16/06/2015

O.M. AÏVANHOV e O ESPÍRITO DO SOL- II/II- 2ªp.

 Ensinamentos, Abril 2015

"Sua gama de sensibilidade não é mais, absolutamente,a mesma, ela
 se expandiu".

O ESPÍRITO DO SOL

Questões / Respostas
2ª Parte
Enunciado da questão seguinte.

Questão: o número de seres liberados vivos aumentou?

Bem amado, esse número aumenta sem parar e, sobretudo, há seres que não viveram, até agora, qualquer processo, tal como vocês os viveram e tal como nós os descrevemos.

Há, nesse nível, um mistério. 

Mas um dos mais belos mistérios.
Porque alguns de vocês foram capazes, ou serão capazes, no momento vindo, de despojar-se de todo artifício e de toda ilusão, sem esforço, com Graça e, eu diria, com elegância.

Felizes os simples de espírito.

É, portanto, cada vez mais visível que seres liberam-se sem terem passado, eu diria, por suas etapas e seus esquemas.

Esse é seu papel e sua função.

É graças a vocês que isso se produz, mas isso não se produz ao mais próximo de você, mas, frequentemente, onde isso seja necessário, nesta Terra e sobre esta Terra.

Você não tem que conhecer essas pessoas, mas, simplesmente, saibam que você tem – ao seu modo, acolhendo a Luz, 
deixando-a encarnar-se, deixando-a irradiar – participado do Serviço da Luz e à Luz.

Isso basta.

Se você vê isso, sua Alegria crescerá ainda mais, mais facilmente e com mais constância, sem glorificação, na mais exata das posições que não é aquela do ponto de vista da pessoa, mas, bem mais, aquele do Amor.

… Silêncio…

Enunciado seguinte.

Questão: casais monádicos reunificam-se. Para mim, o reencontro físico não ocorreu. O reencontro nesse plano é necessário? Eu sinto em mim a unificação das duas polaridades da Androginia Primordial.

O.M. AÏVANHOV

Caro amigo, jamais foi dito que era preciso, necessariamente, reencontrar o que não foi feito até o presente.

Obviamente, casal monádico ou não, vocês têm, todos, em si, a Androginia Primordial, mesmo se, efetivamente, seu gêmeo monádico tenha sido criado, eu diria, ao nível de sua expressão, vocês se criaram, a sim mesmos, a dois.

Mas, aí, não há obrigação nem injunção para realizar isso no plano físico.

A partir do instante em que isso se realiza nos planos os mais sutis, já é mágico.

Não há qualquer obrigação.

Eu creio que eu disse isso, simplesmente, porque há, efetivamente, já há alguns meses, novos reencontros que se fazem, que são ligados a resoluções cármicas do que vocês nomeiam almas irmãs, porque é importante, para essas pessoas, baterem-se um pouco para encontrarem sua androginia.

E há, também, verdadeiros casais monádicos.

Mas esses verdadeiros casais monádicos, se há necessidade de vivê-lo, não é você que vai decidir, sobretudo, agora, é a Graça que vai fazê-lo.

E, se isso não se faz, não é para procurar.

Mas isso pode ser uma proposição, por que não?

Mas, se a Inteligência da Luz tinha-o decidido, agora e já, em relação ao momento em que você se coloca a questão, isso teria, já, acontecido, ou isso acontecerá.

Mas o essencial não está aí.

O trabalho de casais monádicos ocorreu, sobretudo, no ano 2012 e, em seguida, para aqueles foram reencontrados naquele momento.

Mas outros se encontraram e perderam-se, porque eles tinham que comungar e, depois, levar a efeito coisas um pouco diferentes, como, por exemplo, com almas irmãs para liberar-se, totalmente, no plano do Espírito e, portanto, reencontrar esse casal monádico, mas em Espírito, não na pessoa.

… Silêncio…

Eu escuto a questão seguinte.

Questão: como não ser afetado pelas irradiações emitidas por meus irmãos e irmãs, quer elas sejam exprimidas ou não?

Deixando-se atravessar.

Vocês se tornam sensíveis a frequências cada vez mais elevadas, mas, também, cada vez mais pesadas.

Tudo isso é para testá-los, para ver se vocês, realmente, desapareceram.

Se vocês não desapareceram, bem, é muito simples, vocês vão interceptar e ser agitados ou ter um chacra que aperta, porque vocês não desapareceram.

E, se a vibração perturba você, isso não quer dizer, por exemplo, que você tem a mesma linhagem, isso quer dizer, simplesmente, que você está na resistência em relação à integração não de suas linhagens, mas da totalidade da expressão da Vida, ou seja, que você está, ainda, condicionado pela crença de ser uma pessoa, mesmo se você tenha vivido o Si.

Portanto, nada há a fazer, porque você sentirá, do mesmo modo que você sente os raios do Sol, do mesmo modo que alguns de vocês se tornaram eletro-sensíveis, você vai tornar-se cada vez mais sensível.

Mas essa sensibilidade, quando ela o atravessa, ela não o afeta, é uma informação que passa.

Mas, se você a retém, isso permanece em seu sistema de matéria, no corpo efêmero, e isso vai traduzir-se por um inconveniente.

É apenas um convite para desaparecer ainda mais.

Nada há que seja insuperável com a Graça, mas cabe a você saber o que você faz.

Será que você se serve da Graça que está aí ou será que você tenta servir-se de sua pessoa?

Isso faz parte, também, do aprendizado, da aclimatação, nós o dissemos, em relação ao que ia acontecer.

Portanto, o fato de sentir os raios do Sol, as ondas emitidas, mesmo sem palavras, por uma pessoa, um irmão, uma irmã ou, mesmo, o pior de seus inimigos, é exatamente a mesma coisa.

Sua gama de sensibilidade não é mais, absolutamente, a mesma, ela se expandiu.

Mas isso não quer dizer que você tem que ser afetado, porque é, sempre, a pessoa que é afetada.

Se você é Liberado ou se você está, firmemente, estabelecido no Si, nenhum diabo e nenhum Arconte pode retirar-lhe o sorriso dos lábios.

E, certamente, não a vibração emitida por um irmão ou uma irmã, mesmo a mais detestável.

Isso lhe mostra: «É aquele que diz que é».

Isso quer dizer que as circunstâncias de sua vida levam-no a ser confrontado a algo que você já conheceu – uma vez que o identificou – e, hoje, você tem todos os meios para atravessar isso.

Não como uma fuga, não como uma técnica, não como uma projeção, mesmo se você possa, efetivamente, proteger-se disso, em um primeiro tempo, o tempo de digerir.

Mas a única solução é seu próprio desaparecimento.

Nada mais há.

Porque, eu disse e repito, isso vai manifestar-se de modo cada vez mais percuciente.

Então, de momento, isso lhe dá nó nas tripas, isso lhe dá nó nos chacras, isso faz sair dos botões, mas, depois, será muito mais importante, se não é evacuado e solucionado desse modo, pela Transparência.

Eu entendo por Transparência, aí também, no sentido o mais claro, ou seja, fazer-se atravessar por algo que o incomoda, vê-lo, sabendo que está, também – e, sobretudo –, em você, essa ressonância, e deixar emergir a Graça.

Para as questões de relações, como eu respondi há pouco, é exatamente a mesma coisa, quer seja a relação entre o sujeito e o objeto, o observador/o observado ou, ainda, entre você e outro irmão ou outra irmã.

Como você vai fazer, quando a algazarra manifestar-se, se a simples vibração de um irmão ou de uma irmã mexe com você?

Explique-me.

Se você não consegue desaparecer, simplesmente, com a vibração que é emitida por alguém, como você vai desaparecer com as irradiações diferentemente mais invasivas, eu diria, e diferentemente mais intrusivas, se você não é Transparente?

Tudo isso, abençoe essas circunstâncias que lhe parecem difíceis a atravessar, porque, aí, você tem a oportunidade de ver e de resolver, não fazendo alguma coisa, mas, justamente, nada fazendo.

… Silêncio…

O ESPÍRITO DO SOL

Enunciado seguinte.

Questão: Cristo disse-me: «quando você ousar chamar-me, eu coloco, em você, a certeza de nosso Reencontro». E, no entanto, eu O chamo.

Bem amado, coloque-se a questão de quem chama.
Coloque-se a questão de onde você se situa no momento desse apelo.

Você está colocado no coração?

Você está colocado na pessoa?

O fato de que Ele não responde dá-lhe a resposta.

Ele apenas pode ouvi-lo do lugar onde você é Eterno, ou seja, seu coração.

… Silêncio…

OMA

Bem, eu escuto a questão seguinte.

Questão: uma manhã, o tempo avançou três vezes de uma hora em um minuto, por quê?

Eu creio que você chama a isso, e nós o chamamos com vocês, a ruptura da matriz ou os bugs de programação da matriz, é exatamente a mesma coisa.

Nada mais e nada menos.

Distorção do tempo, distorção do espaço, tempo que passa dez vezes mais rápido ou dez vezes mais lentamente, tudo isso no mesmo dia.

Modificação das observações de não importa o quê.

Tudo vai parecer diferente, estranho, ou maravilhoso, e cada vez mais.

Olhe suas nuvens.

Bom, é claro, evita-se de olhar tudo o que eles põem lá em cima, mas olhe, o dia em que você tem a chance de ter verdadeiras nuvens, olhe sua forma.

Olhe o que se desenrola, mesmo no céu visível, sem falar do cosmos, olhe um pouco no ar, olhe o alto das árvores.

Tudo o que você vê ou não vê, porque você não olhou, vai aparecer em você.

… Silêncio…

O ESPÍRITO DO SOL

Enunciado seguinte.

Questão: a que pode ser devido viver, por momentos, um sentimento de ausência ao que se vive, assim como uma grande solidão?

O.M. AÏVANHOV

Tudo isso nas mesmas ocasiões?

Não está preciso na questão.

Eu creio que, aí, nós caímos em questões que estão um pouco na onda, não é?

Ou elas estão mal exprimidas, na totalidade.

Porque, aí também, é o que é: você desaparece e, depois, há uma solidão que é sentida.

E sim, quando você volta, você se sente só.

Porque você não está só quando está consigo mesmo, é quando você desapareceu.

Então, há nostalgia, então, há a perda.

São as famosas idas e vindas.

Você o constata, aliás, tudo o que você vive, nesse momento, através de tudo o que você coloca como questão.

Não são processos, eu diria, que correspondam a dissoluções ou comunhões, são vai e vens, às vezes, mesmo, através do processo de desaparecimento e de retorno.

Quando você volta, você faz o luto de sua Eternidade, não?

E, aí também, não é algo que seja negativo, é algo que lhe mostra onde está a Alegria e onde ela não está.

E, quanto mais você fizer grandes diferenças como essa, não, necessariamente, do ego ao coração, mas entre o Eterno e o efêmero, mesmo se o efêmero seja magnificado pelo Si, de acordo, você vai ver, cada vez mais claramente, as situações, as interações em si mesmo, com os irmãos e as irmãs, com as circunstâncias da vida, quaisquer que sejam.

E são, aí também, oportunidades que vão ajudá-lo a posicionar-se, definitivamente.

Coloque-se a questão: você prefere estar só ou prefere desaparecer?

A resposta é evidente.

Não há, ainda, sobreposição total, mas, através dessas confrontações, desses vai e vens, dessas comparações, desses questionamentos, dessas explicações, por vezes, as coisas desconcertantes que se produzem, há toda a maionese, se posso dizer, entre o Eterno e o efêmero, que vai conduzir a um posicionamento, no momento vindo, e cada vez mais rapidamente, entre o Eterno e o efêmero, de maneira definitiva.

… Silêncio…

Eu escuto a questão seguinte.

Questão: as rãs são ligadas a uma linhagem estelar? Se sim, qual? Você pode falar-nos disso?

Nem todos os animais são de linhagens.

As baratas não têm linhagens, os ratos não têm linhagens.

Então, aí, a rã, eu jamais vi isso.

E, depois, isso não remete aos répteis, isso remete a outra coisa.

Seria preciso olhar, eu acho, o simbolismo da rã ao invés de assimilá-la a uma linhagem.

Há animais evidentes, animais exóticos, mas não todos os animais, de qualquer forma.

… Silêncio…

O ESPÍRITO DO SOL

Enunciado seguinte.

Questão: fale-nos da oferenda.

A oferenda é o Sol que oferece, a cada um e a cada uma, indistintamente, sua mesma irradiação, seu mesmo Amor e seu mesmo Serviço.

Assim é a oferenda.

Ela se faz espontaneamente, sem decisão, sem querer, sem interesse e sem condição.

Ela é a emanação espontânea da potência do Espírito, da potência da Eternidade.

Ela é o que você é, se você mesmo é a oferenda.

A oferenda não deve ser distinta do que você é, na Eternidade, nem mesmo da pessoa que você é, ainda, mas ela deve englobá-la, na mesma verdade e na mesma manifestação.

A oferenda é assimilável à Crucificação, acompanhada, imediatamente após, doravante, da Ressurreição.

A oferenda não é algo que se deva procurar, é um impulso que emana, espontaneamente, de você, sem reflexão, sem condição, sem partido tomado.

O exemplo o mais simples que eu posso dar, concernente a um objeto material: você tem uma joia e, sem saber por que, você a dá a tal pessoa, você nada espera de retorno; não é uma simples doação ou um simples presente, é um impulso.

O presente é refletido, a oferenda é espontânea, caso contrário, não é mais uma oferenda.

A oferenda não se calcula.

Ela é uma emanação espontânea da Graça da Luz, qualquer que seja essa oferenda e qualquer que seja o beneficiário da oferenda, que nada mais é do que você mesmo.

É, portanto, dar-se a si mesmo, é, portanto, a doação em sua característica a mais essencial, que é a espontaneidade, no caso da oferenda.

A oferenda não se discute, ela não se controla, ela não se calcula, o que quer que seja concernido.

A mais bela das oferendas é aquela que você faz a si mesmo, em si mesmo, a Cristo, para Cristo e por Cristo.


… Silêncio…

Continua 3ª parte -II/II
(em formatação)

O.M. AÏVANHOV

Bem, eu escuto a questão seguinte.

Questão: o que é o Paráclito de Cristo?




Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução e Divulgação
Célia G.
Leituras Para os Filhos da Luz

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...