14/04/2015

2 - AÏVANHOV - ENSINAMENTOS - Parte II -

Ensinamentos Março 2015

"(...)O autoconfinamento na luz Luciferiana, tal como era para Shambala, quando isso existia, ainda, e tal como era junto aos Mestres ascensionados, supostamente ascensionados, que haviam ascensionado no próprio ego, simplesmente".

2 – O. M. AÏVANHOV
Parte - II -

Outra questão?

Questão: a que corresponde o fato de ter os pés queimando de modo, por vezes, insuportável?

Caro amigo, isso é perfeitamente normal, não é um bloqueio.

Lembre-se do que eu disse não mais tarde do que ontem.

A Onda de Vida tem três componentes.

A Onda de Vida, você a sente subir, enquanto ela não subiu ou enquanto ela está no trabalho nos dois primeiros chacras ou no coração.


Mas, assim que ela se junta ao Bindu, não há mais necessidade de sentir a Onda de Vida.

Ela subiu, inteiramente, mas resta a permeabilidade de seus pontos sob os pés.

E o que é que acontece sob os seus pés?

Há o solo, a terra.

O que é que há sob a crosta terrestre?

Há o Núcleo terrestre.

Há, primeiramente, o Núcleo Cristalino e a camada que está acima, que é uma camada em fusão de fogo, você sabe disso.

Portanto, você está conectado ao Núcleo intraterrestre.

A Onda de Vida, antes, essa energia não estagnava nos pés, ela subia, mais ou menos facilmente.

Mas, quando ela subia bloqueando, ela bloqueava um pouco mais alto, no primeiro ou no segundo chacra.

Para outros, ela permaneceu bloqueada no coração, porque eles se apropriaram da Onda de Vida.

E é aí que a meia-volta sobreveio.

Isso quer dizer que a Onda de Vida não se juntou ao Bindu, ou seja, eles misturaram o ego com o coração e fizeram uma espécie de alquimia que remete, diretamente, ao que eu havia falado há alguns anos, ou seja, o autoconfinamento na luz Luciferiana, tal como era para Shambala, quando isso existia, ainda, e tal como era junto aos Mestres ascensionados, supostamente ascensionados, que haviam ascensionado no próprio ego, simplesmente.

Eles haviam compreendido os mecanismos da alma e, aliás, eles deram todos os mecanismos da alma, mas eles foram incapazes de transcender a alma e juntar-se ao Espírito.

É exatamente a mesma coisa que acontece no que você observa ao seu redor.

Portanto, não é uma condenação, nem negativo nem positivo, é, simplesmente, o caminho desses irmãos e dessas irmãs.

E, como tais, você deve respeitar a liberdade de caminho deles, uma vez que é a escolha deles.

Não há entidade que se mantenha, mesmo se há um Draco que o acompanhe atrás de você ou em você, isso pode ser, simplesmente, sua linhagem reptiliana, porque há muitos, sobre a Terra, que têm linhagens reptilianas.

É normal.

E você sabe que as linhagens reptilianas podem remeter, tanto aos Dracos redimidos como aos Dracos que não estão, absolutamente, redimidos.

E você pode muito bem ter um quarto de sua personalidade, que deve, no entanto, ela também, desaparecer quando você tenha vivido o Si, que inclui essas forças reptilianas.

E a força reptiliana mínima é, também, uma posse.

Mas, se você começa a jogar nessas noções, você vai recair no bem e no mal.

Em contrapartida, se você vê esse irmão e essa irmã que, simplesmente, está exprimindo a própria luz reptiliana, então, isso pode ser a necessidade de controle do outro, pode ser a tomada de poder sobre o outro, a necessidade de controlar, a necessidade de dirigir, a necessidade de misturar-se outras coisas que não de seu traseiro.

Tudo isso, se quiser, você o vê claramente, mesmo se não o veja, ainda, em si, mas tranquilize-se, isso virá, também, para você, individualmente.

Portanto, não julgue, aí tampouco.

Aceite as diferenças e a liberdade.

Efetivamente, nós demos, lembre-se, em um primeiro tempo, certo número de elementos de reflexão e de revelação que eram aceitáveis, eu diria, pela maioria dos buscadores espirituais.

E nós mostramos, pouco a pouco, o teatro, dando-lhe as engrenagens, mesmo, do corpo de Existência, dando-lhe muitas coisas para ajudá-lo a libertar-se, de algum modo, de todos os condicionamentos, de toda escravidão e de todos os confinamentos.

Mas se você mesmo tem uma linhagem reptiliana, você se fecha a si mesmo e, portanto, você tem necessidade de controlar, de dirigir, de dominar e, por vezes, isso vai dar manifestações não mais, unicamente – e você vai compreender imediatamente o que eu queria dizer há pouco, em relação às linhagens – não mais, unicamente, na linhagem, mas no Elemento arquetípico.

E o Elemento arquetípico bate onde, como eu disse?

Ele bate onde ele pode bater, ou seja, em seu corpo, em sua psique ou em sua orientação, se posso dizer, espiritual: retorno à dualidade, aos combates e às posições bem/mal, apropriação da Luz e esquecimento da etapa final, que é a doação de si ao outro, como eu expliquei ontem e como explicou Irmão K, em relação ao Amor.

Porque você pode vibrar em todas as Coroas, mas se você se apropriou da Luz, você se fechou a si mesmo.

Apropriar-se da Luz é tornar-se transparente, é tornar-se Luz e não mais ter necessidade de reter o que quer que seja.

E, portanto, você observa, ao seu redor, por vezes, mesmo, em sua família, entre irmãos e irmãs, mudanças ou meias-voltas radicais.

Mas, aí também, não há que julgar ou condenar, talvez, ver.

Talvez, isso vá ajudá-lo a ver-se a si mesmo, se você não vê, ainda, por si, a ação dos Elementos arquetípicos.

Mas o fato de isso manifestar-se, agora, de maneira violenta no corpo, na ruptura de algumas relações, nas mudanças brutais e violentas impostas, tudo isso é, simplesmente, para ir o mais facilmente possível para onde você deve ir.

Portanto, você vê, tudo isso é normal.

Então, voltando à Onda de Vida, o que aconteceu, se a Onda de Vida subiu até o Bindu?

Você observa, então, que não sente mais a Onda de Vida, exceto se você focaliza nisso ou se você cruza os tornozelos ou, então, em alguns momentos, e você deve reparar que era, sobretudo, 17h, 20h, 22h e, por vezes, 11h da manhã.

São razões muito precisas que são o momento em que o atrito – você sabe que a Terra gira e que o núcleo gira, também, no interior – e há fases nessa rotação que são ligadas, se quer, eu diria, ao equinócio e ao solstício, não no ano, mas no equinócio e no solstício em relação às vinte e quatro horas do dia e com o que vocês chamam as horas GMT, zero hora, no meridiano dado.

E, em função disso, você terá manifestações de queimaduras, por vezes violentas, intoleráveis, sob os pés e, por vezes, mesmo, nos artelhos, com golpes de agulha, a impressão de ter dores que aparecem, fugazes, fulgurantes, que aparecem e que desaparecem.

Tudo isso é estritamente normal.

Então, se isso o perturba demasiado, é muito simples.

Você volta a cruzar os tornozelos, leva a sua consciência à Onda de Vida e você terá, novamente, um fluxo que vai subir, livremente, até o alto, que permite aliviar um pouco essa conexão à terra.

Mas não se esqueça de que, pelos pés, você está conectado a quê?

Ao Núcleo Cristalino de Sírius, mas, também, ao fogo da Terra, ou seja, o fogo por atrito.

Esse atrito que se manifesta a partir do momento em que a Onda de Vida juntou-se, pelo menos, ao coração, mas, sobretudo, é liberada.

Não é obrigatório, mas se alguns de vocês que têm uma linhagem de Fogo, o Elemento Fogo importante, isso vai, talvez, trabalhar mais, não é? Do que alguém que tem, por exemplo, uma linhagem mais marcada ou uma composição mais marcada pela Água.

Porque a água apaga o fogo, é claro.

O que quer dizer que, se você tivesse sido, durante sua vida ou ainda hoje, alguém, por vezes, de temperamento Fogo, você é mais suscetível de sentir o Fogo.

E o Fogo manifesta-se em todo o arco plantar, o que dá vibrações que são muito quentes e, por vezes, queimaduras sob os pés ou nos artelhos.

É perfeitamente lógico.

Isso não é um bloqueio.

Isso assinala, justamente, que o Fogo da Terra que se derrama em você, que é preliminar aos tambores da Terra e à explosão de um número incalculável de vulcões é, exatamente, a mesma coisa que você vive ao nível de sua planta dos pés.

Então, agradeça e renda graças, mesmo se isso queime, porque isso assinala coisas muito específicas que eu não posso desvendar, porque as irmãs atrás, as Estrelas, eu vou, ainda, ter discussões sem fim.

E sim, o Feminino sagrado desperta, mas ele desperta, também, lá em cima...

Eu não falo de Maria, é claro, hein?

Eu falo das Estrelas, as outras...

Eu não faço segregação, mas é assim.

Nada há de pior e de mais potente do que uma mulher que redescobre seu Feminino sagrado...

É terrível.

Mas tranquilize-se, você vive a mesma coisa aqui, e em sua casa, talvez...

E eu me solidarizo.

Eu digo isso para aqueles que, é claro, viveram a Onda de Vida, a um dado momento ou em outro, hein?

Mas você pode muito bem, também, ter queimaduras sob os pés nesse momento, sem ter, ainda, vivido a Onda de Vida também.

E, aí, é, de qualquer forma, mais tranquilizador, isso quer dizer que, pelo menos, você não deu meia-volta, mesmo se ela não tenha, ainda, subido, e mesmo se você não a sinta.

Questão: qual é o significado de encontrar-se, em pleno dia, em uma sala, na qual tudo desaparece em uma nuvem branca?

Eu deixarei Gemma responder a essa questão.

Eu não gosto muito de pauladas, então, eu as deixarei responder.

Mas é muito positivo...

Criticam-me, frequentemente, de invadir, mas, como eu sou o chefe, eles podem dizer o que quiserem... eu continuo invadindo.

Questão: há uma correspondência entre as doze chaves Metatrônicas e as doze Estrelas?



Questões / Respostas




Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação
Sélia G.
Leituras Para os Filhos da Luz

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...