
De fato, essa é a melhor época para a visão, porque vocês já tiveram muitas experiências.
Vocês já têm um ótimo centro de equilíbrio agora. 
O que vocês também têm muito é dúvida, e ficam pensando:
“Ah, exige muita energia.”
Não.
Seres visionários não precisam de muita energia. 
Não é cansativo. 
Seres mentais ficam cansados. 
Ficam, sim. 
Seres estruturais se desgastam, assim como peças estruturais e máquinas se desgastam.
Humanos estruturais se desgastam, mas os visionários não.

“Que visão vocês têm pra si mesmos?”
Steve pergunta, eu pergunto. 
Que visão têm pra si? 
Flutuar rio abaixo na vida, imaginando o que vai acontecer depois? [Adamus ri.]
Olá, Desastre [falando com o fotógrafo Dave, que no Shoud passado estava fantasiado de piloto de avião e ele o chamou de Comandante Desastre]. 
Qual é a visão que vocês têm pra si mesmos esperar que algo aconteça pra que possam reagir a isso? 
Bom, isso é uma fuga.
É uma fuga.
É assim que a maioria dos humanos vive. 
“Vou esperar, vou ver o que acontece e, então, reagir.”
Sim.
Ou ter uma visão – uma visão que é como 
um enorme ímã de consciência atraindo todos os recursos pra fazer as coisas acontecerem, atraindo a energia que permite que as coisas aconteçam, atraindo as pessoas?
Agora, Steven aprendeu muito sobre atrair recursos.
Ele teve um probleminha, com que alguns de vocês podem se identificar.
Preciso da espada de novo.
[Ele pega a espada.] 
Ele gostava de partir pra briga.
Ele realmente se divertia com isso, como alguns de vocês também se divertem.
Vocês gostam de uma contenda. 
Faz com que se sintam reais.
Conserva a sua lâmina perfeita e afiada.
Mas não precisa ser dessa forma.
Vocês não precisam lutar.
Vocês não precisam travar uma batalha com a consciência de massa ou... como dizer... com os humanos que não estão nesse mesmo nível de iluminação ou consciência.
Sem ser crítico, de modo algum, mas sendo realista, existem humanos que só estão aqui há poucas existências, talvez algumas centenas delas.
Eles simplesmente não... eles não estão expandindo da mesma maneira que vocês estão.
Vocês não precisam tolerar isso na sua vida.
Eles não vão ser seus colegas de trabalho, a menos que essa seja a sua visão. 
Eles não devem ser seus colegas de trabalho. 
Vocês podem ter uma visão pra trabalhar com aqueles que tenham o mesmo grau de visão, de excelência, de paixão que vocês têm. 
Vocês não precisam salvar o mundo, trabalhando, se relacionando, tendo uma relação, com esses que estão num nível diferente. 
Eles estão onde eles estão.
Vocês vão fazer mais por eles, no final das contas, tendo uma visão pra si mesmos.
Que visão é essa?
Que visão é essa?
[Pausa]
Estão sentindo que a energia aqui está ficando muito interessante? 
Humm.
Sim.
David, pode segurar a minha espada.
Excalibur, David.
Excalibur.
Então, ótimo.
Agora, então, Steve ficará conosco até o fim do dia, e ele diz que está aberto, até certo ponto, pra conversar com qualquer um de vocês, alguém que esteja nos escutando, alguém daqui, por um período de tempo. 
Ele está se divertindo brincando por aí agora.

Este Planeta

Continuando.
Quando considerarem a sua visão, levem em conta o que estão fazendo aqui, levem em conta algumas das coisas que tornam este planeta tão especial. 
Amor, como mencionei.
O amor agora foi pra outras esferas, mas aqui ainda é o lugar pra vivenciá-lo como nenhum outro.
O amor por si mesmos agora.
O amor por si mesmos.

Nunca acho demais ressaltar que não existem outros planetas grandiosos, com seres iluminados altamente evoluídos, intelectual e espiritualmente. 
Não existem.
É aqui. 
Talvez essa seja uma notícia ruim, mas é aqui. 
Ainda há uma tendência pra querer pensar que está lá fora.
Está bem aqui, neste momento – o planeta, ou dimensão, mais altamente evoluído de todos.
O mais.
Como mencionei em outras conversas, existem planetas mais avançados intelectualmente, mas sem amor, sem a experiência sensual. 
O que é ter toda a inteligência possível?
O que é isso?
Não é nada.
É um beco sem saída.
Sem sentimento, sem ter essa incrível experiência nesta realidade muito densa, muito verdadeira, muito sensível em que vocês estão, o que é ter toda a inteligência?
Não é nada.
Assim, meus queridos amigos, este é realmente o mais iluminado de todos os planetas.
É o único planeta que une reino animal, reino vegetal e reino humano, o único.
Vocês não vão encontrar outro planeta em lugar nenhum que tenha todos esses atributos.
Este é o único planeta em que vocês podem realmente ficar perdidos – completamente perdidos – de um modo muito físico, muito verdadeiro, e realmente não se lembrar de como retornar.
Em algumas outras dimensões, vocês até podem jogar o jogo de ficar perdido, mas realmente não ficam.
Aqui é o lugar, se quiserem ficar perdidos, se quiserem ficar tão perdidos que precisem se reencontrar.
[Nessa hora, uma criança aperta o interruptor, apagando e acendendo as luzes várias vezes e todos riem, inclusive Adamus.] 
 Com certeza.
E este é o único planeta que foi semeado por Gaia, o único.
Ela não saiu por aí semeando tudo quanto é planeta. 
Só a Terra. 
Isso leva a algumas experiências espetaculares, impressionantes.
É o único planeta que tem... como dizer... uma encarnação, como vocês a conhecem.
Outros planetas têm uma espécie de repetição, de renovação da força vital, mas este é o único planeta em que vocês têm morte verdadeira e encarnação.
Existem muitas, muitas coisas... e espero escrever um livro sobre isso em breve... que tornam este planeta tão incrível.
Assim, seguindo pro nosso próximo assunto... e se possível... 
[Ele entrega à Linda o pilot.]
LINDA: Sim, senhor.
ADAMUS: ... escreva no quadro.
Assim, vamos falar a seguir sobre... devemos chamar de... não de questões que este planeta enfrenta, mas...
Vamos falar das condições de um planeta em transformação.

Condições de um planeta em transformação.

Continua - Parte III



Já Publicado:
Marcador:
ADAMUS


Tradução de Inês Fernandes
mariainesfernandes@globo.com

Post. e Formatação:
Semeador de Estrelas

Apresentado ao Círculo Carmesim
em 5 de novembro de 2011
www.crimsoncircle.com.br 
© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403
www.novasenergias.net/circulocarmesim Site Oficial do Circulo Carmesim. Todos os direitos reservados.
www.crimsoncircle.com/br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...