15/03/2015

MIKAËL AÏVANHOV

"Porque nós estamos na Passagem, aquela 
da Última Reversão, na matéria, 
que corresponde, eu o lembro, 
também, à Reversão da Terra,
 completamente".

OMRAAM MIKAËL AÏVANHOV

Introdução às

Publicações de
fevereiro de 2015
(Preparação
Inicio)

Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.

Permitam-me, primeiramente, dar-lhes todas as minhas bênçãos.

Vocês verão que, durante esses momentos que vamos passar juntos, vamos estar ao mais próximo, para cada um de vocês, de tudo o que se desenrola em sua vida, na sede de sua consciência, mas, também, digamos, nas relações que vocês têm com o ambiente.

Tudo o que se apresenta a vocês é, eu diria, muito esclarecedor.

Esclarecedor não para o mental, não para tentar compreender o que vai acontecer em vocês, mas, bem mais, para atravessar, em toda lucidez, e superar, se se pode dizer, essas limitações ligadas às resistências, à vida, ao carma.

Vocês chamem como quiserem, mas tudo o que se desenrola desde a atribuição vibral é destinado a ajustá-los, o mais finamente possível, a essa transformação final que começou, agora, em sua fase encarnada, para dar-lhes os meios de encontrar Maria e o conjunto da Luz em vocês, em seu coração, sem qualquer resistência e em uma aquiescência total.

E, sobretudo, como eu o disse há alguns dias, em uma humildade, ou seja, nessa capacidade para colocar o Amor em tudo, quaisquer que sejam as faltas de Amor que possam manifestar-se em suas relações, em sua consciência e em qualquer tipo de situação.

Porque o Abandono à Luz não serve, unicamente, para desaparecer como ego, mas para magnificar esse ego, para magnificar essa encarnação para esse retorno à Eternidade.

Como eu o disse, também, o Arcanjo Uriel tem um papel importante, mas vamos começar, esta manhã, e sou sempre eu que começa em primeiro lugar, porque é assim, não é?

E, em seguida, eu deixo a palavra àquele que quer responder à questão que será colocada.

Então, há discussões que podem ir até onde vocês quiserem, mas guardando presente em sua cabeça que o mais importante é a lucidez e a consciência, através de nossas trocas, que serão aportadas, pelo menos nós o esperamos, para permitir-lhes ajustar-se à sua Eternidade, da maneira a mais perfeita possível, ou seja, permitir-lhes, no momento vindo, e eu os lembro de que o momento vindo pode ser em uma hora e, em todo caso, ele está em curso de encarnação, de atualização, de exteriorização.

Então, é claro, como vocês sabem, quando a Luz encontra o que pode resistir, ou o que pode ser da sombra, ao nível coletivo, ao nível de egrégora, ao nível pessoal, ao nível do que é chamado o carma, é muito importante atravessá-lo, ou seja, como diria Teresa, dizer Sim.

Sim a Você, Senhor Cristo, Sim à Luz, Sim à minha Eternidade, qualquer que seja o preço a pagar, porque o ego considerará, sempre, que há um preço a pagar.

Mas, justamente, eu me repito: de maneira muito minuciosa, o que se apresenta em sua vida, ao nível do que vocês fazem, ao nível de encontros, ao nível de interações é, muito precisamente, o que lhes é necessário, suficiente, útil para ajustá-los, ou seja, colocar em sobreposição total o que vocês são, na Eternidade, e o que vocês são, ainda, no efêmero.

E isso inclui, é claro, o fato de que tanto nós, Anciões, como os Arcanjos, como as Estrelas, estamos em vocês, mas nós somos vocês, também.

E, portanto, de algum modo, será preciso fazer desaparecer a mínima subsistência de separação ou de barreira, ou de medo, ou de oposição, pouco importa, entre nós e vocês.

Isso quer dizer que, quando nós dizemos que estamos em vocês e que vocês estão em nós, vocês estão nos trabalhos práticos, como eu dizia, dessa manifestação e dessa realidade.

Então, é claro, todas as questões são úteis, porque vamos entrar na intimidade, não nas explicações, não nos ensinamentos, não na criação de egrégoras ou de coisas que devem ser perpetuadas, mas, ao invés disso, é uma mecânica de precisão, de ourivesaria, de joalheria, que vai levá-los, simplesmente, a preparar esse estado que chega.

Então, se querem, tudo isso já existiu a título pessoal.

Há o Livro dos mortos egípcio, todas as civilizações ou todas as tradições ditas espirituais deixaram escritos, sobre o Livro tibetano, por exemplo, ou seja, educá-los, entre aspas, para essa passagem.

Fazer de modo a que, no instante presente que vocês vivem, haja cada vez mais esse desaparecimento do efêmero e essa preeminência, cada vez mais invasiva, efetivamente, às vezes, com dificuldade, do Amor, da Unidade, e da Eternidade.

Então, é claro, você pode observar, ao seu redor, em suas relações as mais próximas como ao nível do mundo, no que acontece tanto no pátio de seu edifício como no outro extremo do planeta, faz apenas reproduzir essa confrontação, ou seja, como foi dito para a atribuição Vibral, cada um deve ver, nesse momento, de maneira clara e lúcida, aí onde está, não como uma corrida para a recompensa, mas, bem mais, sua aptidão para viver essa Passagem.

Porque nós estamos na Passagem, aquela da Última Reversão, na matéria, que corresponde, eu o lembro, também, à Reversão da Terra, completamente.

É o que está aí, é o que está aí, agora, e tudo o que você tem a viver é apenas, em resumo e em definitivo, destinado a mostrar-lhe o que é eterno, o que é efêmero e a seguir sua linha, para você, de menor resistência, quer concirna à sua evolução, mas, em todo caso, a preparação é para essa passagem que está em curso.

Não é mais a passagem do ego ao coração, mas é, realmente, o parto espiritual.

E esse parto espiritual, ele se faz por onde?

Pela garganta, pelo alto.

O colo do útero é o colo da garganta para o nascimento espiritual.

Então, isso pode mais ou menos emperrar em resistências psicológicas, conflitantes, relacionais, em relação às grandes energias, ou seja, o dinheiro, a segurança, todas essas coisas que acontecem em sua vida, isso não é uma retribuição cármica, é destinado a ajustá-lo.

Se você muda de olhar e de ponto de vista em relação ao que você vive, não dá mais tomada à oposição, não dê mais tomada à dualidade, tanto a sua como aquela do mundo.

Você está nesse mundo, mas você não é mais desse mundo.

Isso não é uma negação da vida, ainda uma vez, é uma entrada, diretamente, na Eternidade da Vida.

E é isso que está sendo jogado nesse momento, e eu não lhe escondo que isso vai tomar uma acuidade, uma intensidade, cada vez mais evidente para cada um de vocês, como para o conjunto do Coletivo da Terra, como para o Coletivo do Um, como para o Coletivo dos filhos de Bélial, ou seja, aqueles que são opostos à Lei de UM, ou seja, é o mesmo cenário, entre aspas, que se joga durante este período: confrontação, não a guerra, mas a confrontação de pontos de vista, confrontação de posicionamentos entre os filhos da dualidade ou que queiram jogar nisso, e os filhos da Unidade que querem reencontrar a integridade eterna.

Eu falei o suficiente, portanto, de momento, vocês me escutarão, parece, disseram-me, do que eu disse há dois dias, isso me evitará redizê-lo, é muito gentil, e, portanto, eu fico aí para a primeira questão e, depois, vocês verão quem virá.

Ele se apresentará, ou não, ou seja, vocês poderão, ao nível vibratório e ao nível do que viverão, fazer a diferença, mas eu penso que a maior parte apresentar-se-á.

Mas há pequenos marotos que não lhes dirão quem eles são.

Entretanto, o importante não é permitir-lhes, unicamente, ajustar-se, como eu disse (mas eu não desenvolverei isso esta manhã), é permitir-lhes fazer vibrar a totalidade de estruturas vibrais de seu Corpo de Existência, que corresponde a certo número de Triângulos que estão no corpo.

Porque o Corpo de Existência tem, sempre, a mesma estrutura, qualquer que seja a origem estelar, quaisquer que sejam as linhagens, qualquer que seja, mesmo, a forma tomada em tal dimensão ou tal outra; a arquitetura, a estrutura do corpo de Existência é universal, qualquer que seja a forma que é tomada em 3D, diversas e variadas, unificadas ou dissociadas ou, mesmo, na 5D ou, mesmo, nas outras dimensões.

Tudo isso se revela em vocês.

E tudo o que nós dissemos no ano passado, ou seja, ficar tranquilo, ficar no silêncio é, obviamente, o Silêncio da Eternidade, isso não quer dizer que seja preciso nada fazer e não mais falar, mas ter a lucidez, a consciência, a plena consciência, como dizem os Ingleses, vocês sabem, eu gosto muito das palavras inglesas, não é Good Vib, é o Mindfullness, a plena capacidade da consciência para ver o que é da ordem da divisão, em si, no exterior de si, e o que vai ao sentido da Unidade, o que vai ao sentido da fluidez.

E seu corpo, seus pensamentos, suas emoções, que restam, estão aí para mostrar-lhes isso, e para atravessá-lo, para ver essa espécie de confrontação entre a Unidade e a dualidade, nesse mundo e em vocês.

Vocês vão, ainda, jogar o jogo da dualidade, ou você aprendeu, entre aspas, a lição vibral, a lição intelectual, a lição cármica, a lição física de tudo o que você viveu, entendeu e experimentou nesse mundo?



Próximo - QUESTÕES – RESPOSTAS



Post. e Formatação
http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação
Célia G.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...