18/03/2016

O.M. AÏVANHOV - Parte 1 - (b)

"Fique atento ao que demanda a Luz, ao que
 demanda seu corpo".

"Mas fique tanto mais atento ao que demanda
a Luz".

O.M. AÏVANHOV 
Parte 1 - (b)

Questão: há uma ligação entre a eletro-sensibilidade e a químico-sensibilidade?
Se sim, qual é e como sair disso?

Então, eletro-sensível, eu posso compreender.

Químico-sensível, isso quer dizer o quê?

As pessoas que têm, por exemplo, intolerâncias ao glúten...?

Questão: sim, ao glúten, por exemplo.

Então, a ligação entre a eletro-sensibilidade e a químico-sensibilidade?

Não há.

Não há qualquer relação.

A químico-sensibilidade depende, em primeiro lugar, de sua estrutura física, através da hereditariedade também, transgeracional também, mas, também, sua evolução vibratória.

Porque, efetivamente, até certo limiar da elevação vibratória, há uma intolerância que se desenvolve, de maneira quase constante, junto aos irmãos e irmãs ditos esclarecidos em relação ao glúten.

Eu o lembro de que o glúten faz parte...

É o glu (cola), é o que isso quer dizer, é o que cola.

E que esse glu, ele se deposita não, unicamente, no corpo físico, mas, também, ao nível do que é nomeada a Gota Vermelha e a Gota Branca, ou seja, sua parte do Coração do Coração.

E que esses alimentos, e não apenas os alimentos, tudo o que você tem como adjuvantes, como aditivos, tudo o que tem na química moderna da agricultura é feito para bloquear sua consciência.

É preciso estar consciente disso, não é?

Mais do que nunca.

E eu não falo de vaporizações no céu, eu não falo de pesticidas, eu não falo de condicionamentos, da irradiação dos alimentos.

Tudo isso é uma realidade, é claro.

A qualidade nutritiva dos alimentos nada mais tem a ver com o que era há ainda vinte anos.

A quantidade de calorias, o sabor, tudo isso você sabe, você o verifica por si mesmo, quando come uma maçã que é biológica e uma maçã que não é biológica.

Mas isso não é suficiente.

Porque não há apenas os poluentes do solo.

Há, também, os poluentes do ar, que são vaporizados, entre outros, há os campos elétricos, as perturbações do que foi nomeado, e a destruição do que havia sido nomeado de linhas de predação.

Tudo isso se reforça, progressivamente e à medida que a Terra libera-se e que vocês se liberam; progressivamente, a energia da contra-liberação, se posso chamá-la assim, ou seja, as energias de confinamento, faz-se cada vez mais abrupta.

Você constata isso, aliás, através do que eu nomeei, durante anos, as duas humanidades, e a separação das duas humanidades.

Há irmãos e irmãs que estão na negação total do confinamento da Terra, na negação total da presença dos reptilianos, na negação total dos poluentes.

Mas isso não é a vida, isso.

Agora, não se deve fazer disso uma obsessão, não é?

Tanto mais, eu repito, que você pode nutrir-se de outra coisa que não de alimentação para um adulto – mesmo doente – normalmente constituído.

Portanto, não há sobreposição.

A eletro-sensibilidade é uma sensibilidade que se situa ao nível do corpo etéreo, cuja retransmissão situa-se ao nível do que foi nomeado o eixo Atração/Visão, o eixo de falsificação que corresponde ao chacra do baço e ao chacra do fígado.

A químico-sensibilidade não é, verdadeiramente, a mesma coisa, mas, efetivamente, você pode constatar que, frequentemente, você é portador de ambas.

Se você tem uma delas, a outra não está longe, tampouco.

Mas há, de qualquer forma, mais químico-sensíveis do que eletro-sensíveis.

Tanto mais que – eu havia dito e eu o redigo – 
progressivamente e à medida que você reencontra sua eternidade, progressivamente e à medida que suas próprias camadas isolantes, e a camada isolante a mais forte, você sabe, não é o corpo etéreo, o corpo astral e o corpo mental, é o corpo causal que o encapsulou e o privou da centelha divina e da centelha da alma.

E a Luz vibral, é claro, queima o corpo.

E, portanto, essa sensibilidade elétrica vai tornar-se cada vez mais perceptível, mesmo se você não seja afetado.

Do mesmo modo que você vê os dragões, os elfos, os gnomos etc., as fadas, do mesmo modo que muitos de vocês percebem, de maneira fugaz ou mais constante, nossas Presenças ao seu lado esquerdo, do mesmo modo, é a mesma coisa para isso.

Vocês se tornam, todos, não, unicamente, eletro-sensíveis, mas hipersensíveis aos seus próprios males.

Mas vocês têm, em si, a capacidade total da Graça; é agora a ocasião, aí também, de pôr isso em prática.

E não confunda a nutrição vibral e a nutrição prânica.

Você sabe que, por exemplo, os xamãs, os místicos podem absorver o prana de um alimento e desidratá-lo, como o faria uma pirâmide.

Eu não falo dessa alimentação, eu falo, verdadeiramente, da alimentação vibral que se toma no Éter e não a partir dos alimentos.

Simplesmente, ao privar-se de alimentos, você vai permitir ao chacra do baço que é obrigado, já que ele é implicado na digestão de seus alimentos físicos, como o chacra do fígado e o plexo solar no meio, tudo isso vai passar ao segundo plano e a Luz vibral, em lugar de fazer o circuito entre o baço, o plexo solar e o segundo chacra, irá transmutar, diretamente, uma vez que nada mais há a fazer ao nível do plexo solar e do fígado, e da vesícula biliar, irá liberar seu segundo chacra das últimas linhas de predação pessoais que possam restar em você, quer você tenha vivido ou não a subida total, ou não, absolutamente, da Onda de Vida.

E é a Luz que faz o trabalho, não é você.

Mas, para isso, é preciso que o baço esteja sujeito a uma alimentação que não seja “gorda”.

Você tem o direito de comer o que quiser, é claro; há, entre vocês, quem tem, mesmo, necessidade de carne, nesse momento.

É uma necessidade real e fisiológica, por uma razão que é muito simples.

Não é, unicamente, porque há uma carência em ferro, é, unicamente, porque, além da poluição energética da carne e do sofrimento animal, entretanto, o animal, antes de ser abatido, incorporou, ele também, a Luz vibral.

E essa Luz vibral, do mesmo modo que vem envolver as moléculas, vai envolver o núcleo de ferro da hemoglobina, como vocês dizem, e vai tornar as moléculas dos glóbulos vermelhos e o DNA em outras células, muito mais ativas.

O que permitirá a multiplicação facilitada de suas fitas de DNA que permite, eu o lembro, passar de duas para doze fitas de DNA.

É nessa fase final, e aproveite deste período mágico que se situa antes da Páscoa, mas faça-o, não importa quando.

E, em um jejum curto, não há qualquer risco de carência.

Ao contrário, você vai aumentar, se posso dizer, sua taxa vibratória, para aqueles que se interessam por isso.

Você vai fazer desaparecer o que pode restar de resistências ou de interferências entre sua pessoa, seu efêmero e a Eternidade e o corpo de Existência, que nada tem a ver, eu o lembro, com as estruturas de casulos sutis, que estão bem além, não é?

Corpo de Existência que estava no Sol e que, agora, imprime-se, se posso dizer, e entra em sintonia com suas estruturas efêmeras de modo, eu diria, cada vez mais adaptado.

Mas essa adaptação à Luz cria, como você constata, uma forma de desadaptação à vida comum privada de Luz, quer seja ao nível do sono, do apetite, da memória e de tudo o que faz o efêmero, de fato.

É assim que você desaparece, a maior parte, cada vez mais facilmente.

Então, é claro, o desaparecimento pode ser incômodo, quando isso sobrevém, quando você havia previsto fazer outra coisa.

Mas, novamente, aí também, será que você está submisso à sua pessoa ou será que você jurou lealdade, inteiramente, à Luz vibral?

É isso que isso lhe dá a ver.

Como em suas relações, como no que lhe acontece no que você faz hoje.

Não há melhor possibilidade de reequilíbrio do que esse, porque a Inteligência da Luz é, eu diria, cada vez mais estrondosa ou, mesmo, perturbadora.

Mas perturbadora para você, como pessoa, mas não para você no que você é, de toda a eternidade e no que se desenrola na Terra.

Mas cabe a você fazer sua própria experimentação, se posso dizer.

E se eu não respondo à questão, é preciso me dizer, hein?

E, se eu respondi a essa questão, então, podemos passar à seguinte.

Questão: aí, você parece dizer-nos que o evento final sobrevirá antes do verão?

Mas isso já foi dito por Anael.

Não há qualquer razão para que isso mude.

Questão: mas você havia dito, também, que em 7 de janeiro aconteceria alguma coisa, e em 2011, também, havia uma cenoura e uma vara.

Não há mais cenoura e vara, eu o disse na última vez.

Questão: então, eu me pergunto se você mente para nós, ou não?

Então, eu já disse, e Anael também, eu creio, que a Luz não mente, jamais, mas a Luz é ambígua.

Ela é ambígua segundo sua compreensão e sua interpretação.

Porque, enquanto a pessoa está ainda presente, mesmo se você é liberado vivo – há, ainda, uma pessoa, é claro – essa pessoa está sujeita à compreensão, à interpretação e, sobretudo, à projeção.

Agora, eu havia dado uma data limite.

O segundo cometae não Nibiru – passou no tempo e na hora, na hora quase, mesmo, eu diria, ao nível da visibilidade.

Mas, é claro, essa segunda Estrela não é Nibiru, mas faz parte do sistema complexo de Hercobulus.

Agora, será que, ao colocar essa questão, é você que espera ou aguarda alguma coisa?

Lembre-se de que sua única função não é de esperar o fim para escapar de não sei o quê, mas viver, já, seu fim pessoal, neste período após a atribuição vibral, através de suas peripécias de vida, através de suas peripécias interiores, através de tudo o que se desenrola em sua vida.

Tudo é oportunidade de superação e de Liberação.

Não fornecendo um trabalho ou um esforço, mas, como foi dito, vendo-o.

Não há necessidade de subterfúgios, você não deve fugir e é preciso ser justo consigo mesmo, não interpretar, não projetar, não ficar com os créditos para si.

O outro deve ser mais importante do que você, é o único modo de provar a ele seu amor.

Não é dando-lhe dinheiro ou apertando-o em seus braços.

Não é, unicamente, evitando dizer o mal de quem quer que seja, mas é colocando-se, e compreendendoe vivendo – que o outro é você.

Sobretudo aquele que você mais detesta, é ainda mais você.

Quando você tiver, realmente, vivido isso, nada mais você esperará.

Eu não posso dizer melhor do que eu disse em dezembro.

Agora, a Ascensão começou.

Você a vive a título individual.

E a liberação coletiva, eu o convido a não acreditar em nós, mas a olhar, realmente, o que acontece na sociedade, ao nível das estruturas arcaicas, das estruturas de dominação, de predação.

As linhas de predação coletivas, elas já foram, ao nível pessoal, dissolvidas para aqueles que viveram a Onda de Vida em 2012.

As linhas de predação coletivas, elas já se desagregaram em 2012, e vocês estão em 2016, portanto, vocês podem pensar que o que mantém esse mundo é apenas o hábito, nada mais.

Não há mais, como dizer..., ajustes da velocidade de Nibiru em função da Terra, em função da egrégora coletiva da humanidade.

Aliás, seus cientistas sabem e dizem isso, ela acelera cada vez mais.

Aliás, eles estão perdidos, os pobres, porque eles não podem compreender como algo está em um lugar, a um dado momento, evolui em tal velocidade, e reencontra-se atrás ou, por vezes, mais próximo.

Isso não obedece às leis físicas, astrofísicas que vocês conhecem.

É a mesma coisa quando você vê um meteorito: você tem a impressão de que ele está à sua frente, bem ao seu lado, ele está, talvez, a centenas, ou mesmo milhares de quilômetros.

Tudo depende da luz e do tamanho e do barulho, é claro.

As Trombetas estão cada vez mais presentes.

Portanto, nós não mentimos.

Mas reaja a si mesmo.

O que é que você vive desde dezembro?

Você desaparece, cada vez mais rapidamente, quer você queira ou não.

E, mesmo quando você volta, o mundo está aí.

Mas você vê bem como vai a marcha desse mundo, é preciso estar na negação para não vê-lo.

Agora, se você espera uma data com um ponto final, eu o lembro de que ninguém conhece nem a data nem a hora, mesmo Cristo.

A própria Fonte tem uma ideia, o Arcanjo Metatron também, e eu havia dito que havia períodos propícios.

Mas, ao nível da Estrela que anuncia a Estrela, e a Estrela, que não é aquela que foi nomeada por São João «Absinto», no Apocalipse…

Porque, aí, as chuvas meteóricas ligadas à manifestação, aos seus olhos de carne, do Arcanjo Miguel, que vem concluir o que começou, já, desde as Núpcias Celestes, que se concluiu, interiormente, em 2012, e que desembocou na manifestação nesse mundo, já, desde 2014, na sua atribuição vibral, que se refina, pouco a pouco, quer você queira ou não, quer você viva as vibrações ou não, quer você goste disso ou não.

É similar para toda a vida na superfície deste planeta.

Os seres da natureza são cada vez mais vistos, cada vez mais há trocas que se fazem com eles.

E aquele que vive totalmente imerso em sua eternidade, no vibral, se quiser, na Luz vibral, não se importa com os sinais visíveis no céu, porque ele já os viveu em si.

Só aquele que está, ainda, limitado em seu acesso à própria eternidade, mesmo se ela se faz por momentos, vai duvidar, cada vez mais.

Aliás, eu o lembro de que a negação será tal, para uma grande parte da humanidade, que, mesmo quando houver os sinais no céu, mesmo quando houver as Trombetas, mesmo quando houver o Apelo de Maria, eles continuarão na negação.

Nem todo mundo vai cair em êxtase no momento da estase, em todo caso, nos primeiros tempos.

Portanto, não há qualquer mentira.

Nós lhes temos dado provas suficientes de todas as estruturas, não eu, mas, por exemplo, Um Amigo, quando ele lhes deu o Yoga da Unidade.

Nós temos atraído sua atenção a estruturas que nenhum de vocês conhecia à época, porque não as viviam.

E vocês veem, hoje, irmãos e irmãs que vivem a ativação dessas estruturas sem, mesmo, saber a que isso corresponde.

Portanto, tudo isso foi bem programado, preparado, em realização, mas não procure a hora, você o saberá, breve, o suficiente.

Simplesmente, na cronologia que foi dada pelo Arcanjo Anael e por mim mesmo, o que está em uma ordem cronológica precisa, ou seja, linear no tempo, será cada vez menos linear no tempo.

Haverá uma espécie de empilhamento dos instantes presentes e do tempo, quando tudo vai resolver-se no que vocês nomeiam o tempo zero.

Lembre-se de que o elástico, ele estica, ele estica.

Haviam-lhes dito que, quanto mais ele estica, mais vocês tinham a oportunidade de preparar-se e afinar, se posso dizer.

Mas você acredita que aqueles que estão na negação total, exceto a Graça Mariana de último minuto, vão acolher esse processo com alegria?

Eu não acredito.

E é o que eles têm a viver.

Eles serão confrontados ao efêmero e à dureza do efêmero.

Isso não quer dizer que esses seres – isso nada quer dizer, mas... – sejam menos evoluídos, mais abertos ou menos abertos do que você, isso quer dizer que o programa de vida deles, inscrito na alma, necessita disso.

Nada há de bem, nada há de mal, cada ser é livre para viver o que ele tem a viver.

Agora, o momento coletivo, temido ou esperado, ele não depende mais nem da Terra nem de vocês, nem de nós, nem mesmo de Nibiru.

É preciso encontrar o momento de ressonância o mais adaptado.

Portanto, você conclui, com isso, e nós concluímos, há muito tempo – e nós já o havíamos sugerido, se posso dizer – que o mecanismo de basculamento, o último basculamento dos polos e de sua consciência produzir-se-á quando um conjunto de circunstâncias for reunido.

Todas as circunstâncias são reunidas, sem exceção.

Isso teria podido ser em dezembro, isso pode ser imediatamente, pode ser amanhã, mas, em todo caso, isso se desenrolará no espaço de tempo previsto.

Mas não faça planos sobre o cometa, como se diz, esperando escapar de suas obrigações, do fisco, ou gozar na vida.

É diferentemente mais importante sentir-se, hoje, eu diria, ainda mais responsável do que você é e do que você faz em sua vida, calcando, se posso dizer, seu comportamento na demanda da Graça, na demanda da Luz e do estado de Graça.

Se você está, realmente, aí dentro, não há mais qualquer data a procurar, porque tudo está aí, sob os seus olhos.

É claro que, quando você acorda pela manhã, ou que você sai de seu contentamento, o mundo está aí, mas ele está, cada vez mais, ao mesmo tempo rígido e ao meso tempo flexível, cada vez mais permeável à Luz e, por alguns ângulos, cada vez mais na resistência à Luz, como cada um de vocês.

E é o que se joga, e vocês são o teatro das operações, se posso dizer, nesse corpo.

Lembre-se: quando você sabe, por exemplo, que se ensina a um irmão ou uma irmã que ele(a) vai morrer, porque ele tem uma doença que o condena a morrer em dois meses, em seis meses, pouco importa a data.

Essa pessoa tem vontade de viver, não porque ela tem medo da morte, necessariamente, mas porque é preciso arranjar as coisas e aproveitar, como vocês dizem, os últimos momentos.

Mas razão a mais, hoje, aproveite para estar ainda mais vivo do que de hábito, você não vai pôr-se na cama antes do Apelo de Maria, de qualquer forma.

Você está aí para irradiar o que você é, na eternidade, e você não tem necessidade de palavras.

Faça o que você tem o hábito de fazer, ou faça o que a Luz pede-lhe para fazer, através dos eventos ou dos não eventos.

Mas nada mais veja de seu simples ponto de vista, como pessoa.

Se você compreendeu isso, se você se inclina não mais no que nós dizemos ou no que você vibra, mas na objetividade concreta, material, física, dos eventos, quaisquer que sejam, ao nível da sociedade, ao nível das guerras, você vê, efetivamente, que tudo isso está a caminho – e, mesmo, chegou.

O problema é que o que vocês chamam de mídias, mídia de massa, o coletivo humano global, não aquele dos despertos, dos Liberados ou dos abertos, mas global da Terra, não pode considerar como você a negação ou a raiva, ou a recusa, ou a negociação, de que falou Sri Aurobindo, em relação às etapas do Choque da Humanidade.

Mas o Choque da Humanidade, vocês estão completamente dentro.

E o Choque da Humanidade é, de qualquer forma, preliminar ou, em todo caso, concomitante com o Apelo de Maria.

E quanto mais você avança nesse tempo linear – que parece esticar para alguns, ou encurtar – mais todos os elásticos vão soltar, ao mesmo tempo.

Portanto, você pode imaginar que, se você não tem a luz interior, você deverá resolver alguns antagonismos.

Eu falo para o coletivo da humanidade, eu não falo para inúmeros de vocês que estão aqui.

Não se esqueça de que o ego considera-se como imortal.

E que o ego espiritual considera-se como imortal, através da reencarnação.

Mas não é isso a Liberdade, não é isso a imortalidade.

Isso nada tem a ver, mesmo, com vocês e conosco.

Isso nada tem a ver com os Anciões, com as Estrelas, os Arcanjos, que são apenas manifestações em uma forma mutável, da própria Luz.

E o querido Bidi já voltou, há vários meses, para completar o que ele havia dito há alguns anos.

Então, viva.

Fique atento ao que demanda a Luz, ao que demanda seu corpo.

Mas fique tanto mais atento ao que demanda a Luz.

E não há cinquenta mil modos de ali chegar.

Eu falei do jejum curto, eu falei, também, e falarei de não mais atribuir crédito às suas emoções.

Seus pensamentos, aliás, não são seus pensamentos, mesmo quando você está em meditação ou em alinhamento ou na Infinita Presença.

Você vê, efetivamente, que há coisas que emergem e, se você não se interessa por elas, pelo princípio da Atenção e da Intenção, elas se dissolvem.

As imagens, as formas, também, desaparecem e você não fica, mesmo, mais, com o grande branco do Si, o esplendor do Si, mas você penetra, real e concretamente, a Morada de Eternidade, que é a sua e que é a nossa, de todos e cada um, quer se queira ou não.

Portanto, a Luz não pode mentir, há apenas a noção de ambiguidade.

Mas, quando eu disse que a Luz é, por vezes, ambígua, é o reencontro entre a Luz e seu efêmero que cria, eu diria, essa noção de ambiguidade.

Não é a própria Luz, é a interação entre o Eterno e o efêmero.

O Abandono à Luz e a vivência da Luz, tal como havia sido explicado há numerosos anos e, agora, é a lei de Graça, nós o dissemos todo o ano anterior e, em especial, no que foi chamado de «as Publicações ou Notas de fevereiro» , há apenas um ano.

Aí, você teve, e eu o convido, aliás, mais a reler, como alguns o fazem, ou a escutar o que foi dito há anos, porque isso toma todo o sentido agora.

Quando nos anos anteriores, com outras pessoas, eu já falei, com pessoas que se chamavam, em especial, OM, era eu que falava.

Eu havia dito, já, eu havia falado de todos os eventos que iam desenrolar-se, nos anos 95-2000, bem antes de tudo o que se disse depois.

Eu já havia evocado tudo isso.

E, é claro, houve projeções e interpretações.

O que eu digo agora, hoje, que eu já disse no ano passado, é que isso aí está.

Isso não depende nem de vocês nem da Terra, mas, simplesmente, de todas as circunstâncias astrofísicas que estão a desenrolar-se nesse momento.

Não é mais a Terra; a Terra está liberada, ela decidiu ascensionar.

O núcleo cristalino já está liberado há anos.

Inúmeros de vocês são liberados, real e concretamente, há anos.

Então, eu concebo que isso possa ser difícil a ser confrontado à humanidade adormecida, sobretudo, se está próximo de você.

Mas é preciso ir adiante.

Então, não se preocupe mais com a data limite, ela foi dada, a cronologia segue seu ritmo.

Não se esqueça, também, de que há uma sobreposição, eu diria, dos diferentes ciclos temporais, que conduz a esse funil de passagem, que é o Apelo de Maria.

Mas tudo será sincrônico.

Tudo o que se mantém, ainda, em pé, na superfície dessa Terra, será varrido de um golpe, e de um único.

Quanto mais o elástico estica, mais ele se torna forte.

Era necessário, para que o máximo – e eu o havia dito também – de irmãos e de irmãs pudesse descobrir ou pressentir sua eternidade, mesmo sem a vibração, mas, hoje, e eu o disse em dezembro, e eu o repito, tudo está consumado.

A Liberação da Terra, que lhes prometeu sua Liberação, a Ascensão individual para aqueles que a vivem, e o evento final.

Mas lembre-se, também, de que a Terra de terceira dimensão deixará o lugar – eu falei disso em 2010 – a uma Terra de quinta dimensão; é um parto.

O que você percebe com seus olhos, os seres da natureza que você vê, que você sente, com os quais você interage, seus alinhamentos, seus desaparecimentos, seus distúrbios digestivos, suas mudanças alimentares, suas mudanças de região, todas as suas mudanças que sobrevêm são apenas isso – são destinadas apenas a facilitar sua Ascensão pessoal.

E você está vivendo isso, cada vez mais.

E, é claro, enquanto o sapo não está cozido, o sapo não sabe que está cozido; ele morre sem saber que morre.

À época, eu dizia que era preciso soltar os amendoins do frasco para tirar a mão desse frasco.

Eu disse, depois, que não havia mais frasco.

Mas não há mais amendoins, tampouco, e não há mais mão.

São apenas resíduos, se posso dizer, do hábito, que mantém o mundo, nada mais e nada menos.

Isso quer dizer o quê, também?

Isso quer dizer que nem vocês nem nós dominamos nem controlamos o que quer que seja, já que nosso trabalho, de nós, Melquisedeques, Estrelas, Arcanjos, os Conclaves, tudo o que existiu durante esses anos, não tem mais necessidade de nós.

Do mesmo modo, você não tem mais necessidade de si mesmo.

Então, eu sei que isso pode parecer difícil a aceitar, mesmo para aqueles que desapareceram, apreender e compreender que tudo isso foi apenas um jogo.

Um jogo que lhe permitiu aproximar-se da Verdade, para que você pudesse viver em toda autonomia e liberdade sua verdade; isso foi realizado.

E não se preocupe com aqueles que estão na negação.

Não se preocupe, tampouco, com aqueles que nada veem vir ou consigo mesmo, porque o Apelo de Maria vai recolocar os contadores a zero, se posso dizer.

Então, viva.

Viva, ame, faça o que a Luz pede a você, faça o que lhe dá prazer.

Autocure-se, faça jejuns, ore, faça o que você quiser.

É claro, inúmeros de vocês, como eu o disse, interessam-se pelo que pode acontecer, mas, se você olha objetivamente, se olha, unicamente, sua pequena vida, você se diz: «Bah, eu continuo aí, eu continuo a trabalhar, eu continuou com necessidades de dinheiro, eu continuo com necessidade de minha companheira ou de meu companheiro.
 Eu tenho necessidade de viver.».

Sim, é claro, mas você vê, efetivamente, que há outra coisa que está aí, cada um de maneira diferente, com mais ou menos intensidade.

Agora, se você está enredado ou incomodado pelo tempo que se escoa, isso quer dizer o quê?

Que você não está, ainda, suficientemente estabilizado em sua eternidade, mesmo se é liberado vivo e viveu a totalidade da Onda de Vida.

Você não está aí para você agora, você não está aí para os outros, você está aí para viver a verdadeira vida, aqui mesmo, nesse mundo, durante o colapso dele.

Eu não sei se fui claro o bastante.

Agora você vai ver isso passar de verde para maduro.

Eu falei do prazo da segunda Estrela.

Eu falei, hoje, da quaresma.

No ano passado, houve bonitos meses, não é, com muitos eventos.

Este ano há o mês de março, há o mês de Maria, há algumas egrégoras de festas ditas religiosas que são, antes de tudo, festas astronômicas, antes de serem festas religiosas, hein?, quer seja o solstício de verão, o solstício de inverno, a primavera etc.

Então nós, o que é que nós fazemos, tanto Anciões, como Estrelas, como Arcanjos?

Nós fazemos como vocês.

Nós estamos cada vez mais alinhados no Absoluto e na verdade do Absoluto.

O que quer dizer que, mesmo se você tenha a impressão de que você troca conosco e que isso chega pelo exterior..., quando nós dissemos, há anos, que nós estávamos no interior de vocês, o único mundo que existe são vocês.

O jogo social e o jogo da relação fazem-no crer que há «o outro», faz crer que há Maria, faz crer que eu estou aí.

Mas não há mais eu do que você aqui.

Há apenas o Amor, e o Amor nada tem a ver com pessoas.

O Amor é.

Além de toda forma e, eu diria, mesmo, além de todo confinamento pelos maus rapazes.

É isso a Liberdade.

Isso não é para acreditar, é vivê-lo.

E a partir do instante em que você o vive, mesmo se você está, como dizer..., interessado pelo que se desenrola na Terra ou nos céus, você não está mais impaciente, você não está mais na expectativa.

Você permanece na alegria, porque sabe que sua verdadeira nutrição é a alegria de quem você é e, certamente, não a destruição final da matriz de 3D dissociada.

Ela já está registrada oficialmente, para inúmeros de vocês.

Eu diria, fazendo um jogo de palavras que, para o efêmero, a Eternidade está longe.

E eu diria que, para o efêmero, também, a Eternidade está muito longe, sobretudo, nos últimos momentos.

Porque é como quando você vê uma linha de chegada e que você corre cada vez mais rapidamente, esperando repousar, você vê a linha de chegada que se desloca, progressivamente e à medida que você corre.

Mas isso não é linear, não é mais linear.

O tempo não é mais linear.

A gravidade, a gravitação não é mais linear.

Quantos de vocês têm vertigens?

Quantos de vocês, mesmo muito jovens, esquecem-se dos nomes, esquecem-se dos conceitos, esquecem-se do que estudaram ou, ao contrário, descobrem novas coisas, novos talentos?

Tudo isso vocês vivem.

Então, agora, sim, a Terra de 3D continua aí, mas a Terra de 5D já está aí, ela também.

É preciso apenas que a preeminência da Eternidade seja tal, que não haja mais qualquer lugar para o efêmero.

Naquele momento, você estará em estase.

Maria vai avisá-lo, você sabe.

Mas atenção, ao observar os sinais da Terra ou seus sinais interiores, para não ficar tributário de algo que você situe no futuro.

Porque, aí também, de algum modo, é uma resistência, porque você se projeta através disso, quer você queira ou não, liberado ou não, aliás.

De algum modo, sua consciência dirige-se a algo que você vive, no entanto, no interior, mas que não chegou ao nível coletivo, e que, no entanto, é manifestado, uma vez que a Liberação é efetiva.

Há um momento coletivo.

Esse momento coletivo, todos os profetas, todos os místicos falaram-lhes disso.

Então, é claro, se se toma Bença Deunov, Orionis, ele havia dito, em sua vida: «Virá um Fogo do céu e tudo será regenerado em um instante.».

É claro que isso está escrito.

Não há qualquer meio de derrogar, exceto para aqueles que vocês poderiam chamar não os ursinhos, ah, os ursinhos fofinhos, vocês dizem.

São aqueles que projetam um mundo melhor, no qual «todo mundo é belo, todo mundo é gentil».

Isso não é possível, na 3D dissociada.

Isso, em contrapartida, já existe para alguns de vocês, porque sua consciência, mesmo se esse corpo efêmero está aí, já passou à 5D ou à 3D unificada.

Aqueles que estabeleceram relações de amor, por exemplo, com a natureza, com irmãos e irmãs, com eles mesmos.

Portanto, é a pessoa, o que pode restar de efêmero que, por vezes, manifesta-se, e pode não duvidar, mas estar impaciente ou irritada, talvez.

Mas não há mentira alguma.

E, aliás, mesmo se isso esteja registrado oficialmente, eu deveria dizer-lhes que aqueles de vocês que são liberados vivos e que se mantêm, frequentemente, nessa liberdade interior, não se importam com o evento final, nem mesmo com o Apelo de Maria, porque, para eles, isso já está registrado.

Eles o viverão como todo mundo, mas não se preocupam mais do que isso.

Porque, se você passa seu tempo a procurar sinais nas mídias, nos aspectos científicos ou em si mesmo, você não vive.

Você está voltado para si mesmo, portanto, para o efêmero.

Aproveite, eu diria, plenamente, sua eternidade, o que quer que lhe peça a vida.



Continua AÏVANHOV - Parte 1 - (c)

Outra questão.

Questão: tendo em conta as datas limites, pode-se daí concluir que se está nos cento e trinta e dois dias?









Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...