05/07/2013

Vida Multidimensional II


 Aimerã/Jofiel 

"A Chave de contato com esse Centro Planetário especificamente, com Aimerã, é a entrega". 

"A entrega é o aspecto mais essencial do abandono".

"Porque para que o Ser se instale é preciso que a consciência aceite não ser mais nada aqui".

"É preciso que a consciência não tenha mais reivindicação alguma aqui".

Agnimitra.
19 abril 2013


O Centro Planetário sobre o qual nós vamos tratar e do qual nós recebemos alguns impulsos que vão ser partilhados através deste texto é o Centro Planetário Aimerã, que ancora a vibração do Arcanjo Jofiel.

Por que Aimerã?

 É um termo meio desconhecido.


Então, este Centro Planetário custodia a revelação à Alma.

Notem bem, é uma revelação à Alma e não uma revelação da Alma.

Mas essa vibração, assim como a vibração do Arcanjo Jofiel, que ocupa o lugar de Lúcifer, na Ronda dos Arcanjos, foi transvestida, foi desviada e foi transformada numa revelação da Alma.

Isso foi colocado no seu devido lugar, no seu lugar correto, através daquela passagem e daquela reversão feita no ponto AL (nota: A reversão da estrela Alfa, ou do triângulo do Fogo na coroa da cabeça, se refere ao processo de retificação do Fogo, em que o Fogo do Ego é revertido ou transformado em Fogo do Espírito, ou ainda o chamado Batismo de Fogo, Fogo do Amor).

Então, ao invés de uma revelação da Alma, o que acontece é uma revelação à Alma.

Quando esse Centro Planetário se revelou e foi contatado por alguns seres da superfície, o nome dado a ele foi Anu Tea. 

Devido ao próprio histórico desse Centro Planetário, ele teve muito pouca ação do lado da humanidade.

A última vez que esse Centro Planetário interferiu, ou vamos dizer assim, atuou junto à humanidade, foi quando aquele ser conhecido como Moisés, fez o seu serviço, fez o seu trabalho junto à humanidade.

Foi quando Moisés foi contatado por Metatron.

Aquele contato foi custodiado por Aimerã, que ficou conhecido como Anu Tea.

Mas se vocês forem perceber nessa palavra ‘Anu Tea’, a própria palavra trás em si uma falsificação e um desvio, uma reversão, uma vez que Anu se refere justamente aquele que é o Demiurgo, Yaldabaoth, o falsificador.

Então, essa vibração de Anu Tea foi colocada no seu devido lugar em contato com a humanidade e a Chave de Contato que eles nos passam é Aimerã.

No inicio eu falei que Aimerã custodia a revelação à Alma.

Como isso se dá no nosso processo de Ascensão, no nosso processo de Liberação?

A vibração do Arcanjo Jofiel, que é o Arcanjo da Revelação, é uma vibração que vem revelar o Mistério.

 É a vibração deste Arcanjo que põe a consciência em contato, a consciência que está prisioneira, que está dentro da Matriz, fechada

É a vibração desse Arcanjo que põe a consciência em contato com os Planos Multidimensionais.

Então, é nessa vibração de Aimerã, é nessa vibração de Jofiel, que a consciência pode viver sua Multidimensionalidade. 

É a vibração deste Arcanjo e a vibração deste Centro que põe a consciência em contato com a sua Multidimensionalidade.

No momento do fechamento da Alma na Matriz, foi este Centro Planetário que guardou, que recebeu os códigos e as memórias cósmicas de cada consciência fazendo a experiência da dissociação.

Então, vai ser exatamente nessa faixa vibratória que chamamos de Aimerã, nessa faixa vibratória que chamamos de Jofiel, é nessa coloração vibratória que a consciência se revela a si mesma, que a consciência tem acesso à sua verdadeira história, que a consciência tem acesso ao seu verdadeiro percurso no Cosmos.

É nessa vibração, é nessa coloração de vibração, que a consciência passa de seu estado pequeno, de seu estado limitado, passa da sua história ilusória, da sua história efêmera, passa da sua memória transformada, manipulada, a consciência passa disto ao Verdadeiro, a consciência passa disto ao Real.

A vibração do Arcanjo Jofiel é uma vibração da água, é uma vibração das Águas do Mistério, das Águas do Alto.

 Essas Águas são aquelas que são fecundadas pelo Fogo. 

Esse processo de contato com Aimerã, esse processo de ancoramento da vibração do Arcanjo Jofiel na nossa consciência é justamente a alquimia que acontece dentro de nós desse Fogo e dessa Água.

Em outras palavras, é a revelação do Mistério do Ser.

É o contato com o Mistério do Ser.

O impulso que este Centro nos envia, hoje, é um chamado ao contato com o Mistério do Ser.

Não é a revelação de informações, embora elas vão acontecer e elas têm acontecido, não é um saber das coisas, não é uma revelação nesse sentido, é uma revelação que se traduz na vivência, é uma revelação que se traduz no silêncio e essa revelação só pode ser vivida no silêncio, somente no silêncio.

Essa revelação só pode ser vivida no Sagrado, somente no Sagrado, somente no silencioso Sagrado e no Sagrado Silêncio.

Então, antes de tudo, a vibração deste Centro Planetário, deste Arcanjo, nos impulsiona a um silêncio e a colocar nossa consciência no Sagrado. 

Então, o contato se dá no silêncio imbuído do Sagrado.

Essa revelação consiste, essencialmente, nessa revelação do Mistério.

O que é o Mistério?

O Mistério é o desconhecido.

A Luz é o Mistério para a consciência humana.

O Ser é o Mistério para a consciência humana.

A Unidade é um desconhecido para a consciência humana.

Porque a consciência humana vibra na fragmentação e vibra na separação.

O contato com esse Mistério, o contato com esse desconhecido, é a própria essência deste Centro Planetário, e de novo, este Centro Planetário custodia a revelação à Alma. 

É o momento em que a Alma se volta ao Espírito e se permite transpassar pela Luz do Espírito.

Agora, as vibrações de todos esses Centros Planetários, hoje, derramam sobre a humanidade, derramam sobre as consciências despertas, especificamente, uma vibração que é toda feminina.

Eu vou lhes dizer algo: é impossível, é impossível contatar esses Centros Planetários se a consciência não integrou em si a verdadeira feminilidade, a verdadeira polaridade feminina.

Enquanto a consciência não colocou a polaridade feminina no seu devido lugar dentro de si, não há contato, não há contato com esse Mistério, não há contato com esse Ser.

Podem-se viver aproximações disso, à medida que essa polaridade feminina se aproxima, mas o estabelecimento nesse Mistério, o estabelecimento nesse Ser, só se dá quando essa polaridade feminina é completamente integrada na própria consciência.

Enquanto vocês rejeitam, em si, essa polaridade feminina, que é uma receptividade, que é uma doçura, é uma leveza, enquanto isso não é integrado, isso não é aceito, isso não é vivido, esse Ser não se instala.

Porque o contato do Ser com a consciência humana se dá através das Portas dessa polaridade, porque foi essa a polaridade falsificada, foi essa a polaridade roubada, cerceada, escondida da humanidade, tanto da forma masculina, como da forma feminina.

Unidade é integração, é fusão dos polos.

Unidade é relação, é reconciliação dos polos.

Unidade, para a humanidade aprisionada e separada, se traduz dessa forma.

Então, todos esses Centros Planetários, hoje, para a superfície, para a consciência humana, vibram intensamente essa polaridade feminina e a própria polaridade masculina está dentro dessa polaridade feminina no seu exato lugar, na sua devida medida.

A Chave de contato com esse Centro Planetário especificamente, com Aimerã, é a entrega. 

A entrega é o aspecto mais essencial do abandono.

Porque para que o Ser se instale é preciso que a consciência aceite não ser mais nada aqui.

É preciso que a consciência não tenha mais reivindicação alguma aqui.

É preciso que a consciência, na personalidade, não reivindique mais a personalidade, não reivindique mais nenhum sentimento de posse e nem de ser - ser isso, ser aquilo.

É preciso que a consciência se baste em apenas Ser.

 Porque Ser, liberta.

Quando se É, realmente, sem adjetivos, você é livre para ser o que quer que seja.

Você não está limitado a papel nenhum.

Você não possui e você não se deixa possuir.

É a entrega que conduz o ser a esse Estado.

Mas é essa entrega completa, essa entrega absoluta.

É este estado em que você chega ao ponto de dizer aquela famosa frase: “Pai, seja feita a tua vontade”.

Esta frase guarda o destilado da entrega: “Pai, seja feita a tua vontade”.

Então, nós nos colocamos num estado de abandono, de deixar-se conduzir, de deixar-se levar.

Este estado se traduz na vida como uma obediência aos impulsos interiores, uma obediência que não questiona.

Não é uma obediência cega, porque o ser tocou este estado, o ser fez uma escolha consciente de ancorar no Ser e essa obediência a esses impulsos é uma manifestação natural do ancoramento da consciência no Estado de Ser.

Dentro da vibração de Aimerã, a entrega nos dá um presente maravilhoso, nos dá um código vibratório maravilhoso, e que é essencial para nossa vivência, hoje.

Esse código é a Fé.

No primeiro momento isso é esperança.

A vibração deste Centro Planetário, no primeiro momento, porque ele é uma revelação à Alma, ele nos imbui de uma esperança, ele faz o coração queimar com esperança.

Então, à medida que o ser vai mergulhando neste Estado de Ser, à medida que o Mistério vai sendo revelado ao ser, esta esperança se transforma numa Fé, numa Confiança Absoluta.

Então, vejam que aqui há, talvez, um paradoxo, mas não é um paradoxo, a princípio parece um paradoxo, porque você se entrega, você está ao sabor do vento, você é como uma folha carregada pela ventania.

Então, não se pode ter certeza de nada neste Estado, não é?

Você não pode ter certeza de nada porque você não sabe para onde o vento vai lhe levar. 

Mas essa vibração de Aimerã, ao mesmo tempo em que o ser se abre, em que o ser se entrega, Aimerã oferta à consciência um presente, que é a Certeza, que é a Fé.

Essa Certeza e essa Fé não são direcionadas a coisas exteriores, porque a consciência está num estado de entrega, está ao sabor do vento, mas é uma Confiança e uma Certeza de que, para onde quer que o vento a carregue, este lugar se chama Unidade, este lugar se chama Fogo do Amor, este lugar se chama Plenitude, este lugar se chama Paz, este lugar se chama Alegria.

Esta Fé é um código essencial para o momento que a gente vive, porque nada é certo, nada, jamais, foi certo, mas esta verdade da matriz se torna muito aparente, hoje: que nada é certo, porque cada dia que passa, parece que perdemos mais o controle, parece que as coisas estão mais descontroladas.

Perdemos o controle sobre nós mesmos.

Aquela ilusão de controle que tínhamos, que apesar de ser uma ilusão, mas ela enganava muito bem, está se desfazendo e isso produz um certo stress, um certo desespero, porque parece que as coisas estão correndo de nossas mãos e estão tomando um rumo que é muito louco e as coisas estão acontecendo num nível muito vertiginoso.

E no caso dos seres despertos, essas consciências que estão aí na frente do batalhão, a coisa está mais intensa, porque não é só a vida humana cujo controle está saindo das mãos, é o próprio contato, é a própria Multidimensionalidade, porque essa Multidimensionalidade reforça muito essa nossa ausência de controle, porque ela entra nas nossas vidas e ela destrói nossas vidas, ela bagunça.

Para o ego isso parece uma bagunça, isso parece uma destruição.

Mas ao olharmos com o Coração vemos que é uma nova ordem, que na verdade é o contrário, que tudo estava bagunçado e é agora que as coisas estão sendo ordenadas.

Mas é porque isso segue outro padrão que não é o mental.

O processo mental ordena cada coisa em seu lugar, uma sequência linear, tudo em ordem.

A ação da Luz é de uma Inteligência muito mais ampla, infinitamente mais ampla e ela não segue aquilo que nós conhecemos como sendo um processo de ordem.

Então, para o mental, a ação da Luz vai ser desordenada.

E aí entra a questão essencial da entrega, porque dentro de cada um de nós tem se revelado uma coisa misteriosa, uma capacidade de viver, mesmo aqui dentro, que é muito misteriosa, uma capacidade de expressar aspectos que nós nem imaginávamos que estavam aqui dentro.

Isso tem acontecido a cada dia.

Percebemos essa capacidade assombrosa de não reagir.

Percebemos essa capacidade assombrosa de ir além de certos limites.

Percebemos essa capacidade assombrosa de transcender certos medos e certos condicionamentos.

E isso abala diretamente nosso ‘castelinho’.

Porque queremos a nossa vida de uma maneira muito ordenada de acordo com os nossos padrões.

 Queremos decidir a experiência que vivemos.

E de repente a gente topa com esta vibração e esta vibração nos diz: ‘não é desse jeito, tu não tens controle nenhum de nada; era tudo um engano! 

Tu foste enganado todo esse tempo, te fizeram acreditar que tu decidias, mas aqui dentro tu não decides nada’.

E essa vibração começa a mexer em tudo.

E, simultaneamente, ao mesmo tempo que essa vibração mexe tudo na vida externa, essa vibração começa a rasgar a vida interna.

E o psicológico, o psicológico não é mais nada.

O psicológico é uma fantasia.

O que se revela é a real vida interna e essa vida interna começa, também, a ser mexida. 

Porque as consciências estão sendo preparadas para viver uma coisa totalmente nova do ponto de vista da humanidade.

Então, percebam que nesse processo todo, vertiginoso, a entrega é um código essencial

Porque se não há entrega, há resistência

E se há resistência, há sofrimento.

A entrega é a própria polaridade feminina.

É se lançar à Vida.

Se entregar à Vida.

Ser a própria Vida.

Uma coisa que ilustra muito bem, na vida humana, isso, é aquela famosa frase: ‘o que é que tu fazes da vida?’

Quando a gente conhece alguém geralmente as pessoas perguntam: ‘o que é que tu fazes da vida?’

Olhem como está tão incrustado o conceito de manipulação.

O que sou eu diante da Vida?

O que é que eu posso fazer da vida?

Eu não posso fazer nada da vida.

A vida é que faz o que ela quer de mim.

Então, vamos integrar este outro aspecto do abandono.

Este aspecto essencial do abandono que é a entrega e deixar que a vida faça o que ela queira de nós.

Esse é o caminho da Pobreza, o caminho da Infância.

A vibração desse Centro, hoje, nesse ponto crucial em que a gente vive, no limiar da dissolução, no limiar da passagem final da Terra, é o maior presente, que é esta Certeza, esta, esta Fé absoluta na Inteligência da Luz.

Essa entrega vai conduzir a consciência a viver o Verdadeiro Amor.

No silêncio do nosso Ser, no silêncio do nosso alinhamento individual, vamos colocar diante de nós o que é essa entrega.

No silêncio vamos interiorizar esta entrega.

E na vida exterior, na vida que parece não ser tão silenciosa, vamos permitir que esta polaridade feminina se expresse, que é doação, que é receptividade e que é silêncio e interiorização.

Nesse silêncio, nessa entrega do pequeno eu, nessa entrega do que a gente sempre acreditou ser, nessa entrega se revela o Mistério do que nós realmente somos.

É somente nessa entrega que nós encontramos o que realmente somos.

Isso causa um bocado de espanto.

Isso causa um bocado de assombro em descobrir o que nós somos, porque nos acostumaram a viver o pequeno, nos acostumaram a viver o limitado, nos acostumaram a obedecer regras sociais, a obedecer condicionamentos de comportamento, de pensamento.

E a revelação desse Mistério, que é a revelação do que nós realmente somos, tem um impacto profundo de libertação.

Tem um impacto profundo de ir além de todo o conhecido.

Essa entrega produz uma verdadeira liberdade, porque ela dissolve a limitação da consciência. 

Você não precisa ser isso, nem aquilo. 

Você pode ser o Todo, se você aceitar não ser nada aqui, se você aceitar fazer a entrega total desse pequeno eu.

Esse é o impulso de Aimerã.

 Então, vamos nos aproximar de Aimerã nesse silêncio fazendo a entrega total de nosso ser. 

Vocês vão ter boas surpresas.

Porque é esse Centro que guarda as Memórias Cósmicas de cada um de nós.
Não é um lugar. É uma faixa vibratória da consciência. Quando a consciência se eleva e atinge esta faixa vibratória, neste não-espaço, essa revelação se dá.

Isso é maravilhoso, porque essa revelação é a própria conexão com a nossa Fonte, é a revelação da nossa origem. 

E a revelação desse Ser nos permite, aqui dentro, revelar muito mais do que só as aparências, revelar muito mais do que só o limitado. 

Essa revelação nos permite viver o Ilimitado aqui dentro, o não-condicionamento, a verdadeira liberdade.

É esse o impulso desse Centro Planetário para hoje.

- Agnimitra -





Post. e Formatação
Semeador de Estrelas
http://semeadorestrelas.blogspot.com/

Revisão e Edição: Agnimitra.

Transcrição: Silvana.

Fonte: Encontro com o Fogo


[Texto baseado na transcrição da partilha de mesmo nome gravada em 15.02.12]


Respeite os créditos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...