10/05/2015

Entendam de Onde Vieram e Onde Estão Agora-1

"Vocês sabiam que o seu caminho espiritual,
 seu lugar como Semeador Divino
era real".

Adamus 
- 1ª Parte -

"O Carisma"
Canalizado por
Geoffrey Hoppe


Série do Kharisma
SHOUD 9
Círculo Carmesim
 2 de maio de 2015

Os materiais do Círculo Carmesim com Tobias, Adamus Saint-Germain e Kuthumi lal Singh têm sido oferecidos gratuitamente desde agosto de 1999.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Essas reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público e todos são bem-vindos.

Se você estiver lendo isto e sentir um sentido da verdade e conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia para os humanos e os anjos também. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você neste momento e por todos os tempos que virão. Você nunca está sozinho, pois existe a família que está por todo o mundo e os anjos que estão ao seu redor.



Eu Sou o que Sou,
 Adamus of Sovereign Domain.


Vamos respirar fundo, queridos Shaumbra, e lembrar que esta é uma época muito, muito especial pra vocês.

Vocês não Erram

Eu ouço a conversa de vocês de como tudo é difícil, os pensamentos e as emoções, o que está se passando com o corpo de vocês, tudo sendo revirado de ponta a cabeça.

Mas esta é a mais especial de todas as épocas.

 Vocês só farão isso uma vez, essa transformação do eu humano em eu divino, essa realização do Eu Sou


Apenas uma vez.

Certamente, vocês poderão voltar e rever isso depois, atravessar o tempo e o espaço, mas não será do modo como vivenciam agora. 

É doloroso, desafiador, mexe com as emoções – sim. É transformador, maravilhoso, animador – também.

Não fiquem com pressa de sair dessa coisa que vocês consideram, confusa, difícil e desafiadora.

Parem um instante, se puderem, agora mesmo, pra considerar aquilo pelo qual estão passando.

Não importa qual é o estado da sua saúde ou do seu relacionamento, não importa como estão suas finanças, não importa se estão exaustos até dizer chega, parem um instante. 

Olhem o que vocês estão fazendo.

 É, vocês, olhem o que vocês estão fazendo, o que estão vivenciando. 

E o bonito é que... 

E eu posso falar isso pra vocês estando aqui neste palco e sei que é difícil pra vocês perceberem.

 O bonito é que vocês não erram quando se trata disso.

 Não dá pra errar.

Agora, dito isso, posso especificar dizendo que pode não dar certo de acordo com o seu conceito humano em relação a isso, as suas expectativas humanas; mas do ponto de vista divino, da alma, do Eu Sou, vocês não erram.

Isso levaria a acreditar que é hora de liberar algumas expectativas humanas, sim, e permitir algo maior.

Já tiveram um daqueles momentos? 

Em que algo acontece e vocês pensam:
 “Eu não teria planejado melhor se tivesse tentado.
 Deu mais certo do que se eu tivesse planejado. Como pode?” 

Normalmente, quando isso acontece, vocês dão crédito à influência ou à ajuda angélica.

 Não, foram vocês que fizeram.

Quando acontece, é porque vocês permitiram ir além de vocês para quem vocês realmente são, e então coisas incríveis acontecem

Milagres acontecem.

Não gosto de focar muito... 

Quero usar isto hoje. 

[Ele pega o púlpito e alguém diz: “Uh oh!”] Uh oh!

LINDA: Uh oh!

ADAMUS: Uh oh! Não precisa sair daí, minha querida [falando com Linda; risadas]

Mas precisa pegar este dispositivo [o iPad que estava em cima do púlpito].

O que houve com a simples folha de papel? É.

LINDA: Oh, Mestre!
ADAMUS: Vou me preparar aqui.


Efeitos da Consciência

Como eu dizia de maneira tão compenetrada...

 Repararam...?

 Foi antes de me compenetrar... 

Repararam, ultimamente, que as coisas andam meio tortas com vocês, sem equilíbrio, sem dar certo, mais do que nunca? 

Os aparelhos eletrônicos não estão funcionando muito bem. 

Vocês ficam ouvindo estalos pela casa, sem saber o que é.

 “Que estalo foi esse?” 

É claro que vocês atribuem isso às fundações da casa, mas o fato é que vocês estão emitindo uma consciência tão forte que está afetando a energia ao redor e provocando essas ocorrências estranhas. 

É como se vocês não pudessem controlar seu eu, seu kharismaesta é a Série do Kharisma, não Kasama do kharisma.

O seu kharisma é a sua luz. 

Está brilhando tanto no momento, apesar de toda a confusão e tudo mais, mas está brilhando tanto que está afetando as energias ao redor – e as pessoas ao redor, como devem ter reparado.

Agora, vocês diriam que, com o kharisma, elas seriam atraídas para a sua luz

Não é bem assim. [Risadas; Adamus ri.] 

Mas vocês sabem como é quando a luz brilha demais. 

Às vezes, vocês querem cobrir os olhos, usar óculos escuros ou achar uma sombra em algum lugar.

 É assim quando vocês estão junto delas.

 Vocês, na verdade... bem, vocês são como eu quando estou na presença de humanos – são meio como eu quando estou com vocês irritantes. [Risadas]
LINDA: Oooh.

ADAMUS: Porque a luz brilha demais, é muito forte, e elas não sabem como assimilá-la.

 E, quando vocês brilham sua luz, seu kharisma, isso expõe coisas dentro delas que elas tentavam esconder. 

É um tanto... 

Mesmo os impulsos magnéticos que ocorrem como resultado de sua luz. 

Esses impulsos são irritantes para os humanos, os carros e os computadores, na maior parte das vezes, e para outros dispositivos.

 São irritantes, de certa forma, para o ar ao redor.

Irritantes, porque a consciência de massa está num tipo de hipnose maravilhosa, mas burra

Na energia de só o suficiente, só o suficiente de tudo. 

E a maioria dos humanos se contenta com isso.

Incrível. 
Vocês não.
 É por isso que estão aqui.

 Mas a maioria dos humanos se contenta com isso – só chegar ao fim do dia.

E, de repente, surge essa luz exuberante.

 Não estou falando apenas da sua energia física, mas estou falando da sua presença.

 É irritante pra eles, porque mostra a eles que existe algo mais, algo que eles estão perdendo, algo que mantêm em estado letárgico e de embotamento. 

Vocês, não. 

Essa é a última coisa; vocês não estão embotados.

 [Algumas risadas] Vocês ficam letárgicos, de vez em quando, no corpo e na mente, é claro, porque muitas coisas estão mudando muito rapidamente.

 Mas vocês chegarem com o seu kharisma? 
É irritante.
 Então, acostumem-se, por um tempo, enfim.

Sei que vocês ouviram histórias dos antigos Mestres que andavam pela multidão e, de repente, todo mundo se sentia abençoado. 

Isso nunca aconteceu! [Risadas] 
Realmente não.
 Nem consigo imaginar. 

A menos que estivessem tentando hipnotizar, deliberadamente, o grupo. 
Isso não acontece.

Quando um Mestre está presente, há controvérsia e conflito. 

Expõe tanto a luz quanto a escuridão à verdadeira luz.
Expõe o que estava escondido
Expõe a verdadeira paixão.

 Expõe algo sobre o qual vamos falar mais adiante, hoje – a verdadeira natureza irresistível de vocês, da sua alma.

Assim, vamos respirar fundo com isso.
Hoje, na programação, tenho duas perguntas.
 Então, levaremos o microfone até esta linda plateia, sim. 

Irritante, não? 


[Alguém faz “Uh oh” e Adamus ri.]

 Não. 

Você recebe o microfone primeiro. [Risadas]

Duas perguntas, e vou falar de duas tendências que estão afetando o planeta no momento.

 E, se estiverem conscientes delas, será mais fácil lidar com o que está acontecendo em volta de vocês. 

Então, quero falar sobre uma tendência esmagadora que atinge vocês pessoalmente.

 E então faremos um merabh, se der tempo.
 Então, sim, vamos deixar a sobremesa por último [rindo].

Mas antes vou começar com as perguntas, e dar minha palestra aqui, com um pouco de café.

 [Ele dá um gole.] 

Vejam como um Mestre pode ser bem irritante. [Ele ri.]

Shaumbra

Assim, meus caros amigos, e digo isso de maneira muito sincera, trabalhei com muitos indivíduos e grupos em centenas, milhares de anos, e nunca...

 Cauldre vai me acusar de ser muito compassivo aqui, mas só um instante... 

Nunca me diverti tanto e me realizei tanto quanto agora ao trabalhar com todos vocês.

LINDA: Ah, meu Deus, cadê o Adamus?! 

[A plateia faz “Yee!”; risadas e alguns aplausos]

ADAMUS: Oh, mas isso não significa que encerramos o nosso programa juntos.
 [Risadas] Significa apenas que estamos fazendo uma pausa.

Trabalhei com humanos brilhantes que ficaram no caminho espiritual pra sempre, aqueles que realmente ajudaram a criar a primeiríssima Kabbalah [Ka-bal-ah] ou Cabala [Ka-ba-lah]. 

Agora, isso, pra quem não sabe, é supostamente o livro místico judaico, mas vem de muito antes de sequer os judeus a adotarem.

A Cabala... 

Cabala significa a verdade ou, basicamente, o âmago, o centro. 

Sim, outra palavra com “C” ou “K” pra entrar pra lista.

 Mas a Cabala significa verdade e a busca da verdade; enfim, a realização da verdade. 

A Cabala está por aí há éons e éons.

 Na verdade, veio do Egito, de algum livro original egípcio e, mais tarde, foi adotado por outras culturas.

Então, trabalhei com esses que estavam realmente envolvidos nos escritos originais da Cabala.

 Era um desafio trabalhar com eles e, de fato, não eram nem de perto tão divertidos quanto os Shaumbra, quanto vocês.

Tem sido uma alegria estar com vocês, caminhar ao lado de vocês, dar cada passo do caminho com vocês.

 Difícil, eu sei. 

Eu sei.

 E, em alguns dias, particularmente, algumas noites, vocês se sentem sobrecarregados. 

Vocês sentem como se não fossem chegar a lugar algum.

 Mas posso, verdadeiramente, lhes dizer que este grupo que se chama Shaumbra é realmente incrível.

 Aquilo pelo que têm passado, os desafios, a velocidade com que estão passando por tudo é muito, muito impressionante.

Eu brinco em ir ao Clube dos Mestres Ascensos contar histórias do meu pessoal, dos Shaumbra, e é bem verdade. 

É bem verdade mesmo.

Alguns meses atrás, eu disse que daríamos uma olhada em fevereiro de 2016, que vamos ver onde nós estamos. 

Será que já haverá uma quantidade suficiente de Shaumbra realizando sua iluminação pra que todos nós sigamos em frente? 

Do contrário, é uma perda de tempo, seu e meu.

 Mas, até agora, sinto que estamos trilhando um caminho muito, muito bom juntos. 

Difícil. 
Desafiador. 

Como eu disse muitas vezes, a iluminação é brutal para o humano. 

Não para a alma, não para o Eu Sou, não para a verdade, mas é absolutamente brutal pra esse aspecto chamado humano.

Quer estejamos aqui nos Shouds, quer estejamos no Keahak, seguindo em frente, estamos indo bem mais longe neste enfoque humano em direção ao “e”, em direção aos Muitos.

 Ninguém estará indo pro Um, não mesmo.

 Sendo assim, se essa é a expectativa de vocês, vocês vão ficar muito desapontados. 

Não estamos trazendo tudo de volta ao Um. 

Esse plano é uma droga. [Risadas]

 Esses são termos espirituais técnicos.

 Sim. 

Estão na Cabala, se lerem com cuidado. [Mais risadas]

Estamos indo para os Muitos, e é quando fica divertido e é o que, particularmente, me anima.

Quando fizermos isso, quero que vocês entendam de onde vieram e onde estão agora

Muita dessa energia dos Shaumbra remonta da época de Yeshua,(Jesus) e eu sei que muitos de vocês sentem uma proximidade, uma afinidade, um amor profundo por Yeshua, por MariaMaria Madalena –, por todos aqueles que estavam lá na época. 

Vocês se relacionam de um modo lindo, mas às vezes raivoso.

Vou explicar daqui a pouco, mas é quando vocês começam a se reunir.

 É quando a essência dos Shaumbra... 

É claro, Atlântida, mas isso foi há muito, muito, muito, muito tempo.

Grande parte foi reunido na época de Yeshua, quando vocês assumiram o compromisso de trazer a Semente Divina, a Consciência Crística, a Consciência de Cristo.

 Muitas, muitas, muitas existências atrás, todos vocês fizeram parte disso, mesmo você, querido Linda de Eesa. 

Você não estava num corpo físico, mas estava aqui. 

Você chegou o mais próximo possível de onde estava nas outras esferas pra estar aqui, pra acompanhar aqueles que estavam vindo à Terra.

 Pode-se dizer que você estava na sua forma angélica, mas a maioria de vocês estava na forma humana.

Quer tenham conhecido Yeshua pessoalmente, ou quaisquer outros personagens, não faz diferença. 

Vocês estavam em algum lugar aqui no planeta, naquela época. 

Vocês assumiram o compromisso de que viriam trazer a Semente Divina, a Consciência Crística, a consciência pura, e então vocês voltariam e, em determinada altura, colheriam o que haviam plantado.

 Colheriam o que plantaram para si mesmo e talvez para outros.

 Por isso aquela época tem um significado pra vocês, uma profundidade pra todos vocês.

 Alguns milhares de anos, vindo pra cá na forma humana, alguns na forma angélica, e dizendo: “É agora, é Agora.”

Muitos de vocês se conheceram lá atrás.

 Vocês se encontraram novamente em nossas reuniões ou no espaço da Internet, e há essa recordação repentina, essa lembrança súbita.

 Vocês se depararam com o jeito de Tobias, que foi uma influência pra vocês, também na forma angélica naquela época de Yeshua. (Jesus)

Mas é quando, pode-se dizer, grande parte disto começou a tomar forma.

Então, a maioria de vocês passou por um longo e interessante período de existências nas igrejas, nas religiões, nos movimentos espirituais.

Alguns foram para os conventos; outros para os monastérios; alguns partiram para diferentes partes do mundo, para os templos; e lá estudaram, rezaram, meditaram, ganharam foco.

Muita disciplina. 

De certo modo, foi bom pra vocês. 

Vocês aprenderam a focar as coisas, a se disciplinarem, disciplinarem o eu humano que, às vezes, era muito, muito indisciplinado, muito disperso de diversas formas. 

Vocês aprenderam a reconectar partes de si que tinham se perdido. 

Vocês precisaram fazer isso na tranquilidade desses conventos, monastérios ou templos.

Vocês fizeram isso por muitas, muitas existências, e há uma certa beleza quando vocês se lembram desses tempos.

 Era tão tranquilo, tão simples, tão bobinho. [Adamus ri.]

De certo modo, muito bobo; de certo modo, muito, muito, muito bom pra vocês na época.

 Era o momento de fazer uma jornada interior pra dentro de si, mas era algo cercado de muita disciplina, muita rotina, muito regime, muito pensamento de grupo.

Não havia muito espaço pro pensamento individual; muito pensamento em grupo.

E, em certa altura, vocês partiram, desiludidos talvez há 300 anos, há 500 anos, não importa. 

Mas desiludidos pelo fato de que os verdadeiros mistérios e os verdadeiros segredos permaneciam como mistérios e segredos. 

Não importa o quanto se esforçassem procurando, a quem procurassem pra conversar ou se aconselhar, ninguém realmente sabia a resposta. 

O verdadeiro mistério era essa coisa que rodeava os mistérios. 

Ninguém conhecia.

 Vocês sabiam que havia respostas. 

Vocês sabiam que o seu caminho espiritual, seu lugar como Semeador Divino, era real.

 Vocês viam os outros que, simplesmente, memorizavam os livros, os textos, as regras e nada mais, nenhuma profundidade dentro de si. 

Assim, desiludidos, vocês partiram ou foram chutados pra fora.

Foi um período muito, muito difícil pra vocês – talvez pra alguns de vocês há três, quatro existências; talvez mesmo só uma ou duas.

 Um tempo muito difícil, porque foi como deixar tudo que tinha sido importante; deixar o caminho que vocês tinham ajudado a criar em primeiro lugar; deixar a segurança desses grupos e organizações; deixar os amigos; deixar aqueles que vocês consideravam ser os seus professores.

 Então, vocês partiram, andaram sozinhos por algumas existências. 

Meio que vagando pelo deserto, maneira de dizer, mas sozinhos.

Às vezes, nessas existências e mesmo nesta existência, vocês tentaram voltar para o “espiritual”, para o místico e, outras vezes tentaram fugir disso

Às vezes, tentaram encontrar um grupo do qual participar novamente, ter essa associação humana.

 Outras vezes, não queriam se ligar a grupos. 

Sentindo-se perdidos, sentido-se abandonados.

 Daí, ouviram de Tobias que mesmo seus guias espirituais partiram. 

Agora é que ficaram realmente sozinhos.

Vocês descobriram essa proximidade com este grupo, mas um grupo sem regras, um grupo que não tem práticas pra vocês manterem, um grupo que não tem requisitos, porque, se este grupo tivesse, se esta organização chamada Círculo Carmesim exigisse algo pra vocês fazerem, vocês fugiriam

Vocês iriam embora.

Foi uma atração natural de mentes semelhantes, espíritos afins, que trouxe vocês pra cá, mas que não os segura aqui, não os prende aqui. 

Alguns de vocês partiram por um tempo, foram a outros lugares, mas perceberam que isto é um lar

É um espaço seguro onde podem ir e vir quando quiserem.

 Está sempre aqui pra vocês.

E, quando digo que vou estar com vocês em cada passo do caminho, vocês vão perceber que estou

Não vou dar os passos por vocês. 

Não vou resolver os problemas na sua vida, porque eu não vejo problemas na sua vida, além de vocês mesmos. [Algumas risadas] 

E estamos trabalhando nisso.

Realmente, não vejo problemas na sua vida como vocês veem.

 Vejo situações que são desconfortáveis para a persona humana, mas é exatamente isso que vocês estão buscando expandir.

 Não se livrar; não deixar de ser humano e só ser Divino; não se tornar uma unidade, mas ir de um foco humano apenas, de uma consciência humana, para tornar-se muitos, muitos, muitos de si, sem um núcleo singular, sem uma dessas partes do Eu tendo que lidar com as outras partes do Eu.

 É difícil para a mente humana sequer compreender isso, mas, quando vocês vão além da singularidade para os Muitos do Eu, vocês percebem que nem a alma tenta manter tudo junto. 

Não há necessidade disso.

 Isso, meus amigos, é liberdade, e é pra onde vocês estão indo.

Nessas últimas existências, vagando sozinhos, foi difícil realmente.

 Houve momentos em que essa parte de vocês sentia: 
“Ah, vou para um grupo novamente.” 

Um templo, um monastério, algo desse tipo, mas vocês não conseguiram voltar. 

Não. 

Primeiro, vocês não durariam muito tempo lá.

 Eles pediriam que vocês fossem embora, por diversas razões. [Algumas risadas] 

Segundo, vocês descobririam, se lembrariam como aquilo era realmente bobo e chato, quase uma negação de sua condição humana. 

Não se trata de negá-la; se trata de aproveitá-la, abraçá-la e também seguir além dela.

Assim, que prazer tem sido pra mim.

 Eu tinha minhas reservas, pode-se dizer, quando Tobias estava indo embora: 
“Será que vou querer trabalhar com um grupo – não só um grupo, mas um grupo global – que não parece ter qualquer conexão verdadeira? 
E não só um grupo qualquer, mas um grupo de...” [Adamus suspira.] 

É, vocês sabem. [Algumas risadas]

Vocês tinham uma reputação nas outras esferas. 

Verdade.

 Vocês tinham uma reputação no Clube dos Mestres Ascensos.

 Mesmo que lá atrás não houvesse um nome intimamente associado a vocês, era assim:

 “Ah, tá, eles.” [Mais risadas]. 

Os Invisíveis. 

Vocês tinham a reputação de serem inovadores, de serem pestes, de serem – como vocês mesmos se diziampioneiros

Vocês formavam um grupo dos mais difíceis pra se ensinar.

LINDA: Hum.

ADAMUS: Então, quando cheguei aqui, eu disse: 
“Não tenho nada pra ensinar pra vocês.
Nada. 
Vou ficar em pé aqui.
 Vou estar com vocês em cada passo. 
Vou tentar reafirmá-los, tentar mostrar a vocês que vocês merecem ser amados, mas não tenho nada pra ensinar a vocês. Distrair vocês, sim. 
Amar vocês, sim.
 Mas ensinar? 
Vocês já fazem isso sozinhos.
 Vocês não precisam de outro professor.

Primeira Pergunta

Assim, com isso, Shaumbra, perguntas do dia. 

A primeira é um pouco desafiadora. 

Podemos tirar isto do caminho.
[Ele tira o púlpito da frente.]

Primeira pergunta.

 Linda, está pronta com o microfone?

LINDA: Ah, sim.

ADAMUS: A primeira pergunta é...
 Vocês poderiam ter ascendido, se tornado iluminados na última existência, duas ou três existências atrás.
 Eu diria nos últimos trezentos, quatrocentos anos. Vocês poderiam. Nada os impedia. Vocês não precisavam vir pra esta existência passar tudo que passaram. Vocês podiam, basicamente, ter trazido a sua iluminação quando estivessem com cerca de oito anos. Por quê? Por quê?

E eu preciso de respostas realmente boas hoje, porque...

LINDA: Ohhh!
ADAMUS: Duas coisas. Elas vão parar num livro. [Adamus ri.]
LINDA: Oooh!

ADAMUS: E também vão ser usadas no Clube dos Mestres Ascensos. 
Alguns no Clube dos Mestres Ascensos ainda gostam de ser professores. 
Então, será um ótimo material pra eles.
 Mas outros estão apenas curiosos.


Vocês poderiam ter manifestado – vapt! – instantaneamente a sua iluminação, a sua ascensão, duas, três existências atrás, mesmo nesta existência. 
Por que não manifestaram?
 Pergunta difícil.
 Por favor, comece. 
[Ele fala com a Linda.] 
Claro. Sim?

CHERYL: Obrigada.
ADAMUS: Por quê?
CHERYL: O microfone está ligado? Sim.
ADAMUS: Sim.

CHERYL: Antes de responder, quero dizer que agradeço muito você estar conosco.

ADAMUS: Obrigado.

CHERYL: Realmente, agradeço. Fez uma enorme diferença na minha vida e...

ADAMUS: Não me faça chorar aqui.

CHERYL: Bom, tudo bem; não tem nada de errado em chorar. E o livro Atuação da Consciência(Act of Consciousness) é muito bom.

ADAMUS: Sim, ele é ótimo. É muito bom
CHERYL: Realmente agradeço por ele. [Alguns aplausos]

ADAMUS: E o crédito não é meu, mesmo que o meu nome esteja chapado na capa. [Ela ri.] É o livro de vocês.

CHERYL: Bem...
ADAMUS: E é por isso que é tão bom.

CHERYL: É realmente bom, e é ótimo ter todas essas coisas reunidas ali.
ADAMUS: Sim, sim.

CHERYL: Como você disse, não há nada novo. Nós já sabemos.
ADAMUS: Certamente.

CHERYL: Mas é ótimo poder ter tudo num único lugar pra gente ler, entrar na experiência e pensar.

ADAMUS: É. Agora pegue o livro – vou pegar um dinheiro pra você –, pegue o livro e deixe em lugares improváveis; num provador de uma loja de roupas.

CHERYL: Oh!
ADAMUS: Num provador, numa cabine.
CHERYL: Oh!
ADAMUS: Num assento de ônibus.
CHERYL: Que ótima ideia.

ADAMUS: Acho que sim. É minha. [Risadas] Numa mesa de cafeteria, e se o garçom for atrás de você dizendo “Ei! Esqueceu seu livro” – em todo lugar, mas na França eles fariam isso – “Ei, esqueceu seu livro”, você diria: “Ah, não, não, não. É pra você.”

CHERYL: Que maravilha.

ADAMUS: É. É. Nunca empurrem o livro pra ninguém. Nunca cheguem pra uma pessoa e entreguem o livro. Deixem em algum lugar, sabendo que a pessoa certa vai encontrá-lo. Sim. Ótimo.

CHERYL: Muito bom.
ADAMUS: Mais algum elogio? [Risadas]

CHERYL: Talvez eu pudesse fazer muitos, mas estou pronta pra responder à sua pergunta.

ADAMUS: Ótimo. Ótimo. Sim.
CHERYL: A razão pra eu ainda estar aqui é que estou pronta pra receber boas coisas na minha vida.

ADAMUS: Bem, será que não podia estar iluminada e ter boas coisas na vida?

CHERYL: Estou pronta pra me iluminar, completamente, integralmente.

ADAMUS: Tudo bem. Eu percebi, mas por que... por que não... Duas existências atrás, você estava viajando pra algum lugar perto do Tibet e será que não podia – vapt! – só assim? As energias estavam corretas na época, você estava pronta; por que não se iluminou? Por que esperou?

CHERYL: O que eu sei agora é que estou pronta e escolho a iluminação completa e integral neste corpo.

ADAMUS: Quando?
CHERYL: Enquanto eu estiver nele.
ADAMUS: Quando?

CHERYL: Bem agora está bom pra mim.
ADAMUS: Tudo bem. Ótimo.

CHERYL: Então, eu posso criar... Você falou no último Shoud sobre o Kyeper – a completa criação do que eu quero. Não do que cai em cima de mim, mas o que eu, conscientemente, escolho ter na minha vida. E, simplesmente, estou pronta pra novas coisas.

ADAMUS: Reparou como você não está respondendo à minha pergunta?

CHERYL: Achei que estivesse!

ADAMUS: Todos também acharam. [Risadas] Eu não sabia se era só eu ou... É uma pergunta difícil. Por que você esperou? Dez palavras ou menos.

CHERYL: [pensando] Acho que não percebia que poderia ficar encarnada.

ADAMUS: Oh! [Adamus ri.] Ótimo. Excelente resposta.
CHERYL: Assim está bem?

ADAMUS: Excelente resposta: “Acho que não percebia que poderia ficar encarnada.” Ou: “Ei, quero esperar pra fazer isso, e ficar encarnada.” Porque você teria morrido se fosse lá atrás.

CHERYL: É.
ADAMUS: Bum! [Caía] na hora bem ali.

CHERYL: Quero estar encarnada e curtir isso enquanto estou aqui no físico.

ADAMUS: ... Ir até o topo da montanha sozinha, ser comida por tigres e leões.

CHERYL: Já passei por isso. Já chega disso.

ADAMUS: Ótimo. Obrigado. Então, você deu uma boa razão – esperar pela iluminação encarnada. Excelente.

CHERYL: A iluminação completa, encarnada, pra que eu possa me divertir.

ADAMUS: Obrigado. Obrigado.
CHERYL: É. Obrigada.
ADAMUS: Está deslumbrante hoje.
CHERYL: Oh, que bom.

ADAMUS: Eu gostaria de um robe longo, esvoaçante, deslumbrante.

LINDA: Está dizendo que as pessoas devem se fantasiar e permitir isso?

ADAMUS: Estamos? [Adamus ri.]
LINDA: Oooh! Boa essa.
ADAMUS: Tudo bem. Seguindo, por favor.
LINDA: Certo.

ADAMUS: Por que vocês esperaram? Esta é uma boa pergunta pra provocar vocês, mas quero realmente saber por que vocês esperaram. Sim?

SR. SINGH: Talvez nesta existência houvesse o potencial para a Nova Energia que não estava presente antes, há duas ou três existências.

ADAMUS: Sei.
SR. SINGH: Então, por isso escolhemos um momento especial.

ADAMUS: Tem certeza de que vai esperar? Tem... Vou lhe dizer uma coisa. Daqui a 150 anos haverá uma Nova Energia superaprimorada. Você vai esperar?

SR. SINGH: [rindo] Não.
ADAMUS: Certo. Por que esperou para a iluminação?

SR. SINGH: Essa é a única razão que posso imaginar, porque todos dizem que agora temos a Nova Energia que nunca esteve presente antes. Então, acho que há duas ou três existências não seria o momento.

ADAMUS: Bem, digamos que não houvesse Nova Energia. Digamos que seja a mesma Velha Energia. Você ainda esperaria?

SR. SINGH: Não.
ADAMUS: Tudo bem. Obrigado. Obrigado por estar aqui. Não via você há muito tempo... em pessoa.
Sim? Por que esperou?

DEAN: Eu realmente não queria responder a essa pergunta...

ADAMUS: Sei.
DEAN: Nesta existência?
ADAMUS: Sim.
DEAN: Uh... Eu... [Risadas]

ADAMUS: Em qualquer existência. Você poderia ter ascendido há umas duas existências. Por que esperou?

DEAN: Quem disse que eu esperei nas existências anteriores? Digo, às vezes, acho que já me iluminei antes e voltei nesta existência só pra fazer isso de novo de uma forma diferente e ganhar nova experiência.

ADAMUS: Ah, é uma questão de graus, acredito eu. Você teve algumas experiências maravilhosas, mas estou falando da verdadeira e total realização e iluminação.[Pausa]
E vou retornar pra sua afirmação. Que é ainda mais estranha. [Risadas]

DEAN: Obrigado!

ADAMUS: Por que você... Digamos que você tenha se tornado totalmente iluminado lá atrás, por que voltaria novamente? Tenha cuidado com o que vai responder. Por que você voltaria novamente?

DEAN: Pra fazer isso de maneira diferente.
ADAMUS: Iluminar-se de maneira diferente?

DEAN: É, talvez seguindo por um caminho diferente, só pra entender melhor como é. Talvez entender não seja a melhor palavra. Vivenciar.

ADAMUS: Sabe de uma coisa? Venha cá. Não faço isso há um bom tempo.

LINDA: Oh, não!

ADAMUS: E... não faço isso há um bom tempo, mas nós... Tudo bem.
[Adamus dá um tapa na cara dele; Linda se admira e a plateia grita: “Ohhh!”]

ADAMUS: Agh! Quando você vai parar de pensar tanto?
DEAN: Amanhã.

ADAMUS: Não, hoje. [Risadas] Hoje! Hoje! [Adamus ri.] Linda está sempre preocupada que eu vá bater num cara grandão. Não vou bater é numa pessoinha, numa mulher, mas num cara grandão... Oh! Um abraço agora. Abraço entre camaradas. Oh. Adoro você, mas você pensa demais. Tudo bem.

DEAN: Eu sei. Acho que penso demais.

ADAMUS: Eu sei. É, sim. E, aí, você me faz pensar e eu fico todo confuso e esqueço do que estávamos falando. Do que estávamos falando?

DEAN: Sou um mestre da distração.

ADAMUS: Você é. Sim. [Algumas risadas] Onde estávamos?
DEAN: Na iluminação.

ADAMUS: Na iluminaç... Ah, sim, sim, sim. É supervalorizada. [Mais risadas] Ótimo. Eu gostaria que você não pensasse sobre isso.

DEAN: Eu também gostaria.

ADAMUS: Apenas sinta por um tempo. Por que você esperou? Não, não responda, porque você está pensando agora. Mas simplesmente sinta por um tempo.

Vão perder a barraca lá fora [falando com a equipe, reparando na tempestade que está caindo]. Não vocês.

Tudo bem.
 Próximo.

LINDA: Vejamos.
ADAMUS: Por que esperaram? Por que você esperou?
LINDA: Ela. A Faith.
FAITH: Oh.
ADAMUS: Sim?

FAITH: O que eu sinto é que este é um momento incrível, e que tem a ver com o potencial de todos nós fazermos isso juntos. É algo muito profundo e bastante animador estar aqui agora, e fazer isso agora tem um quê de diferente do que teria tido antes.

ADAMUS: É. Ótimo. Boa resposta.
FAITH: É.

ADAMUS: E não estou dizendo que tem resposta certa ou errada. [Algumas risadas] Mas só estou perguntando, só imaginando o porquê de tudo isso.


Vocês não ficam fascinados de vez quando? 

Vocês poderiam ter se tornado realizados, iluminados, o que for, umas duas existências atrás.

 Acho que vocês pensam que ainda estão trabalhando nisso, vejam bem, que têm que repetir tudo de novo, aprender e tudo mais, e vocês não têm. 

Pra mim, é simplesmente incrível. 

É fascinante que alguém espere, mas deve ter uma razão pra isso.

Uma vez que tenham essa compreensão, que identifiquem isso, vocês vão ter um grande “aha”. 

Aha.

 Porque parte de vocês agora está pensando que ainda não estão prontos.

 Parte de vocês está pensando que tem mais coisa pra aprender, mais coisa pra fazer.

 Que vocês precisam alinhar as coisas pra que aconteça. 

O fato é que poderia ter facilmente acontecido há duas ou três existências.

 Mesmo nesta existência.

 Uma vez que compreendam dentro de si, isso terá um impacto significativo na sua realização agora.

Enquanto passamos com o microfone, o que continuaremos fazendo daqui a pouquinho, vocês perceberão que são respostas muito superficiais, respostas cheias de makyo(futilidades).

 Não estamos chegando lá, porque vocês não necessariamente querem chegar lá.

 Porque, uma vez que ouvirem isso, seja de outra pessoa ou de vocês mesmos, uma vez que saibam que poderiam ter se iluminado há muito tempo... 

Como está o rosto?

DEAN: Está bem.

ADAMUS: Está bem. Ótimo.


Vocês poderiam ter se iluminado há muito tempo; não se iluminaram. 

Quando tiverem aquele momento “aha” – o que já poderiam ter tido –, isso realmente vai colocá-los no rumo agora. 

Vai colocá-los no rumo por dizer: “Estão esperando o quê?”



Vamos ouvir mais algumas pessoas.

 Querida Linda, microfone, por favor.

Como está a temperatura aqui? [A plateia diz: “Fria.”]



ADAMUS: Fria.

LINDA: Vamos para os de costume?

ADAMUS: Claro. Fria. Vamos subir um pouquinho. [Risadas] Não você! Não fria. De costume. Sim.

EDITH: Dá sempre problema cada vez que abro minha boca.

ADAMUS: É, e eles nem ligam mais o microfone pra você. 
Que tristeza. Que tristeza. Não, não ligue aí; eles controlam lá atrás. Prossiga. Por que você esperou, Edith?

EDITH: Bem, gostei da resposta que deu a moça bonita lá atrás. Eu achava que seria ótimo... Eu queria vir e me juntar à minha bela família Shaumbra pra que pudéssemos fazer isso todos juntos. [Adamus começa a cantarolar no fundo.] E eu queria vir e ouvir o simpático Adamus e... [Edith ri.]

ADAMUS: Certo. 

Ah, vamos parar bem aí. É.

 O que mais, Edith? 

Não estamos chegando ao ponto aqui. 

Estamos dançando em torno de uma das perguntas mais importantes que vocês podem fazer pra si mesmos.

 Qual é?

 É sério? 

Vocês vão esperar por todo mundo?

 Vamos ter que fazer uma festa de kumbaya enorme?

EDITH: Claro.

ADAMUS: Não. 
Você vai me ouvir derrubar com isso daqui a pouco. Por quê, Edith?

EDITH: Deve ter tido uma boa razão. [Risadas, quando Adamus se senta no degrau do palco, olhando pra ela.] Talvez eu tenha pensado...

ADAMUS: Invente qualquer coisa.

EDITH: Tudo bem. Acho que não estava muito claro pra mim; eu não me iluminei o suficiente, não me diverti o suficiente nem estava feliz o suficiente, e...

ADAMUS: Entendi. Tudo bem. Argahrgh! [Ele se levanta.]

LINDA: Ohhh!

ADAMUS: Estão vendo o que está acontecendo aqui?

 E mesmo que eu já tenha dado uma pista.

 Sinto muito, Edith.

 Não se trata de você.

 Tem a ver com todo mundo.

 Tem a ver com todos vocês. 

Por que vocês esperaram?

 Quando puderem ir além dessas respostas superficiais e assimilarem a coisa, vocês vão ter...

EDITH: Por favor, nos diga.

ADAMUS: Não, não vou dizer, porque a razão é que vocês estão procrastinando por um motivo, e eu quero que vocês descubram esse motivo.

 Porque, se eu disser, isso vai fazer com que se borrem de medo. 

Se eu explicar a vocês porque esperaram, primeiro, ficaria muito óbvio, porque vocês ainda estão esperando.

 Quando estiverem prontos e não ficarem mais brincando de esperar, vocês vão perceber por que estavam esperando, e nesse momento estarão prontos.



É uma coisa e tanto para cada um e todos vocês, se estiverem prontos como dizem que estão. 

Se estiverem realmente prontos, por que ficaram esperando?

EDITH: Acho que tínhamos que perceber... Acho que tínhamos que perceber que Eu Existo, que Eu Sou o que Sou.

ADAMUS: Passe pra cá isso [microfone].

[Ele pega o microfone da Edith e entrega à Linda.] 

Não quero saber, Edith, se é você ou qualquer outro. 

A resposta não vai estar lá até que estejam realmente prontos pra ela.

Agora, vocês dizem: “Ah, Eu Sou, Eu Sou.








Post. e Formatação
Semeador de Estrelas

http://semeadorestrelas.blogspot.com

Tradução de 

Série do Kharisma
SHOUD 9: “Kharisma 9” –
Apresentando ao Círculo Carmesim
em 2 de maio de 2015
Fonte: www.crimsoncircle.com

Você pode distribuir livremente este texto em uma base não-comercial, sem nenhum custo. Por favor, inclua as informações na sua totalidade, incluindo as notas de rodapé. Todos os outros usos devem ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Ver contatos página no site: www.crimsoncircle.com

© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403
www.novasenergias.net/circulocarmesim

Site Oficial do Circulo Carmesim.

 Todos os direitos reservados.
www.crimsoncircle.com/br

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...