11/06/2015

O.M. AÏVANHOV e O ESPÍRITO DO SOL - I/II - 3ªp.

Ensinamentos, Abril 2015

"Você imagina a angústia de ver outros
 mundos, isso não vai abri-lo, 
necessariamente, a esse 
outro mundo".

O.M. AÏVANHOV
3ª Parte
12 mai 2015

Questão: um adolescente viu, a cada noite, luzes azuis acima de sua cama e, uma noite, uma entidade masculina de luz azul sentou-se sobre o canapé que o observava. Quem era? Isso está em relação com sua origem estelar e a atribuição vibral?

Então, caro amigo, o que quer que seja, e antes de dizer o que isso pode ser, isso faz apenas traduzir, antes de tudo, a sobreposição do efêmero e do Eterno.

Você vê, cada vez mais, luzes – eu havia dito – na natureza, os véus brancos – independentes da névoa – de partículas adamantinas; você vê luzes, de olhos fechados, olhos abertos; você vê à noite, no escuro; a própria Luz; você vê as Presenças, as separações param.

Você vê suas linhagens, você vê, por vezes, as linhagens do outro, olhando-o ou, então, você enfrenta as linhagens dele, porque você não tem essas linhagens.

Tudo isso é o desaparecimento total do que o cortava, antes, dessas manifestações.

Então, agora, existem muito numerosos seres e entidades que revestem ou que são, eles mesmos, essa Luz azul.

É claro, o azul evoca Maria, evoca Buda, evoca Sírius.

Ele evoca, também, outras civilizações de mundos unificados.

Mas houve, também, o que foi nomeada a Obra no Azul.

É, justamente, o momento em que a alquimia entre o Eterno e o efêmero, que não está, ainda, em confrontação (a Obra no Branco foi há quatro ou cinco anos), tudo isso, se quer, dá a ver coisas cada vez mais incríveis.

Aliás, muitos seres humanos vão, francamente, desfalecer e ter crises cardíacas, como quando há um sismo, quando eles verão o que eles vão ver no céu, quando eles virem as embarcações, quando eles virem as entidades, por toda a parte, que são mais numerosas, ainda, do que os humanos.

Portanto, se quer, é exatamente o que se cria agora, que você vê, cada vez mais, e, ainda, você sabe muito bem que há vaporizações de substâncias contrárias à Luz, em toda a atmosfera.

Deram-lhe a comer coisas que impediam a consciência de eclodir na Eternidade.

Mas, apesar disso, e uma vez que a Terra está liberada e nós ganhamos o direito de seu Retorno à Eternidade, vocês e nós, juntos, é normal que haja seres de toda idade, jovens ou menos jovens, que começam a ter percepções cada vez mais específicas, que mostram, ao mesmo tempo, a dissolução da matriz em curso, mas que dá, já, um vislumbre do verdadeiro mundo, da Eternidade.

Não há razão para que isso aconteça, unicamente, no seu interior, no sonho de cada um; isso acontece, concretamente, por toda a parte.

Então, é claro, as pessoas nem sempre sabem pôr nomes.

Aí, você falava de um jovem que falou de uma entidade sentada em uma poltrona, mas há outras pessoas que não gostariam, mesmo, de dizer que viram uma entidade, porque isso mexeria muito com suas crenças, elas estão tão muito persuadidas de que, quando morrem, nada mais há.

Você pode imaginar a angústia para essas pessoas?

Porque isso não é um alívio, é uma angústia.

Porque aquele que imagina que nada mais há, não é, unicamente, porque ele a nada tem acesso, é porque ele está persuadido de que é assim.

E você imagina a angústia de ver outros mundos, isso não vai abri-lo, necessariamente, a esse outro mundo.

Para os jovens, sim, isso pode ser uma atribuição vibral, mas aquele que está completamente fechado em seus medos, que em nada acredita e que crê, unicamente, na matéria o que é o caso, de qualquer forma, de muitos seres humanos – quando essa Eternidade revelar-se de modo, verdadeiramente, não unicamente, em lugares precisos ou em circunstâncias precisas, mas que isso vai manifestar-se assim, no metrô, por exemplo, de repente, o metrô ficará cheio de entidades, e de todas as cores, e de todas as formas, você imagina que há o quê, para aquele que apenas crê na matéria e na razão, estar não, verdadeiramente, na Graça, não.

Haverá milagres e conversões, como se diz, mas, para a maioria, isso estará longe de ser assim, porque isso provoca grande ruptura das crenças, grande mudança, como vocês dizem, de paradigma, e, além disso, sem estar a par da extinção final, você pode imaginar, efetivamente, que, para eles, isso é, já, sua própria extinção.

E o cérebro é assim feito, ele é tão estúpido que, porque ele crê que nada existe, se ele é confrontado à existência desse nada e à manifestação desse nada, você sabe muito bem que você, você está ávido por esses reencontros e essas experiências, por essas comunhões, mas, para a maior parte dos seres humanos, não é, absolutamente, isso.

Não é a Luz Azul que eles vão ver, isso vai dar a eles um terror azul.

Você não se dá conta e, mesmo vocês, que estão aqui, vocês têm ouvido falar dos Vegalianos, se vocês veem, realmente – não energeticamente –, um Vegaliano em carne e osso ao seu lado, qual vai ser a sua reação?

Vocês não podem, mesmo, imaginá-la.

Porque há uma ruptura de seu campo de consciência.

O campo de consciência, mesmo falsificado, é organizado em alguns estratos, em alguns potenciais, tanto para o corpo físico como para o corpo mental.

E, se há a erupção do Eterno, de maneira tão intensa e verdadeira, para aquele que em nada acredita do que é Eterno, mas isso será o infarto do miocárdio, será o terror, será a loucura.

É aí que vocês serão importantes.

Não para ficar ao lado dessas pessoas, se elas estão no outro extremo do planeta, mas porque sua própria presença, inscrita na Eternidade, quer seja o Si ou o Absoluto, aí, será capaz de ser uma luz nas trevas.

Porque, lembrem-se de que, após a Luz Branca, há o quê?

As Trevas, o que está além da Luz, o Absoluto, o Parabrahman.

E, aí, é ainda pior porque, para aquele que já não acreditava nos planos sutis (mesmo quando ele os vê, ele não quer acreditar nisso, nesses casos), vocês podem imaginar que as trevas, isso o remete a quê?

Bem, à morte, simplesmente, e a pessoa não quer, jamais, morrer.

Você sabe muito bem, isso foi retomado por Sri Aurobindo, ontem, ao seu modo, que o Choque, também, situa-se aqui.

E você sabe muito bem que é quando há aceitação e, unicamente, quando você está na aceitação irremediável, irreversível, que você é totalmente Livre – quer você esteja na Infinita Presença ou no Absoluto com formanão antes, uma vez que a maior parte de vocês, efetivamente, viu que fizeram «tournicota-tournicoti» sem parar.

Mas isso não é nem um drama nem uma condenação porque, se vocês não tivessem feito, para alguns de vocês, esses «tournicoti-tournicota», como teriam podido saber qual é a diferença entre o mental e o Si?

Há muitas pessoas que se projetam no Si com o mental, ou que dão a crer que elas são isso ou aquilo porque elas viveram uma vibração, porque viveram a primeira parte da Onda de Vida e que jamais foram liberadas, no entanto.

E isso tem em todos os cantos da rua, mesmo entre todos os irmãos e irmãs que vocês conhecem, que têm vivido esses processos vibratórios.

E sim, porque considerar seu desaparecimento, para a pessoa e para o Si, é impensável.

E dizer que desaparecer é, justamente, aparecer na Eternidade e, portanto, nessa Origem, nessa Luz e nessa Treva que está na origem da Luz.

Você pode imaginar o que isso representa, é a pior das situações, para o mental, para razão e, mesmo, para o Si.

Como abandonar tudo o que eu conheci, tudo o que eu vibrei, tudo o que eu percebo?

E sim, faz morrer.

Não pela «pequena morte» da passagem do ego ao coração, porque isso vocês o fizeram sem parar, mas é preciso morrer, deixando Cristo, ou seja, a Eternidade estabelecer-se.

Vocês nada perderão, exceto o que vocês acreditam ser eterno e que não o é, ou seja, a alma.

Então, é claro, o que eu digo, estritamente, nada quer dizer para aquele que está fechado no próprio ego, mesmo que procure a Luz.

Isso nada quer dizer, também, para aquele que está, ainda, nos «tournicoti-tournicota» do Si e, no entanto, é a única Verdade.

Então, cabe a você ver.

Mas é, também, a Graça da Liberdade.

Você tem a total liberdade de ser o que você é.

Se você é um Arconte, isso não me incomoda mais do que isso; se você é um portal orgânico, o que é que você quer que isso me faça?

Será que eu sou concernido pelo que é efêmero, mesmo se eu mantenho, aí onde eu estou, certa parte de efêmero, mas para uma missão que você conhece.

Aliás, alguns assimilaram, perfeitamente, essa missão, mas isso é outra história.

Ah sim, é verdade, ele me disse que é preciso fazer o Espírito do Sol, o silêncio.

… Silêncio…

Eu escuto a questão seguinte.

Questão: estar no Serviço, com um S maiúsculo, isso significa o quê, atualmente? Como sê-lo?

Eu vou deixar responder o Espírito do Sol.

Você poderá repetir-lhe a questão, acho que ele dormia.

O ESPÍRITO DO SOL

Eu escuto a questão que me foi atribuída pelo Comandante.

Continua 4ªParte
(Em formatação)

Questão: estar no Serviço, com um S maiúsculo, isso significa o quê, atualmente? Como sê-lo?




Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação
Célia G.
Leituras Para os Filhos da Luz

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...