07/09/2012

Cartas de Cristo - Trechos da 9ª Carta -

"Diga-nos - como pode 'Deus'
 estar dentro de uma pessoa?", 
- gritaram ironicamente".




Semeador de Estrelas

Noto uma busca espiritual acentuada nestas ultimas semanas, isso já foi anunciado pelos Anciões, que tanto nos auxiliam no entendimento das transformações pelas quais estamos passando, assim como o efeito das Energias de alta vibrações que agora entram em nosso planeta, transformando tudo e a todos.
Por isso devemos elevar nossa vibração, para poder acompanhar a Mãe Terra, que já está pronta. 
Muitos se perguntam como elevar minha vibração?
 O que devo fazer? 
Alguma oferenda penitencias, rituais  etc. Não!

 Nada disso se faz tão nescessario. 


Para elevarmos nossas vibrações basta que tenhamos bons pensamentos, pensamentos de compartilhar a alegria e a paz que brotam em nosso coração através de uma leitura, de um contato com a natureza, ou alguma coisa que nos eleva, e não ficarmos com essa paz somente para nós ou para com os nossos conhecidos e familiares.

Essa paz que não pode ser requerida, mas percebida por si mesma, deve ser estendida a todo o  planeta e a todos os seres que nele se manifestam. 
E é quando estamos vibrando nesses momentos de paz, que nossa frequência  se eleva, e  cada dia que passa mais presentes em nós se fará, por enquanto simples momentos, mas cada vez mais constantes e duradouros. 

É pensando nisso que transcrevo alguns trechos da nona Carta de Cristo, o que ele nos diz sobre a sua não vinda (novamente) a este mundo em forma física, e o que ele  diz sobre as mentiras das Igrejas “Cristãs” como tambem faz entender que ele "Jesus" não morreu para redimir pecado de ninguem, tal qual muitos sempre pensaram, isso não passou de um enbuste, baseado nos estupidos sacrificios de animais, eram sacrificados com o lamentavel engano de que sua morte iria aliviar ou eliminar os pecados de alguém. 


 
Essa carta não se encontra na internet, em português, pode ser lida no livro As Cartas de Cristo.

 
CARTAS DE CRISTO.



Trechos da Carta 9. 
 
Eu, o CRISTO, venho por meio do Canal destas CARTAS porque não posso voltar em forma corpóreaou adquirir personalidade humana novamente – uma vez que resido em , e sou eu mesmo constituído de tão finas e elevadas frequências vibratórias de consciência, que nenhuma forma humana poderia conter a minha consciência espiritual. 

 Meu único modo de alcançar vocês tem sido por meio de um ser humano sensível, clariaudiente*, obediente e dedicado a “Deus”, nascido para ser o Canal através do qual eu poderia observar o tumulto da vida ativa e os eventos mundiais.

Assim pude examinar intimamente o conflito e a dor atual, desconhecidos nos séculos passados, pois as descobertas científicas e tecnológicas e a diminuição dos valores morais e convencionais têm levado a humanidade a condições altamente estressantes na vida moderna e a novas maneiras de
 relacionarem-se uns com  os outros.

Através do canal dessa mente flexível, a condição humana moderna se tornou, até certo ponto, acessível para mim.
Sem esse conhecimento da experiência humana, essas Cartas não poderiam ter sido escritas de uma forma útil para auxiliar a humanidade nestes tempos.

 – Pag. 311 –

N.T*: Clariaudiência: capacidade de ouvir, sons, palavras, ruídos, sem a utilização do sentido da audição física e que estão além da percepção normal de nossa audição física comum. (Fonte: Wlkipédia)

Pag. 313 –

Eu tenho falado através destas Cartas expressamente para permitir que você alcance um verdadeiro e constante estado de paz mental, amor espiritual, alegria e cura interior da mente, das emoções e do corpo físico.

Você já deve ter compreendido que este era também o único propósito que existia por trás da minha missão com as pessoas na Terra – mostrar como elas mesmas estavam criando a sua própria miséria.

As igrejas “Cristãs” vêm ensinando que você foi criado por “Deus”, que deve “adorar e agradar a Deus” respeitando as suas Leis.

Mas isso não é verdade. 

“Adorar a Deus” é um rito pagão.


Quando as pessoas “adoram a Deus” o colocam em separado e acima delas – “inalcansável e para ser temido – pois quem sabe que mal Ele poderá enviar a Terra se as pessoas não agirem de acordo com a sua vontade”!

Porém essa não foi a mensagem que eu trouxe a Terra.

Eu falei do “Pai” que satisfaz todas as necessidade, que responde quando é chamado, que cura quando pedimos para fazê-lo, que está “dentro das pessoas” ao mesmo tempo em que é transcendente a elas, o que significa que o Criador é Universal.

A Religião Judaica ensinava que somente os sumos Sacerdotes poderiam aproximar-se do “Santo do Santos” e fazerem súplicas pelo povo. 


A população só poderia aproximar-se de jeová através dos sacerdotes, trazendo pássaros e animais para que fossem oferecidos em sacrifício, queimados para apaziguar Jeová pelos “pecados” das pessoas.

Através desses meios , os Judeus obtinham o “perdão dos pecados”.

Eu ensinei repetidas vezes às pessoas que elas receberiam o perdão do “Pai” para os seus pecados segundo a sua própria boa vontade para perdoar os outros, pois seria dado a elas de acordo com  a sua própria “semeadura”.


Eu também ensinei as pessoas a se aproximarem do “Pai” diretamente e a rezarem do forma simples, pedindo aquilo que necessitassem para suas vidas.

Assegurei que elas seriam ouvidas e as suas súplicas respondidas, desde que fossem feitas com fé total, sem nenhuma dúvida em suas mentes.



Você deve compreender que tudo o que ensinei aos Judeus estava em conflito direto e em oposição ao que os seu Anciões Religiosos ensinavam e foi esse o motivo pelo qual os Sacerdotes me odiaram e me crucificaram, uma vez que eu estava roubando os seus exaltados cargos de “guarda-costas pessoais” do “Todo Poderoso”.

Devido ao temor das represálias depois da minha morte, os discípulos não se libertaram completamente do Antigo Testamento.

Assim, muito do que existe no Antigo Testamento foi passado para a religião “Cristã”.

Como alternativa ao sacrifício de animais, o corpo e o sangue de “Jesus” são oferecidos pelos sacerdotes no altar.

Após muitos anos e de Roma assumir o posto de protetora da religião “Cristã”, assim como os sacerdotes Judeus já haviam feito antes, também os sacerdotes “Romanos” se vestiram com caríssimas roupas e utilizaram acessório de prata e ouro para as cerimônias religiosas.
 
Nos tempos de Paulo, isso teria sido inconcebível.

Ele tinha uma mensagem simples de “salvação pela minha morte na cruz”, embora não tenha sido a mensagem que eu trouxe aos meus compatriotas da Palestina.

Ele estava perpetuando uma tradição judaica de “sacrifício do outro para pagar pelos seu próprios pecados”.

Que vergonhosa covardia!

Ainda assim, Paulo realizou um grande serviço pela humanidade ao dar início a um movimento que seria um meio de abençoar a todas as raças igualmente.
Ele delineou um modo de pensamento e conduta diária que trazia harmonia às vidas daqueles que procuravam viver de acordo com os seus ensinamentos.


É bem provável que alguns Judeus tradicionalistas, vociferando outra vez, hostilizem as minhas palavras nesta segunda vinda.

Eles se ressentirão de minha constante referência à antiga prática Judaica de sacrificar animais e pássaros nos templos para agradar a D eus e obter o perdão dos pecados.

Porém, sejam quais forem as suas objeções, o fato histórico continua sendo que o Templo era um lugar para oferecer sacrifícios e que o cheiro era sentido em toda a Jerusalém.

E durante todo aquele tempo Eu sabia que o edifício do Templo era dedicado a um mito, uma invenção da imaginação do homem, uma racionalização daquilo que a mente humana não podia compreender espiritualmente. 

Eu estava lá!


Senti as pedras quentes debaixo de minhas sandálias e o sol sobre minha cabeça.


Eu discuti com os Fariseus, suportei as suas risadas e piadas com certo divertimento e observei-os enquanto ensinavam de maneira dogmática uma forma de vida opressiva, de contínua obediência às tradições sem valor relacionadas a comer e beber, as quais eram totalmente desnecessárias!

Eu estava lá!

Ás vezes, meu divertimento acende uma faísca de travessura em minha mente e faço com os fariseus o mesmo tipo de piada analítica pelos seus hábitos pessoais, suas roupas pomposas e suas leis, assim como eles fizeram comigo e com os meus ensinamentos.
"É um tolo", disseram aos gritos ridicularizando a minha afirmação de que "O Reino de Deus está em você".

"Diga-nos - como pode 'Deus' estar dentro de uma pessoa?", - gritaram ironicamente.

Usando uma chuva de argumentos pejorativos, invocaram os profetas e compararam seus conceitos do Todo Poderoso Jeová com as minhas descrições do "PAI" simples "que se importava até com os pássaros".

Como poderia ser isso, perguntavam, se as aves eram sacrificadas regularmente no Templo para pagar os pecados dos homens?

Moisés teria estabelecido tais práticas sagradas de sacrifícios com o fogo, se as aves e os animais tivessem alguma importância aos olhos do Todo Poderoso?

Eu ficava impassível diante de seus ataques verbais.

Eles só tinham a convicção da tradição judaica para apoiar suas afirmações - enquanto minha mente havia sido impregnada com o verdadeiro conhecimento da existência em si, durante as minhas experiências iluminadas no deserto.

Foi-me dada a compreensão da universalidade e da BOA VONTADE criadora do " Pai" que me permitiu perceber e fazer coisas que nenhum Sumo Sacerdote, Fariseu, Saduceu ou Escriba jamais poderia fazer.

Uma vez que eu compreendia a natureza de nossa FONTE do SER, poderia com confiança impor as mãos  sobre um homem paralítico e levantá-lo, restituindo a sua plena saúde.

Quem poderia comparar esses conhecimentos com as ridículas leis tradicionais dos Sacerdotes?

Os Sacerdotes, os fariseus e todo o resto desses religiosos embusteiros sabiam que nenhum deles poderia fazer tais coisas e, por essa razão, odiaram-me quando desafiei sua autoridade, detestaram-me pela minha força diante da oposição e insultaram-me por atrair as multidões quando alguma cura era feita e ninguém poderia negar.

Aí estava, em plena luz do dia para que todos pudessem ver, um ato de amor que os Sacerdotes asseguravam que somente Deus poderia fazer - portanto eu deveria ser filho de Satanás!

E ainda mais, não viam a cura como um ato de amor, mas como uma inexplicável blasfêmia e usurpação do papel "de Deus".

Acusaram-me de "vangloriar-me" dos meus poderes mágicos, mas não podiam dizer-me como eu havia adquirido tais poderes e, portanto, decidiram que eu deveria ser um filho de Belzebu.

Agora que expliquei a situação, deve ficar claro para você que lê estas palavras - como era claro para mim naquele momento na Palestina - que  a hierarquia inteira do Judaísmo era composta por homens autocentrados, confusos e cheios de auto importância que viveram unicamente de acordo com as normas e leis.

Quando desafiados a usar suas mentes e seus cérebros, não puderam lidar com isso e caíram em espasmos emocionais de virulenta indignação.

Era de se espantar que no momento em que fui levado ao conselho, mantivesse a tranquilidade e me negasse a comunicar com mentes tão obtusas?       – Pag. 316 –




Eis ai, algumas palavras de Cristo, nos diz e esclarece muita coisa.

Não deixem de ler Essas Cartas, clik aqui, para ler as já publicadas, ou aqui MARCADOR  para ler trechos das mesma.

 Leia o prefácio e introdução, para uma melhor compreensão de como as mesmas foram transmitidas e escritas.



Post. e Formatação:
Semeador de Estrelas.


Fonte: Livro - Cartas de Cristo -
"Citações das Cartas de Cristo foram autorizadas pela
Almenara Editorial para este blog"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários não relevantes com a mensagem e possuidores de links não serão publicados, assim como comentários ofensivos a quem quer que seja.

Imprimir ou Salvar em PDF

3 Mais Lidas do Blog

DOAÇÃO/MANUTENÇÃO


– DOAR – Abro este canal para doações espontâneas para este blog, sem qualquer compromisso, qualquer valor auxilia a manutenção deste espaço.
Opção de deposito: Caixa E.Federal - Ag:0505 -
Conta:013-00007103-7 L.A.P.M.B.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...